Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outros significados de Pedro Augusto, veja Pedro Augusto.
Pedro Augusto
Deputado Estadual do Rio de Janeiro Membro da Mesa Diretora da ALERJ (4° Secretário)
Período 1 de fevereiro de 1999
até 31 de janeiro de 2019
(5 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nome completo Pedro Augusto Palareti
Nascimento 8 de maio de 1963 (56 anos)
Bandeira de Ribeirão Preto.svg Ribeirão Preto, SP
Nacionalidade brasileiro
Partido PSD
Religião Católico
Profissão Radialista

Pedro Augusto Palareti (Ribeirão Preto, 8 de maio de 1963) é um comunicador e político brasileiro. É conhecido por seus trabalhos na Super Rádio Tupi.

Índice

BiografiaEditar

Sua carreira começou aos 16 anos na Rádio Renascença em Ribeirão Preto. Na cidade de São Paulo trabalhou durante 11 anos na Rádio América. Desde 1991 está na Super Rádio Tupi. Pedro Augusto é conhecido como "O Romeiro de Aparecida" pela sua devoção à Nossa Senhora Aparecida e por promover caravanas à Basílica de Aparecida.

Foi Deputado Estadual do Rio de Janeiro pelo PSD, e era o 4° Sécretario da Mesa Diretora da ALERJ. Seu primeiro mandato foi conquistado em 1998, sendo o sétimo mais votado do seu partido, na época o PFL. Na sua segunda disputa em 2002, foi eleito Deputado Estadual pelo PMDB com 77.517 votos, sendo o quarto deputado mais votado em todo o estado. Em 2006, na disputa pelo seu terceiro mandato consecutivo para a Assembleia Legislativa, Pedro Augusto foi o primeiro mais votado do PMDB e o segundo em todo o estado, alcançando a votação de 115.051 votos. Reelegeu-se para o cargo na Alerj, em 2010, com 111.407 votos, pelo PMDB [1] e em 2014 obteve êxito novamente, agora para seu quinto mandado e de forma consecutiva, compondo na atual Legislatura 2015/2019 a Mesa Diretora da ALERJ. Migrou em abril de 2018 para o Partido Social Democrático - PSD.

Na Super Rádio Tupi, o Show do Pedro Augusto [2] é o programa de maior audiência do rádio brasileiro, com uma média de 1.000.000 de ouvintes por minuto, segundo pesquisas do Ibope. O programa que vai ao ar de segunda a sábado das 13h às 15h é dividido em duas partes que geram polêmica e são ingredientes para o sucesso: A primeira hora do programa é repleta de denúncias da população sobre buracos, falta de água, energia e coisas similares. Já na segunda hora, que se inicia as 14h, é formada a maior corrente de fé do rádio quando na oportunidade o comunicador inicia as orações da Vela Milagrosa, das Mãos Ensanguentadas de Jesus, de Nossa Senhora Aparecida e o ápice que é a Ave Maria. Em 2016 estreou como colunista no Jornal Meia Hora nas edições de Terças e Sábados (Coluna Socorro Pedro Augusto).

Pedro Augusto também é empresário de uma rede de lojas direcionadas ao catolicismo.[3] Cantor, já gravou 4 CDs atingindo a marca de 100 mil cópias vendidas. Além dos trabalhos profissionais, Pedro mantem uma associação que faz doações diárias para instituições e pessoas que precisam de leite, cadeiras de rodas, nebulizadores e alimentos. 80% dos donativos doados são provenientes dos ouvintes do comunicador.

Em 2011 ele foi apresentador do programa Canal Urgente na TV Alterosa[4], onde foi considerado um fenômeno de audiência, porém, optou por continuar os trabalhos sociais que mantém no estado do RJ e dedicar-se ainda mais para sua maior paixão, o Rádio.

Reeleito deputado estadual em 2014 para a legislatura 2015-2019, em abril de 2015, votou a favor da nomeação de Domingos Brazão para o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, nomeação que foi muito criticada na época.[5]

No dia 20 de fevereiro de 2017, votou a favor da privatização da CEDAE. [6][7] Em 17 de novembro de 2017, votou pela revogação da prisão dos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, denunciados na Operação Cadeia Velha, acusados de integrar esquema criminoso que contava com a participação de agentes públicos dos poderes Executivo e do Legislativo, inclusive do Tribunal de Contas, e de grandes empresários da construção civil e do setor de transporte.[8]

Após anos afastado da televisão, estreou no dia 26 de fevereiro de 2018 o Programa Pedro Augusto, exibido pela Band para todo o Rio de Janeiro. A atração saiu do ar em 01 de junho, sendo substituído pelo Fala Baixada, que assumiu seu horário de exibição.

Nas eleições de 2018, Pedro Augusto foi candidato a deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro, no entanto não foi eleito para a 56ª legislatura (2019–2023) da Câmara dos Deputados do Brasil. No pleito, como candidato do Partido Social Democrático (PSD), Pedro obteve 36.382 votos, ficando inicialmente com a 1ª suplência do partido.[9][10]

ControvérsiasEditar

Relatório sobre transações bancárias suspeitasEditar

Em dezembro de 2018, veio à tona um relatório de 422 páginas do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que havia sido anexado pelo Ministério Público Federal à investigação que origem à Operação Furna da Onça e que ganhou grande repercussão nacional por envolver um ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.[11] O documento reúne informações a respeito de operações bancárias de 75 funcionários e ex-servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) citadas em comunicados sobre transações financeiras suspeitas. As operações suspeitas, que envolvem pessoas que trabalham ou trabalharam em 20 gabinetes de deputados estaduais do Rio de Janeiro de diferentes matizes ideológicas, totalizam mais de R$ 207 milhões.[12][13][nota 1]

O relatório do Coaf apontou que funcionários do gabinete de Pedro Augusto na Alerj movimentaram um total de R$ 4,1 milhões entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017. Por meio de nota, Pedro informou que nunca se envolveu em atos de irregularidade em sua vida pública, que repudia veementemente qualquer ato de irregularidade e que está à disposição para qualquer esclarecimento.[14][13] Já o Ministério Público Federal, em nota, esclareceu que nem todas as movimentações atípicas citadas no documento seriam, necessariamente, ilícitas.[15]

Notas e referências

Notas

  1. Para mais informações acerca das movimentações atípicas apontadas pelo relatório do Coaf, veja a subseção Operação Furna da Onça#Relatório sobre transações bancárias suspeitas.

Referências

  1. «UOL - Eleições 2010 - Apuração - Rio de Janeiro». Consultado em 6 de outubro de 2010 
  2. «Show do Pedro Augusto - Super Rádio Tupi». Consultado em 6 de outubro de 2010. Arquivado do original em 25 de novembro de 2011 
  3. «Site Oficial - Pedro Augusto». Consultado em 6 de outubro de 2010 
  4. http://www.sbtpedia.com.br/2011/07/pedro-augusto-fala-sobre-novo-canal.html Pedro Augusto fala sobre novo Canal Urgente, da TV Alterosa. SBTpédia.
  5. Pedro Zuazo (29 de abril de 2015). «Conselheiro vapt-vupt: veja quem votou em Brazão para o TCE». Jornal Extra. Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  6. Jornal Extra (20 de fevereiro de 2017). «Privatização da CEDAE aprovada na ALERJ». Consultado em 20 de fevereiro de 2017 
  7. G1 (20 de fevereiro de 2017). «Saiba como votou cada deputado sobre a privatização da Cedae e veja opiniões». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  8. G1 (17 de novembro de 2017). «ALERJ revoga prisões de Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi». Consultado em 17 de novembro de 2017 
  9. «Senadores e deputados federais/estaduais eleitos: Apuração e resultado das Eleições 2018 RJ». UOL. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  10. «Deputados federais eleitos no Rio de Janeiro». Gazeta do Povo. 7 de outubro de 2018. Consultado em 19 de dezembro de 2018 
  11. Serapião, Fábio (6 de dezembro de 2018). «Coaf relata conta de ex-assessor de Flávio Bolsonaro». O Estado de S. Paulo. Consultado em 15 de dezembro de 2018 
  12. «Coaf aponta movimentação suspeita em contas de servidores de 22 deputados da Alerj». G1. 7 de dezembro de 2018. Consultado em 15 de dezembro de 2018 
  13. a b Piva, Juliana; Castro, Juliana; Mello, Igor (12 de dezembro de 2018). «Coaf identificou movimentação suspeita em transferências financeiras de 75 servidores da Alerj». O Globo. Consultado em 15 de dezembro de 2018 
  14. Nogueira, Italo (12 de dezembro de 2018). «PSC, PT e PSOL aparecem em relatório do Coaf». Folha de S.Paulo. Consultado em 18 de dezembro de 2018 
  15. Gomes, Marcelo; Sarza, Diego (6 de dezembro de 2018). «Coaf aponta que ex-motorista de Flávio Bolsonaro movimentou mais de R$ 1,2 milhão em operações suspeitas». G1. Consultado em 18 de dezembro de 2018 

Ligações externasEditar