Abrir menu principal
Praia de Barra Nova

Barra Nova é uma vila do município de São Mateus. Lá localiza-se uma praia, de mesmo nome, muito procurada por turistas que procuram paz e tranquilidade. Constui-se numa das mais belas de São Mateus. Sua beleza está nos manguezais e na baía que ali se formou por ocasião da abertura da barra artificial. É bastante procurada por turistas que procuram paz e sossego. Entre a praia de Barra Nova e a de Guriri encontra-se as praias do Caramujo, Oitezeiro, Brejo Velho, Aldeia do Coco, Ranchinho e Gameleira. Quase todas são agrestes, com área de restinga bastante devastada.

Também encontra-se nessa localidade a foz do Rio Mariricu, formada artificialmente em meados do século XX com o intuito de drenar a região da Suruaca. A partir da criação dessa foz formou-se a Ilha de Guriri, maior ilha do estado do Espírito Santo.

Ler artigo»

Igreja Velha de São Mateus.

São Mateus é o segundo município mais antigo e nono mais polpuloso do estado do Espírito Santo, Brasil. Foi fundado em 21 de setembro de 1544, recebendo autonomia municipal apenas em 1764. Originalmente, chamava-se Povoado do Cricaré, sendo rebatizado no ano de 1566 por Padre José de Anchieta para o nome de São Mateus. Sua população atual gira em torno dos 101 mil habitantes.

É considerado o município com a maior população negra do estado. Tal fato se dá, pois, até a segunda metade do século XIX, o Porto de São Mateus era uma das principais portas de entrada de negros no Brasil. Também há a forte presença de italianos, que são responsáveis pela colonização de grande parte dos sertões mateenses.

Ler artigo»

Vitória

Vitória é a capital do estado do Espírito Santo, e uma das três ilhas-capitais do Brasil (as outras são Florianópolis e São Luís). Está localizada na Região Sudeste. Situada a 20º19'09' de latitude sul e 40°20'50' de longitude oeste, Vitória limita-se ao norte com o município da Serra, ao sul com Vila Velha, a leste com o Oceano Atlântico e a oeste com Cariacica.

Com uma população de 320.156 habitantes, segundo estimativas de 2009 do IBGE, a cidade é a quarta mais populosa do estado (atrás dos municípios limítrofes de sua região metropolitana: Vila Velha, Serra e Cariacica) e integra uma área geográfica de grande nível de urbanização denominada Região Metropolitana da Grande Vitória, compreendida pelos municípios de Vitória, Cariacica, Fundão, Guarapari, Serra, Viana e Vila Velha.

Ler artigo»

Igreja Matriz de São Pedro

Baixo Guandu é um município brasileiro no interior do estado do Espírito Santo, Região Sudeste do país. Pertence à Mesorregião do Noroeste Espírito-Santense e Microrregião de Colatina e localiza-se a oeste da capital do estado, distando desta cerca de 180 km. Ocupa uma área de 917,07 km², sendo que 6,48 km² estão em perímetro urbano, e sua população foi estimada em 2016 em 31 633 habitantes.

A região começou a ser desbravada no final do século XVIII, porém foi somente na segunda metade do século XIX que ocorreu de fato o povoamento do lugar, em decorrência dos constantes conflitos com os índios botocudos. Na década de 1870, sob incentivo de José Vieira de Carvalho, vieram para as terras guanduenses fluminenses do município de Cantagalo, que fundaram colônias onde cultivavam cereais, cana de açúcar e o café. Pouco tempo depois vieram imigrantes, em sua maioria italianos, que também colaboraram no desenvolvimento das culturas agrícolas. Em decorrência do crescimento econômico e social, em 1915 foi criado o distrito de Baixo Guandu, subordinado a Colatina, que veio a ser emancipado em 1935.

Ler artigo»

Desenho de uma "cassáca" feita pelo imperador Pedro II em visita a Nova Almeida

A casaca é um instrumento musical de percussão da classe dos idiofones, feito de madeira.

Trata-se de um reco-reco de cabeça e pescoço, simulando o corpo de uma pessoa, com cabeça grotesca. Um dos lados da parte correspondente ao corpo possui talhos transversais (que lembram as costelas de uma pessoa) sobre os quais se corre uma vareta, extraindo-se desse atrito um som único e intermitente que dá individualidade ao instrumento.

Ler artigo»