Abrir menu principal
Piauí
Linhas da Classe Pará
Carreira   Bandeira da marinha que serviu
Operador Armada Imperial Brasileira
Fabricante Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro
Homônimo Província do Piauí
Batimento de quilha 8 de dezembro de 1866
Lançamento 8 de janeiro de 1868
Descomissionamento 23 de junho de 1897
Comandante(s) 1º Tenente Eduardo Wandenkolk e outros
Características gerais
Tipo de navio Monitor encouraçado
Classe Classe Pará
Deslocamento 342 t (754 000 lb)
Comprimento 36,57 m (120 ft)
Boca 8,54 m (28,0 ft)
Pontal 2,7 m (8,86 ft)
Calado 1,52 m (4,99 ft)
Propulsão vapor
caldeira cilindrica e duas máquinas alternativas, acopladas a dois eixos com hélices de passo fixo.
30 hp (22,4 kW)
Velocidade 8 nós (14,81 km/h)
Armamento 1 canhão Whitworth de 70 mm (2,8 in), em torre giratória.
Tripulação 43 homens, sendo 8 oficiais e 35 praças.

O Monitor Encouraçado Piauí foi um navio de guerra da classe de monitores Pará que serviu a Armada Imperial Brasileira durante a Guerra do Paraguai.

Índice

HistóriaEditar

ConstruçãoEditar

O monitor foi construído no estaleiro do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro seguindo os projetos de construção do engenheiro naval Napoleão João Baptista Level, maquinas de Carlos Braconnot e arranjo do armamento do Tenente Henrique Baptista. Foi a primeira embarcação da armada a receber este nome que era uma homenagem a província do Piauí. Seu batimento de quilha ocorreu em 8 de dezembro de 1866 e foi lançado ao mar em 8 de janeiro de 1868. Um ponto notável de sua construção foi a de que o engenheiro Braconnot mesmo na falta de uma prensa hidráulica conseguiu dobrar couraças deste e de outros navios que construiu.[1]

ServiçoEditar

Em 21 de julho de 1868, durante a Guerra do Paraguai, forçou a passagem de Humaitá, junto com os encouraçados Cabral e Silvado bombardeando, logo em seguida, Assunção.[2] O monitor e uma série de encouraçados bombardearam baterias paraguaias em Angostura, jusante de Assunção entre os dias 28 de outubro, 19 e 26 de novembro. O Piauí , juntamente com os navios de sua classe Ceará e Santa Catarina, romperam as defesas paraguaias em Guaraio em 29 de abril de 1869 e expulsaram os defensores.[3] Em 31 de agosto de 1869, o monitor tentou sem sucesso localizar e destruir os remanescentes da Marinha do Paraguai no rio Manduvirá . Na década de 1880, o armamento do navio foi reforçado com um par de metralhadoras de 11 milímetros (0,43 pol).[4]

Foi desarmado em Ladário em virtude do Aviso de 23 de junho de 1897.[1]

Referências

  1. a b «NGB - Monitor Encouraçado Piauí». www.naval.com.br. Consultado em 18 de outubro de 2018 
  2. Preston 1999, p. 157.
  3. Donato 1996, pp. 186, 300.
  4. Preston 1999, p. 155.

BibliografiaEditar