Pórtico de Vipsânia

Pórtico de Vipsânia (em latim: Porticus Vipsania) foi um pórtico da Roma Antiga edificado no lado oeste do Campo de Agripa, no lado leste da Via Lata, no Campo de Marte, em Roma. Foi iniciado por Vipsânia Pola, irmã do general e estadista Marco Vipsânio Agripa, e finalizado pelo imperador Augusto (r. 27 a.C.–14 d.C.) após 7 a.C..[1] Segundo Marcial, o pórtico localizava-se próximo a uma porta, talvez a Porta Quirinal, visível de sua residência, que situava-se no clivo que levava do Templo de Quirino ao Templo de Flora.[2]

Pórtico de Vipsânia
Tipo Pórtico
Construção século I a.C.
Promotor / construtor Vipsânia Pola e Augusto
Geografia
País Itália
Cidade Roma
Localização Região VII - Via Lata
Coordenadas 41° 53' 57" N 12° 28' 54" E
Pórtico de Vipsânia está localizado em: Roma
Pórtico de Vipsânia
Pórtico de Vipsânia

O Pórtico de Vipsânia abrigava um mapa, pintado ou mosaico, do mundo conhecido mandado preparar por Agripa,[3][4] bem como uma plantação de loureiros. Em 68-69, durante a crise provocada pelo Ano dos Quatro Imperadores, tropas sublevadas no exército ilírio acamparam no pórtico. Pelo século IV, o pórtico ainda existia e foi mencionado nos Catálogos Regionais corrompida de Pórtico de Gipsânio (em latim: Porticus Gypsaniani). Escavações realizadas nos anos 1920 revelaram vestígios, próximo à moderna Via do Tritão, duma colunata que teria formado a porção sul do pórtico.[1]

Mapa de AgripaEditar

A principal fonte sobre a obra geográfica de Agripa é Plínio, o Velho. Dos livros III a VI da História Natural, Plínio faz menção 30 vezes ao texto de Agripa no qual é fornecida as medições de diferentes partes do mundo (províncias, mares, ilhas, etc.) com algumas observações adicionais. Além disso, em duas ocasiões, Plínio faz menção à existência de uma carta no interior do Pórtico de Agripa.[5] Ele também designa o texto de Agripa como Comentários (em latim: Commentarii).[6]

Esse uso de cartas cartográficas em pórticos com o tempo seria imitado em algumas vilas romanas. O reitor do século III Eumênio, a discursar em 298 acerca da restauração das escolas, menciona longamente a presença de uma mapa num pórtico de Augustoduno (atual Autun) na Gália.[7]

LocalizaçãoEditar

Planimetria do Campo de Marte central


Referências

  1. a b Platner 1929, p. 430.
  2. Richardson 1992, p. 319.
  3. Cosme 2005, p. 210.
  4. Roddaz 1984, p. 291-293; 583-587.
  5. Plínio, o Velho século I, III.16-17; VI.139.
  6. Plínio, o Velho século I, III.17.
  7. Eumênio século III, V.20-21.

BibliografiaEditar

  • Eumênio (século III). Panegíricos. [S.l.: s.n.] 
  • Platner, Samuel Ball (1929). A Topographical Dictionary of Ancient Rome. Londres: Oxford University Press