Abrir menu principal

Wikipédia β

Nikolai Berdiaev

Nikolai Alexandrovich Berdyaev (em russo: Никола́й Алекса́ндрович Бердя́ев) (18 de março de 187424 de março de 1948) foi um religioso e filósofo político russo.

Nikolai Berdyaev
Nascimento 18 de março de 1874
Kiev, Ucrânia
Morte 24 de março de 1948 (74 anos)
Clamart, Île-de-France
Influências
Influenciados
Escola/tradição Existencialismo cristão
Principais interesses Criatividade, moralidade, liberdade
Nikolai Berdyaev.

Índice

BiografiaEditar

Infância e educaçãoEditar

Berdyaev nasceu em Kiev em uma família militar aristocrata. Ele viveu uma solitária infância em casa, quando leu a biblioteca inteira de seu pai. Leu clássicos como Hegel, Schopenhauer, e Kant quando tinha apenas quatorze anos.

Atividades revolucionáriasEditar

Berdyaev decidiu trilhar uma carreira intelectual quando ingressou na Universidade de Kiev em 1894. Inseriu-se num contexto de fervor revolucionário de universitários e intelectuais. Berdyaev tornou-se Marxista e em 1898 foi preso em uma manifestação estudantil e expulso da universidade. Mais tarde, o seu envolvimento em atividades ilegais levou a três anos de exílio na região central da Rússia, uma sentença leve se comparada com o infligido a muitos outros revolucionários.

Em 1904 Berdyaev casou-se com Lydia Trusheff, mudando-se com sua esposa para São Petersburgo, a capital russa e centro da atividade intelectual e revolucionária. Berdyaev participou ativamente dos debates intelectuais e espirituais, algumas vezes despertando atenção por seu marxismo radical. Berdyaev e Trusheff mantiveram-se casados, com uma boa relação, até a morte de Lydia em 1945.

Berdyaev era devoto do Cristianismo Ortodoxo, mas frequentemente criticava a instituição da Igreja. Um inflamado artigo publicado em 1913 criticando o Santo Sínodo da Igreja Ortodoxa Russa levou-o a ser acusado do crime de blasfêmia, recebendo a punição de exílio perpétuo na Sibéria. Vieram a Primeira Guerra Mundial e a Revolução Bolchevique, que impediram que o assunto fosse posteriormente julgado.

Ele foi um Cristianismo universalista.[1][2] Berdyaev escreveu que:

Boa parte dos mestres orientais da Igreja, a partir de Clemente de Alexandria até Máximo, o Confessor, eram partidários da 'Apokatastisis', de reconciliação universal e ressureição. [...] No pensamento ortodoxo nunca foi suprimida a idéia de justiça divina e nunca esqueceu-se da idéia do amor Divino. Principalmente - não definem o homem do ponto de vista da justiça Divina, mas a partir da idéia de transfiguração e deificação do homem e do cosmos.[3]

Expulsão da RússiaEditar

Berdiaev não poderia aceitar o regime bolchevista porque seu autoritarismo e a dominação da liberdade pelo Estado, suprimindo as liberdades individuais não coadunavam com suas idéias. No entanto, ele aceitou as dificuldades do período revolucionário, como foi permitido, por enquanto, continuar a ensinar e escrever.

Sua filosofia fora caracterizada como Cristianismo existencialista. Ele preocupou-se com a criatividade e a liberdade individual como objeto dessa criatividade, onde essa oposição seria uma "coletivização e mecanização da sociedade".

Em setembro de 1922, Berdiaev selecionou um grupo de 160 proeminente escritores e universitários, intelectuais que o governo bolchevique considerava objetáveis, tendo forçado-os ao exílio no chamado 'philosophers ship'. Em geral, eles não eram partidários nem do Czarismo nem do regime dos bolcheviques, preferindo formas menos autocrático de governo. Foram incluídos os que defendiam a liberdade pessoal, desenvolvimento espiritual, ética cristã, e um caminho informado pela razão e guiada pela fé.

Exílio na FrançaEditar

Berdyaev, junto com outros exilados, primeiro foi a Berlim, mas as condições econômicas e políticas na Alemanha de Weimar levaram ​​ele e sua esposa para Paris em 1923. Lá ele fundou uma academia, ensinou, pregou, e escreveu, trabalhando para uma troca de idéias com a comunidade intelectual francês.

Durante a ocupação alemã da França, Berdyaev continuou a escrever livros que foram publicados após a guerra, alguns deles depois de sua morte. Nos anos que se passou em França, Berdyaev escreveu quinze livros, incluindo a maioria de suas obras mais importantes. Ele morreu em sua escrivaninha na sua casa, em Clamart, perto de Paris, em março de 1948.

LegadoEditar

Berdyaev influenciou muitos pensadores, mas seu trabalho também foi muitas vezes objeto de discussões polêmicas. Sua obra tem sido lida principalmente nos círculos de existencialismo [filosofia] e teologia Ortodoxa. Fora da compreensão de Berdyaev de livre e criatividade, Davor Dzalto desenvolveu a sua compreensão arte contemporânea e produção e sua importância para o ser humano. Ele é creditado com o desenvolvimento de uma influente escola de pensamento, às vezes chamado de realismo Místico, com influência dentro e fora da Rússia, mas especialmente refletir aspectos do pensamento filosófico russo não costumam ser vistos no Ocidente.

TrabalhosEditar

  • The Meaning of the Creative Act (1916) 1955
  • Dostoevsky (1923) 1934
  • The Meaning of History (1923) 1936
  • The End of Our Time [aka The New Middle Ages] (1924) 1933
  • Leontiev (1926) 1940
  • Freedom and the Spirit (1927-8) 1935
  • The Russian Revolution (1931)(anthology)
  • The Destiny of Man 1931 (1937)
  • Christianity and Class War 1931 (1933)
  • The Fate of Man in the Modern World (1934) 1938
  • Solitude and Society (1934) 1938
  • The Bourgeois Mind 1934 (anthology)
  • The Origin of Russian Communism (1937) 1955
  • Christianity and Anti-semitism (1938) 1952
  • Slavery and Freedom (1939)
  • The Russian Idea (1946) 1947
  • Spirit and Reality (1946) 1957
  • The Beginning and the End(1947) 1952
  • Towards a New Epoch" (1949) (anthology)
  • Dream and Reality: An Essay in Autobiography (1949) 1950
  • The Realm of Spirit and the Realm of Caesar (1949) 1952
  • The Divine and the Human (1949) 1952
  • Truth and Revelation (n.p.) 1953

Fontes:

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. Apokatastasis Theandros, O Jornal Online do Cristianismo Ortodoxo; teologia e filosofia. Acessado Aug. 12, 2007
  2. Sergeev, Mikhail."Temas da pós-modernidade na filosofia de Berdiaev". Religiões no leste europeu. Acessado Aug. 12, 2007
  3. Berdyaev, Nikolai. "The Truth of Orthodoxy". Acessado Aug. 12, 2007.

Trabalhos citadosEditar

  • N. Berdyaev. Dream and reality: An essay in autobiography. Bles, London, 1950.
  • M. A. Vallon. An apostle of freedom: Life and teachings of Nicolas Berdyaev. Philosophical Library, New York, 1960.
  • Lesley Chamberlain. Lenin's Private War: The Voyage of the Philosophy Steamer and the Exile of the Intelligentsia. St. Martin’s Press, New York, 2007.

Ligações externasEditar