Abrir menu principal
Placa Sul-Americana

Placa Sul-americana é uma placa tectônica que abriga a América do Sul e se estende a leste até à Dorsal Mesoatlântica. A placa tem uma área de 43,6 milhões de quilômetros quadrados.[1] No centro do continente, mede 200 quilômetros de espessura e na borda da placa, com a África, os terrenos mais jovens não passam de 15 quilômetros.

A fronteira leste é um limite divergente com a placa africana, formando a parte meridional da Dorsal Média Atlântica. A fronteira sul é um limite com a placa antárctica e com a placa de Scotia. A fronteira oeste é um limite convergente com a placa de Nazca, que se afunda sob a sul-americana. A fronteira norte é um limite com a placa caribenha.

A ocidente, a placa de Farallon tem vindo a afundar-se sob a placa sul-americana desde o período Jurássico. Os restos dessa placa (hoje conhecidos por placa de Cocos) e a placa de Nazca continuam ainda hoje a afundar-se sob o bordo ocidental da placa sul-americana.

A Placa Sul-Americana está movendo-se para oeste longe da dorsal meso-atlântica. A placa se move em direção às placas de Nazca e do Pacífico a uma taxa de 77 mm por ano.[2] Esta colisão de placas é responsável por ter criado a cordilheira dos Andes e por ter causado os vários vulcões que existem ao longo dela.

Ver tambémEditar

Referências

  1. [1]
  2. Pisco, Peru, Earthquake of August 15, 2007: Lifeline Performance. Reston, VA: ASCE, Technical Council on Lifeline Earthquake Engineering. ISBN 9780784410615. Consultado em 30 de agosto de 2015. Arquivado do original em 14 de novembro de 2012 

Ligações externasEditar