Abrir menu principal

Palácio do Campo das Princesas

Palácio do Campo das Princesas
Tipo Residência oficial
Arquiteto Firmino Herculano de Morais Âncora
Inauguração 1841
Local Recife, Pernambuco,
 Brasil

O Palácio do Campo das Princesas é a sede administrativa do poder executivo do estado brasileiro de Pernambuco, localizada na cidade do Recife[1][2][3]. Idealizado desde 1786 pelo governador José César Meneses, foi construído em 1841 pelo engenheiro Morais Âncora, a mando do governador Francisco do Rego Barros, no local onde ficava o Erário Régio.

Localiza-se no bairro de Santo Antônio (Ilha de Antônio Vaz), na Praça da República, próximo ao Teatro de Santa Isabel e ao Palácio da Justiça.

À sua frente está plantado um baobá secular, possivelmente fonte de inspiração de Saint Exupéry quando escreveu O Pequeno Príncipe.[Nota 1][4][5] [6] [7]

HistóriaEditar

 
Fachada do Palácio do Campo das Princesas à noite.

Nas suas cercanias jaziam, a oeste, os escombros do que outrora foi o Palácio de Friburgo, sede do governo nassoviano durante as invasões holandesas.

Sua construção é datada de meados do século XIX, quando, em 1841, o então governador Francisco do Rego Barros, futuro Conde da Boa Vista, mandou o engenheiro Firmino Herculano de Morais Âncora construir o Palácio Provincial que a República transformaria em Palácio do Estado.[8]

Em 1859 sofreu uma reforma para hospedar o imperador Dom Pedro II, a imperatriz Dona Teresa Cristina de Bourbon-Duas Sicílias e suas filhas, ocasião em que recebeu o nome de Campo das Princesas[8], inicialmente dado ao jardim, depois estendendo-se a denominação ao Palácio.

 
Vista aérea da Praça da República, na Ilha de Antônio Vaz. O Palácio do Campo das Princesas está situado próximo à margem da confluência do Rio Capibaribe com o Rio Beberibe.

No ano de 1920, o prédio foi amplamente reformado, ocasião em que se construiu mais um pavimento, a fim de abranger todo o corpo do edifício, dando-lhe mais amplitude. Tais obras foram concluídas somente em 1922, durante o governo interino de Severino Pinheiro, devido à morte do governador José Rufino Bezerra Cavalcanti.

Entre 1926 e 1930, no governo de Estácio Coimbra o palácio foi remodelado, decorado e mobiliado.

No ano de 1967, o palácio chegou a servir de sede para o governo da República, na época do presidente Arthur da Costa e Silva e do) governador (Nilo de Sousa Coelho)

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

NotasEditar

  1. Há histórias que dizem ser o Baobá da Praça da República, outras falam do baobá de Natal, que é maior que o recifense, pois há relatos de que Sain Exupéry visitou ambas as cidades quando estava escrevendo "O Pequeno Príncipe".

Referências