Maria Beltrão (arqueóloga)

arqueóloga

Maria da Conceição de Moraes Coutinho Beltrão (Macaé, 1934) é uma arqueóloga brasileira, doutora em Arqueologia e Geologia e uma das pioneiras na exploração de sítios arqueológicos nacionais.

Maria Beltrão
Maria da Conceição de Moraes Coutinho Beltrão
Conhecido(a) por uma das pioneiras na exploração de sítios arqueológicos nacionais
Nascimento 1934 (86 anos)
Macaé, Rio de Janeiro, Brasil
Residência Brasil
Nacionalidade Brasil Brasileira
Prêmios International Woman of the year 1991/1992
The International Biographical Centre of Cambridge
Cavaleiro na Ordem das Artes e Letras
Prêmio Claudia 2005
Prêmio Conde d’Arcos
Orientador(es) Annette Laming-Emperaire
Instituições Universidade Federal do Rio de Janeiro
Campo(s) Arqueologia e geologia
Tese Pré-História do Estado do Rio de Janeiro (1968)

BiografiaEditar

Nascida em Macaé, Rio de Janeiro, em 1934, começou a se dedicar à pesquisa em 1959. Foi contemporânea de eminentes antropólogos, como Luís de Castro Faria, Berta Ribeiro e Maria Heloisa Fénelon Costa, entre outros. Com Maria Fénelon, publicou importantes trabalhos na área de etnoarqueologia.

Foi casada com o ex-ministro e economista Hélio Beltrão, falecido em 1997, e é mãe da jornalista Maria Beltrão.

É PhD em Antropologia (Arqueologia) e Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Professora Titular da UFRJ, orientadora de bolsistas (CNPq, FAPERJ, CEPG - Conselho de Ensino para Graduados da UFRJ - e outros) inclusive de mestrado e doutorado no Brasil, incluindo jovens pesquisadores do Projeto Central, desde 1982.

Foi coordenadora, no Brasil, da missão franco-brasileira para pesquisas arqueológicas, em Lagoa Santa, de 1970 até 1977. Fundou o Museu Arqueológico do Município de Central, na Bahia, onde realizou diversas pesquisas arqueológicas.[1]

Ligações externasEditar

Referências

  Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.