Abrir menu principal

Os Deuses e os Mortos

filme de 1970 dirigido por Ruy Guerra
Os deuses e os mortos
 Brasil
1970 •  cor •  97 min 
Direção Ruy Guerra
Roteiro Ruy Guerra
Flávio Império
Elenco Othon Bastos
Norma Bengell
Monsueto
Ítala Nandi
Milton Nascimento
Dina Sfat
Nelson Xavier
Género drama
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Os deuses e os mortos é um filme brasileiro de 1970 dirigido por Ruy Guerra.

É considerado um filme do Cinema Novo. Foi indicado ao Urso de Ouro em Berlin e premiado em sete categorias no Festival de Cinema de Brasília, incluindo melhor filme, direção, ator (Othon Bastos), atriz (Dina Sfat), cenografia (Marcos Weinstock), fotografia (Lufti) e trilha sonora (Milton Nascimento[1].

EnredoEditar

O filme é uma batalha entre um Homem (Othon Bastos) e um império e o império é o grande vencedor. Passado no Sul da Bahia, nos anos 1930, é a história de um aventureiro sem nome, sete vezes baleado, que se intromete na luta entre dois clãs de grandes coronéis pela posse da terra do cacau. O Homem vem disposto a acirrar a luta e a tomar conta de tudo. É uma luta sem vencedores, um banho de sangue que também lhe custa a vida.

ElencoEditar

Prêmios e indicaçõesEditar

O filme ganhou o principal prêmio do VI Festival de Cinema de Brasília, o Candango como melhor filme, levando também o de melhor diretor para Ruy Guerra, melhor ator para Othon Bastos, melhor atriz para Dina Sfat e melhor fotografia para Dib Lufti.[carece de fontes?]

Referências