Abrir menu principal

Palazzo Mattei-Caetani

Palazzo Mattei-Caetani, conhecido originalmente como Palazzo di Alessandro Mattei e hoje como Palazzo Caetani, é um palácio maneirista localizado no número 32 da Via delle Botteghe Oscure, no rione Sant'Angelo de Roma[1].

É parte da chamada Isola Mattei, um quarteirão inteiro ocupado por vários palácios da família Mattei (os outros são o Palazzo di Giacomo Mattei, o Palazzo Mattei di Giove e o Palazzo Mattei di Paganica). Além disto, a família ainda era proprietária do Palazzo Mattei di Trastevere, do outro lado do Tibre, e de várias outras propriedades na Úmbria[2].

HistóriaEditar

O palácio foi construído em 1564 por Alessandro Mattei, filho de Asdrubale Mattei, marquês de Giove, com base num projeto antigamente atribuído a Bartolomeo Ammannati[2], mas que hoje acredita-se ter sido de Giovanni ou seu filho Annibale Lippi. O projeto é similar aos do Palazzo Ruspoli e do Palazzo Sacchetti[3][4]. Em 1683, o palácio passou para a família Negroni, em 1753 aos marqueses de Durazzo, em 1760 ao condes Serbelloni e, finalmente, em 1776 aos Caetani, duques de Sermoneta e príncipes de Teano, ainda hoje os proprietários[2]. O comprador foi Francesco Caetani, um parente distante do papa Bonifácio VIII que colocou o nome da família sobre o portal de entrada do edifício[3].

 
Portal com a inscrição "CAETANI".

Entre os principais membros da família que viveram estão Michelangelo Caetani (que deu nome à vizinha Via Michelangelo Caetani), um membro do governo italiano em 1870 apesar de já estar cego[4], e o príncipe Onorato Caetani, prefeito de Roma e ministro do exterior em 1896[2]. O palácio abrigou, na segunda metade do século XVIII, um observatório astronômico "para registrar cotidianamente o vento, a precipitação atmosférica, a temperatura e a pressão"[3].

No século XX, o palácio abrigou a Fondazione Camillo Caetani, que promove iniciativas culturais e famosa nas décadas de 1950 e 1960 por editar uma importante revista literária italiana chamada "Botteghe Oscure". Depois que a família se extinguiu, em 1994, o palácio passou a abrigar também a Fondazione Roffredo Caetani, que administra os bens pertencentes à família Caetani, incluindo o próprio palácio, o Castello Caetani di Sermoneta e a "cidade fantasma" de Ninfa[4][3].

DescriçãoEditar

O edifício se apresenta em três pisos, com um sóbio portal arquitravado com quatro janelas gradeadas de cada lado no piso térreo. A fachada é coroada por um beiral suportado por mísulas enquanto que o interior conserva dois pátios com alguns fragmentos antigos[2]. O primeiro conta com três andares de arcadas e o segundo abriga uma fonte e vários mármores antigos[4].

Referências

  1. «Palazzo Mattei Caetani» (em italiano). InfoRoma 
  2. a b c d e «Via delle Botteghe Oscure» (em italiano). Roma Segreta 
  3. a b c d «S. Lucia alle Botteghe Oscure» (em inglês). Rome Art Lover 
  4. a b c d «Palazzo Caetani» (em inglês). Rome Tour