Abrir menu principal
Paulistinha P-56 / CAP-4
Avião
Paulistinha no Museu TAM
Descrição
Tipo / Missão Treinamento/Turismo
País de origem Brasil
Fabricante Companhia Aeronáutica Paulista
Primeiro voo em 1941 (78 anos)
Tripulação 2
Especificações
Dimensões
Comprimento 6,76 m (22,2 ft)
Envergadura 10,76 m (35,3 ft)
Altura 2,08 m (6,82 ft)
Peso(s)
Peso vazio 434 kg (957 lb)
Propulsão
Motor(es) Avco Lycoming O - 235 - N2A, Continental C90 8F, de 90 hp, Continental C90 14F, também de 90 hp, Lycoming O235B, de 100 hp, Lycoming de 115 hp e Lycoming O320, de 150 hp[1]
Potência (por motor) 103 hp (76,8 kW)
Performance
Velocidade máxima 220 km/h (119 kn)
Velocidade de cruzeiro 137 km/h (73,9 kn)
Alcance (MTOW) 263 km (163 mi)

O Paulistinha CAP-4 é um avião monomotor a pistão, de asa alta, desenvolvido e fabricado pela Companhia Aeronáutica Paulista, nos modelos CAP-4,[2] e posteriormente pela Neiva, no modelo P-56 C.

É considerada uma das aeronaves treinadoras de maior sucesso no Brasil, tendo formado diversas gerações de pilotos. Seu projeto foi coordenado por Romeu Corsini, da USP. Em 1955, a Neiva adquiriu os direitos de fabricação, lançando uma versão batizada de Paulistinha 56 ou Neiva 56, esta operada pela Força Aérea Brasileira, entre 1959 e 1967.[3]

DescriçãoEditar

É um avião monomotor de asa alta, semi-cantiléver, de madeira revestida em tela e fuselagem em tubos de aço, também com revestimento em tela, trem de pouso fixo convencional, hélice de passo fixo e acomodação para dois pilotos em tandem.[4]

VersõesEditar

  1. Turismo e Instrução Primária
  2. Reboque de planadores

ConfiguraçãoEditar

 
As informações técnicas aqui contidas têm caráter meramente informativo e não devem ser utilizadas como parâmetros para voo real em hipótese alguma.
Consulte sempre os manuais originais e atualizados da aeronave.

[5][6]

Pesos operacionais máximosEditar

Peso máximo de decolagem na categoria normal 660 kg
Peso máximo de decolagem na categoria utilidade 587 kg
Peso básico vazio 434 kg
Peso máximo no bagageiro 35 kg

TripulaçãoEditar

Normalmente a tripulação consiste em um piloto no assento dianteiro (ou traseiro, dependendo da versão).

Comandos de vooEditar

Superfícies primáriasEditar

Superfícies secundáriasEditar

  • Compensador do profundor
  • Alavanca localizada a esquerda da cabine entre os dois assentos com indicador de posição.

InstrumentosEditar

Em sua versão básica, a aeronave é equipada com os seguintes instrumentos no painel (da esquerda para a direita)

O velocímetro e o altímetro têm suas tomadas de pressão estática localizadas dentro da própria cabine[nota 1]. A tomada de pressão total do velocímetro está fixada no estal do montante sob o bordo de ataque da asa direita.

Ver tambémEditar

NotasEditar

  1. O que causa variação significativa nas indicações de velocidade e altitude caso a janela seja aberta durante o voo.

ReferênciasEditar

  1. «O Paulistinha - O avião mais popular do Brasil». Consultado em 14 de Julho de 2010 
  2. «O Proverbial e Inesquecível Paulistinha - Breve testemunho particular». Consultado em 14 de Julho de 2010 
  3. [http://www.aviacaopaulista.com/aeronaves/paulistinha.htm
  4. «Vencendo o Azul - A História da Indústria e Ttecnologia Aeronáuticas - A Companhia Aeronáutica Paulista». Consultado em 14 de julho de 2010 ]
  5. Aeroclube de Eldorado do Sul (2006). Manual de Voo. NE56C Paulistinha. Eldorado do Sul, RS - Brasil: [s.n.] 9 páginas 
  6. Aeromot - Aeronaves e Motores Ltda. (1985). Neiva Paulistinha P56R/84. Suplemento do manual de operação aprovado pelo CTA. Porto Alegre, RS - Brasil: [s.n.] 33 páginas 

Ligações externasEditar

  A Wikipédia possui o