Abrir menu principal

Ducado do Palatinado-Zweibrücken

(Redirecionado de Palatinado-Zweibrücken)



Herzogtum Pfalz-Zweibrücken
Ducado do Palatinado-Zweibrücken

Estado do Sacro Império Romano

Wappen Zweibrücken.svg
 
Wappen Grafschaft Veldenz.svg
1444 – 1801 Flag of France.svg

Brasão de Palatinado-Zweibrücken

Brasão

Localização de Palatinado-Zweibrücken
Continente Europa
Região Europa Central
País Alemanha
Capital Zweibrücken
Governo Ducado
História
 • 1444 Separação do Separação do Palatinado-Simmern e do Palatinado-Zweibrücken e unificação com Veldenz
 • 1801 Anexado pela França

O Ducado do Palatinado-Zweibrücken ou simplesmente Palatinado-Zweibrücken (em alemão: Pfalz-Zweibrücken) foi um antigo estado do Sacro Império Romano. Sua capital era Zweibrücken (em francês: Deux-Ponts). Sua casa reinante, um ramo da dinastia Wittelsbach, foi também a da Casa Real da Suécia de 1654 a 1720.[1]

Índice

Lista de Duques do Palatinado-ZweibrückenEditar

 
Carlos II Augusto (1775-1795).

Casa de WittelsbachEditar

Linhagem Palatinado-Zweibrücken

Linhagem Palatinado-Zweibrücken-Landsberg

Linhagem Palatinado-Zweibrücken-Kleeburg

  • 1681-1697: Carlos I, também rei da Suécia como Carlos XI
  • 1697-1718: Carlos II, também rei de Suécia como Carlos XII
  • 1718-1731: Gustavo

Linhagem do Palatinado-Birkenfeld-Bischweiler

Escudo de armasEditar

 
Escudo de armas do Palatinado-Zweibrücken (1720).

Cerca de 1720, o Palatinado-Zweibrücken incluíu no seu escudo de armas os símbolos dos Ducados Unidos de Jülich-Cleves-Berg. Assim a descrição heraldica seria: Partido, no primeiro, escurtelado com o Leão Palatino em I e IV, e os losangulos da Baviera em II e III e, sobre o todo, o escudo com o Leão azure coroado em campo de prata pela própria Zweibrücken. No segundo, partido e depois duas vezes cortado, estando em cima o leão negro em campo de ouro (Jülich), o Carbúnculo (Cleves), e o leão de gules em campo de prata (Berg); e em baixo a franja axedrezada de gules e prata em campo de ouro (Mark), a asna tripla de gules em campo de prata (Ravensberg) e a barra de Moers.[3]

ReferênciasEditar

  1. Huberty, Michel; Giraud, Alain; Magdelaine, F. e B. (1985). L'Allemagne Dynastique, Tome IV Wittelsbach (em francês). Paris: Laballery. p. 37-40. ISBN 2-901138-04-7 
  2. A sucessão de Cristiano III foi disputada e só foi reconhecida por todas as linhas do Ramo Palatino em 1733, pelo acordo de Mannheim
  3. Georg Christian Joannis: Kalenderarbeiten, Zweibrücken 1825, p. 15 ff Online

Ver tambémEditar