Abrir menu principal

Wikipédia β

Miguel I da Romênia

Disambig grey.svg Nota: Para outros monarcas homónimos, veja Miguel I.

Miguel I (em romeno, Mihai I) (Sinaia, 25 de outubro de 1921- Aubonne, 5 de dezembro de 2017)[1][2] foi Rei da Romênia em dois períodos diferentes, primeiro entre 1927 e 1930 e depois de 1940 até sua abdicação forçada em 1947. Era o único filho do rei Carlos II e sua esposa a princesa Helena da Grécia e Dinamarca.

Miguel I
Rei da Romênia
1º Reinado 20 de julho de 1927
a 8 de junho de 1930
Antecessor(a) Fernando I
Sucessor(a) Carlos II
2º Reinado 6 de setembro de 1940
a 30 de dezembro de 1947
Predecessor Carlos II
Sucessor Monarquia abolida
 
Esposa Ana de Bourbon-Parma
Descendência Margarida da Romênia
Helena da Romênia
Irina da Romênia
Sofia da Romênia
Maria da Romênia
Casa Romênia
Nascimento 25 de outubro de 1921
  Sinaia, Romênia
Morte 5 de dezembro de 2017 (96 anos)
  Aubonne Suiça
Enterro Catedral de Curtea de Argeș, Romênia
Religião Igreja Ortodoxa Romena
Pai Carlos II da Romênia
Mãe Helena da Grécia e Dinamarca
Assinatura Assinatura de Miguel I
Família real romena
Casa da Romênia
Kingdom of Romania - Big CoA.svg

*Titulado de acordo com as regras privadas da família.

Miguel assumiu o trono após a morte de Fernando I da Romênia, em 1927, devido à renúncia ao trono, em Dezembro de 1925, do príncipe herdeiro Carlos.[3] Como era menor de idade, foi estabelecida uma regência. Em 1930, Carol retorna ao país, a convite de políticos que estavam insatisfeitos com a regência, e foi proclamado rei. Miguel foi proclamado príncipe.

Em 1940, o regime pró-Alemanha do marechal Ion Antonescu realizou um golpe contra Carol, que era considerado antialemão. Mihai foi novamente proclamado rei, mas aos 18 anos de idade era apenas uma figura decorativa do governo Antonescu.

Em 1944, com o avanço das forças da União Soviética, Miguel juntou-se aos políticos pró-Aliados e deu um golpe de estado contra Antonescu, que foi preso. O rei Miguel proclamou a lealdade da Romênia aos Aliados, mas isto não foi suficiente para impedir uma invasão soviética.

Em março de 1945, o rei Miguel foi forçado a indicar um governo pró-soviético encabeçado pelo Partido Comunista da Romênia. Sob o governo comunista, Miguel novamente foi pouco mais do que uma figura decorativa. Chegou a ser condecorado com a Ordem da Vitória soviética, mas, em dezembro de 1947, os comunistas anunciaram a abolição da monarquia e o rei foi forçado a abdicar, deixando o país.

No exílio viveu primeiramente na Grã-Bretanha e, em seguida, na Suíça. Durante o regime comunista, perdeu a cidadania romena, e adquiriu cidadania suíça. No exílio, adotou o título de "príncipe Miguel de Hohenzollern-Sigmaringen" (sua linhagem real remonta à família real alemã Hohenzollern).

Em 1992, três anos após a queda do regime de Nicolae Ceaușescu, Miguel foi autorizado a voltar à Romênia para celebrar a Páscoa. Em 1997, teve sua cidadania romena restabelecida. No dia 5 de dezembro de 2017, Miguel morreu em sua residência na Suíça, aos 96 anos de idade.[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Romanian ex-king dies at age 96». BBC News (em inglês). 5 de dezembro de 2017 
  2. «Morre aos 96 anos o rei Miguel I da Romênia - ISTOÉ Independente». ISTOÉ Independente. 5 de dezembro de 2017 
  3. Bucur, Marie "Carol II" páginas 87-118 from Balkan Strongmen: Dictators and Authoritarian Rulers of South Eastern Europe edited by Bernd Jürgen Fischer, West Lafayette: Purdue University Press, 2007 página 97.
  4. Murphy, Brian (5 de dezembro de 2017). «Michael I, last king of Romania and a Cold War exile, dies at 96». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286 

Ligaçôes externasEditar