Abrir menu principal

Oscar Brandão da Rocha

Poeta, escritor e compositor
Oscar Brandão da Rocha
Nome completo Oscar Brandão da Rocha
Nascimento 11 de janeiro de 1882
Recife
Morte 7 de maio de 1956 (74 anos)
Recife
Residência Recife
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Maria Francisca das Neves Regueira Costa Brandão
Pai: José Brandão da Rocha (Desembargador)
Cônjuge Irene de Araújo Brandão
Filho(s) José Brandão da Rocha e Lúcia Brandão
Ocupação Advogado, poeta, jornalista, escritor e compositor
Principais trabalhos Hino de Pernambuco; Versos de Exaltação
Prémios 5.000$000 (Cinco contos de réis) pela letra do Hino de Pernambuco(1908)

Oscar Brandão da Rocha (Recife, 14 de janeiro de 1882[nota 1]7 de maio de 1956) foi um poeta, escritor, compositor pernambucano[3]. É o autor da letra do Hino de Pernambuco[nota 2].

Filho do desembargador José Brandão da Rocha, cursou Direito na Faculdade de Direito do Recife[3] e dedicou-se ao jornalismo. Desde jovem, dedicou-se a causas políticas, fato que pesou depois, na negativa ao pagamento de prêmio devido.[2][nota 3]

ProfissãoEditar

LiteraturaEditar

Poeta, era considerado um bom sonetista.

Ocupou a cadeira 24 da Academia Pernambucana de Letras.[5]

Integrou o Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco[6]

Publicou as seguintes obras:

  • A Caravana - Editora Recife, 1927
  • Exaltação à Poesia Sertaneja - Revista dos Tribunais, 1939[nota 5]
  • Versos de Exaltação - Imprensa Industrial, 1947
  • Vida e Obra de Joaquim Nabuco - G. I. Oficial, 1951

Hino de PernambucoEditar

No ano de 1908, o Governo de Pernambuco instituiu um concurso para pôr letra no Hino de Pernambuco, cuja música, de autoria de Nicolino Milano já era executada.

Concorreram dois poetas, cabendo a Oscar Brandão da Rocha o prêmio, à época, de 5.000$000 (cinco contos de réis)[7], prêmio esse que o poeta, em seu livro Versos de Exaltação[7] disse não ter recebido.[nota 6]

Em 30 de outubro de 1952, o prefeito do Recife, Jorge Bezerra Martins, assinou a Lei 2000, alterando o Artigo 1º da Lei 1872, de 9 de setembro daquele ano, e instituía um valor de Cr$ 10.000,00 (dez mil cruzeiros) a ser entregue ao autor da letra do Hino de Pernambuco, Oscar Brandão da Rocha, como auxílio a suas precárias condições de saúde. [8] [9]

Notas e referências

Notas

  1. A data de nascimento é controversa entre os biógrafos. Fernando Machado[1] cita 1884, enquanto Mauro Mota[2] refere-se a 1882. O seu neto, Mário Roberto Luz Brandão da Rocha, ao ser contactado, informou ser 1882 o ano de seu nascimento, coincidindo com a informação de Mauro Mota
  2. A música do Hino de Pernambuco foi composta pelo paulista Nicolino Milano, de ascendência italiana.
  3. Oscar Brandão era crítico político de Rosa e Silva e Sigismundo Gonçalves, e por diversas vezes escapou de tocaias e atentados contra sua pessoa por razões políticas. Esse confronto político foi causa também do boicote oficial à letra vencedora do Hino de Pernambuco, de sua autoria, com os órgãos governamentais divulgando a letra perdedora, do poeta Carlos Dias Fernandes.
  4. Oscar Brandão era considerado um grande tribuno popular na época.
  5. Exaltação à Poesia Sertaneja foi escrita em coautoria com Ulisses Lins.
  6. O outro poeta concorrente foi Carlos Dias Fernandes. A sua letra, embora perdedora, foi divulgada pelos governantes e por algum tempo cantada como a letra do Hino.

Referências

  1. Fernando Machado - De volta para o passado
  2. a b MOTA, Mauro - Centenário de Brandão. in Diario de Pernambuco, 17 de outubro de 1982
  3. a b c MORAIS, Lamartine de - Dicionário biobibliográfico de poetas pernambucanos - Recife: FUNDARPE, 1993.
  4. a b Diario de Pernambuco, edição 111, 1966.
  5. PARAÍSO, Rostand. Academia Pernambucana de Letras: sua história, v. 1. Recife: APL, 2006.
  6. ELIHIMAS, Aziz - O Hino de Pernambuco (A Bandeira e o Brasão) - Recife: (s. ed.), 1975.
  7. a b ROCHA, Oscar Brandão da - Versos de Exaltação - Recife: Imprensa Industrial, 1947.
  8. Lei 2000 / Recife
  9. Legiscidade

Ligações externasEditar