Quique Flores

futebolista espanhol

Enrique Sánchez "Quique" Flores (Madrid, 5 de fevereiro de 1965) é um ex-futebolista e treinador de futebol espanhol. Oriundo de uma família ligada à música popular espanhola, é filho da cantora Carmen Flores, e sobrinho de Lola Flores, sendo ainda afilhado de Alfredo Di Stefano. Atualmente está treinando o Sevilla.

Quique Flores
Quique Flores
Quique Flores em 2010
Informações pessoais
Nome completo Enrique Sánchez Flores
Data de nasc. 5 de fevereiro de 1965 (59 anos)
Local de nasc. Madrid, Espanha
Nacionalidade espanhol
Altura 1,76 m
Apelido Quique
Informações profissionais
Clube atual Sevilla
Posição Defesa
Função Treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1984–1994
1994–1996
1996–1997
Valencia
Real Madrid
Zaragoza
0232 000(14)
0063 0000(2)
0009 0000(0)
Seleção nacional
1987–1991 Espanha 0015 0000(0)
Times/clubes que treinou
2003–2005
2005–2007
2008–2009
2009–2011
2011–2013
2013–2014
2015
2015–2016
2016–2018
2019
2019–2020
2021–2023
2023–
Getafe
Valencia
Benfica
Atlético de Madrid
Al-Ahli
Al Ain
Getafe
Watford
Espanyol
Shanghai Shenhua
Watford
Getafe
Sevilla

Carreira editar

Jogador editar

Durante sua carreira de jogador passou dez temporadas no Valencia.

Em 1994, mudou-se para o Real Madrid onde iria ficar por duas temporadas e ganhar o título da liga em 1995. Na sequência do seu tempo em Madrid, Flores teve uma breve passagem pelo Zaragoza antes de optar pela carreira de treinador.

Teve 15 internacionalizações pela Selecção Espanhola, tendo sido convocado para a equipa nacional que foi à Copa do Mundo FIFA de 1990.[1]

Treinador editar

Quique seguiu os passos de um dos seus antecessores em Valencia, Rafael Benítez, tendo a cargo da equipa juvenil do Real Madrid. Depois de ganhar aplausos durante o seu tempo com a equipe juvenil, Flores foi abordado sobre o trabalho do gestor em recém-promovido clube Getafe.

Após uma impressionante temporada 2004-05 com Getafe, que conseguiu terminar um respeitável 13 º lugar, foi-lhe dada a oportunidade de treinar o antigo clube, Valencia, sucedendo a Claudio Ranieri.

Na primeira temporada, o clube de Quique ficou no terceiro lugar em La Liga. Este desempenho qualificou do clube para a Liga dos Campeões da UEFA de 2006-07 onde o Valencia onde atingiu os quartos de final. Em 29 de outubro de 2007, o conselho de administração Valencia despediu-o.

A 24 de maio de 2008 foi apresentado como treinador do Benfica e assinou um contrato de dois anos com mais um de opção onde citou a necessidade de ser ambiciosos mas coerentes.[2] No entanto, em junho de 2009 o clube e o treinador acertaram um rescisão amigável.[3]

Em outubro de 2009 foi anunciado como treinador do Atlético de Madrid. Apesar de conseguir montar um time forte e conquistar títulos, no final da temporada 2010-11, Flores acaba sendo demitido por problemas internos.[4]

Passou a atua no futebol dos Emirados Árabes Unidos comandando o Al-Ahli entre 2011 e 2013, onde conquistou a Taça do Presidente e terminou o campeonato nacional em segundo lugar em 2013.[5]

Em setembro do mesmo ano é contratado por dois anos pelo Al Ain também dos Emirados,[6] porém permaneceu até junho de 2014.[7]

Em janeiro de 2015 volta a comandar o Getafe.[8] No entanto, deixou o clube somente dois meses depois por decisão pessoal.[9]

Em junho de 2015 passou a comandar o Watford, recém promovido a Premier League.[10][11] A equipe terminou em 13º lugar na Premier League de 2015–16 e o clube não renovou seu contrato.[12]

Em 9 de junho de 2016 o Espanyol o contratou até junho de 2019.[13]

Títulos editar

Como jogador editar

Valencia

Real Madrid

Spain U21

Como treinador editar

Benfica

Atlético Madrid

Al Ahli

Al Ain

Individual

Referências

  1. «Perfil na BDF». Consultado em 4 de março de 2016 
  2. SLBenfica.pt - Quique Sánchez Flores é o treinador para os próximos dois anos
  3. SLBenfica e CMVM (8 de Junho de 2009). «Comunicado» (PDF) 
  4. ClubAtleticoDeMadrid.com (23 de outubro de 2009). «Quique Flores será presentado el lunes como nuevo entrenador del Atlético de Madrid» (em espanhol) 
  5. «Quique Flores abandona o Al Ahli». Recordf. 11 de junho de 2013 
  6. «Quique Flores apresentado no Al Ain». TVI24. 29 de setembro de 2013 
  7. «Quique Sánchez Flores dejará el Al Ain en junio» (em espanhol). El Periodico. 10 de março de 2014 
  8. DN (5 de janeiro de 2015). «Quique Flores regressa ao Getafe quase dez anos depois». Consultado em 9 de junho de 2015 
  9. Mais Futebol (26 de fevereiro de 2015). «Quique Flores deixa Getafe». Consultado em 9 de junho de 2015 
  10. Record (5 de junho de 2015). «Quique Flores oficializado no Watford». Consultado em 9 de junho de 2015 
  11. «"Official confirmation: Flores Installed as New Watford FC Head Coach"» (em inglês). Watford Football Club. 5 de junho de 2015. Consultado em 28 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 28 de janeiro de 2016 
  12. «Las razones del adiós de Quique Sánchez-Flores» (em espanhol). El Espanol. 15 de maio de 2016 
  13. «Oficial: Quique Sánchez Flores entrenará al Espanyol» (em espanhol). Superdeporte. 9 de junho de 2016 
  14. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome PRIMERA
  15. Mínguez, Antonio (11 de junho de 1995). «Un pasillo y muchos bostezos» [Guard of honour and yawns aplenty]. Mundo Deportivo (em espanhol). Consultado em 4 de setembro de 2015 
  16. «¡¡¡Campeones!!!» [Champions!!!]. Mundo Deportivo (em espanhol). 30 de outubro de 1986. Consultado em 5 de junho de 2014 
  17. «Quique Flores: "Jesus trabalhou muito para que os títulos voltassem"» [Quique Flores: "Jesus worked hard to make titles come back"]. SAPO. 12 de março de 2015. Consultado em 11 de setembro de 2015 
  18. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome UEL
  19. Harrold, Michael (27 de agosto de 2010). «Slick Atlético seal Super Cup success». UEFA. Consultado em 11 de setembro de 2015 
  20. a b «Former Al Ahli and Al Ain coach Quique Sanchez Flores in line for Watford vacancy». The National. 27 de maio de 2015. Consultado em 11 de setembro de 2015 
  21. Khaled, Ali (18 de maio de 2014). «Al Ain can finally smile after a dismal AGL season». The National. Consultado em 11 de setembro de 2015 
  22. «Manager profile: Enrique Sánchez Flores». Premier League. Consultado em 19 de setembro de 2018