Abrir menu principal
Ricardo Cravo Albin
Cravo Albin em 2011
Nascimento 20 de dezembro de 1940 (78 anos)
Salvador
Residência Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Ocupação musicólogo
Principais trabalhos MIS-RJ, MIS-SP
Prêmios Ordem do Mérito Cultural
Ordem de Rio Branco

Ricardo Cravo Albin (Salvador, 20 de dezembro de 1940) é um advogado, jornalista, historiador, crítico, radialista e musicólogo brasileiro, sendo considerado um dos maiores pesquisadores da Música Popular Brasileira.[1]

Sua maior obra é o Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, disponível em meio digital, com cerca de sete mil verbetes e referência na área musical.

BiografiaEditar

Formou-se em Direito, Ciências e Letras pela Faculdade de Direito da Universidade do Brasil em 1963, no ano seguinte formou-se em Direito Comparado pela Universidade de Nova Iorque, bem como tendo estudado línguas em instituições privadas e entre 1961-1962 o curso do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva.[1]

Cravo Albin fundou e dirigiu o [Museu da Imagem e do Som (Rio de Janeiro)|[Museu da Imagem e do Som]] (MIS) do Rio de Janeiro entre 1965 e 1971, além de outros análogos em várias cidades brasileiras; Albin foi ainda diretor geral da Embrafilme e presidente do Instituto Nacional de Cinema (INC). É também autor, desde 1973, de aproximadamente 2500 programas radiofônicos para a Rádio MEC.[1]

Em 29 de março de 1968, após três meses daquele ano promovendo a gravação de depoimentos de personalidades da música popular brasileira, em especial representantes dos ranchos e escolas de samba, promoveu o hoje célebre depoimento secreto de João Cândido Felisberto, o líder da Revolta da Chibata, no estúdio do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro, tendo como parceiro na entrevista o historiador Hélio Silva.[1]

Uma das grandes conquistas é o Instituto Cultural Cravo Albin, uma sociedade civil, sem fins lucrativos, com sede na cidade do Rio de Janeiro, fundada em janeiro de 2001 com a finalidade de promover e incentivar atividades de caráter cultural no campo da pesquisa, reflexão e promoção das fontes que alimentam a cultura e, em especial, a música brasileira, visando a divulgação, defesa e conservação do nosso patrimônio histórico e artístico.[1]

Bibliografia do autorEditar

Ricardo Cravo Albin publicou diversos livros sobre vários assuntos, entre eles:

  • O canto da Bahia (monografia/1973);
  • De Chiquinha Gonzaga a Paulinho da Viola (1976);
  • Da necessidade do fazer popular (1978);
  • Índia, um roteiro bem e mal humorado, Editora Mauad (1996);
  • MPB - A história de um século, edição trilíngue, MEC/Funarte (1997).
  • Dicionário Cravo Albin da MPB. Rio de Janeiro: 2002.

Referências

  1. a b c d e Institucional. «Ricardo Cravo Albin - biografia». Dicionário MPB. Consultado em 31 de julho de 2019. Cópia arquivada em 31 de julho de 2019 

Ligações externasEditar