Abrir menu principal

BiografiaEditar

Um dos constitucionalistas mais respeitados do País, é autor de, dentre várias outras obras, Ciência Política e Curso de Direito Constitucional, duas das doutrinas mais tradicionais do pensamento de Bonavides. Casado com Yeda Satyro Benevides, com quem teve sete filhos (Paulo, Márcio, Clóvis, Vera, Gláucia, Doralice e Marília).[1][2]

Iniciou seus estudos jurídicos, em 1943, na Faculdade Nacional de Direito, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde bacharelou-se em 1948. Durante a graduação, realizou também curso de extensão em Sociologia Jurídica na Harvard University, entre 1944 e 1945.[3][4]

Começou sua carreira docente em 1950, como professor de Ensino Médio na disciplina de Sociologia, no Instituto de Educação Justiniano de Serpa, prestando seus serviços como concursado de 1951 a 1958. Nos anos letivos de 1951 e 1952, fez-se professor do Seminário Românico da Universidade de Heidelberg, na Alemanha; e, no Brasil, começou a lecionar no Ensino Superior em 1956, como professor assistente de Introdução à Ciência do Direito na Universidade Federal do Ceará, isto após a conquista da Livre-Docência, com a tese: Dos Fins do Estado. Pela mesma instituição, no ano de 1958, conquistou os títulos de Doutor e Professor Catedrático, com a tese: Do Estado Liberal ao Estado Social, e passou a ministrar a disciplina de Teoria Geral do Estado. Quando da criação do Mestrado em Direito da universidade, em 1978, passou a ministrar a disciplina de Filosofia do Direito. Também foi professor visitante na Universität zu Köln, na University of Tennessee e na Universidade de Coimbra.[5]

Sobre a obra de Paulo Bonavides, existem várias fontes a serem consultadas, destacando-se a sua biografia, Paulo Bonavides, escrita por Antonio Carlos Klein (Fortaleza, Edições Demócrito Rocha, 2003); e a tese de Livre Docência do professor Dimas Macedo: El Pensamiento Político de Paulo Bonavides (México: Universidade de Puebla, 2010; 3ª ed. Buenos Aires: UBA, 2014), publicada no Brasil pela Editora Malheiros, de São Paulo, com o titulo: Estado de Direito e Constituição - O Pensamento de Paulo Bonavides (São Paulo: Editora Malheiros, 2010).[6]

Sua influência no pensamento jurídico nacional e internacional o levou a inúmeras condecorações, sendo Doutor honoris causa pela Universidade de Lisboa, Universidade Federal do Rio de Janeiro, e Universidade de Fortaleza. Também é comendador das maiores honras jurídicas do cenário nacional, a Medalha Rui Barbosa da [Ordem dos Advogados do Brasil] e a Medalha Teixeira de Freitas do [Instituto dos Advogados Brasileiros], além de várias outras, como o Grande-Colar do Mérito do [Tribunal de Contas da União], a Medalha da Abolição do [Governo do Estado do Ceará], a Medalha Clóvis Beviláqua do [Tribunal de Justiça do Estado do Ceará] etc.[3]

Bonavides é membro da Academia Cearense de Letras, cadeira 17.[7]

ObraEditar

  • Universidades da América, 1948.
  • The Golden Age of Journalism in English Literature, 1950.
  • O Tempo e os Homens, 1952
  • Dos Fins do Estado, 1955
  • Do Estado Liberal ao Estado Social, 1958
  • Ciência Política, 1967
  • Teoria do Estado, 1967
  • A Crise Política Brasileira, 1969
  • Reflexões: Política e Direito, 1973
  • Textos Políticos de História do Brasil, 1973
  • Direito Constitucional, 1980
  • Norma Jurídica e Análise Lógica: Correspondência Kelsen-Klug, 1984
  • Política e Constituição, 1985
  • Constituinte e Constituição, 1986.
  • Demócrito Rocha: Uma Vocaçao Para a Liberdade, 1988.
  • História Constitucional do Brasil (com Paes de Andrade), 1988.
  • A Constituição Aberta, 1993
  • Curso de Direito Constitucional, 1993
  • Do País Constitucional ao País Neocolonial, 1999.
  • Teoria Constitucional da Democracia Participativa, 2001.
  • Os Poderes Desarmados, 2002.
  • La Depoliticizzazione Della Legittimità. Lece: Editore Pensar, 2007.
  • Constitutuição e Normatividade dos Princípios, 2012.

Referências