Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para rio da China, veja Rio Yangtzé.

Rio Azul é um município brasileiro do estado do Paraná.

Município de Rio Azul
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 14 de julho
Fundação 1918 (101 anos)
Gentílico rio-azulense
Prefeito(a) Rodrigo Skalicz Solda[1] (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Rio Azul
Localização de Rio Azul no Paraná
Rio Azul está localizado em: Brasil
Rio Azul
Localização de Rio Azul no Brasil
25° 43' 58" S 50° 47' 45" O25° 43' 58" S 50° 47' 45" O
Unidade federativa Paraná
Mesorregião Sudeste Paranaense IBGE/2008[2]
Microrregião Irati IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Inácio Martins, Irati, Rebouças, São Mateus do Sul, Mallet, e Cruz Machado
Distância até a capital 156 km
Características geográficas
Área 629,739 km² [3]
População 15 134 hab. estimativa IBGE/2018[4]
Densidade 24,03 hab./km²
Altitude 925 m
Clima Temperado Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,738 alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 164 527,411 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 12 007,55 IBGE/2008[6]

Índice

HistóriaEditar

Os primeiros pioneiros do território do atual município de Rio Azul chegaram por volta de 1885, fundando um povoado chamado Roxo Roiz.

Em 1918, Roxo Roiz passou à categoria de município. Mais tarde, o nome do município foi mudado para Marumby e, em 1929, o topônimo sofreu alteração, recebendo a denominação de Rio Azul. Em 1932, foi cassada a autonomia do município, sendo restabelecida em 1934.

O topônimo adotado teve origem no rio do mesmo nome que banha o município.

GeografiaEditar

Rio azul possui uma área de 629,739 km² representando 0,316 % do estado, 0,1117 % da região e 0,0074 % de todo o território brasileiro. Localiza-se a uma latitude 25°43'58" sul e a uma longitude 50°47'45" oeste, estando a uma altitude de 925 m. Sua população estimada em 2018, conforme dados do IBGE, era de 15 134[4] habitantes.

EconomiaEditar

O município destaca-se por ser o maior produtor de tabaco do estado e décimo maior produtor do país.

TurismoEditar

Os principais atrativos turísticos da região são:

  • Capela Senhor Bom Jesus: as paredes são decoradas com pinturas sacras da época renascentista, do artista Antônio Petrek. Localiza-se em Cachoeira dos Paulistas a 7 km da sede do município.
  • Imagem do Sagrado Coração de Jesus: Instalada em 1988 no alto do Morro do Cristo em homenagem aos 50 anos de sacerdócio do Padre João Salanczyk e do Padre Augusto Kolek.
  • Pico do Marumbi e Gruta: Situado em Faxinal dos Limas, com uma altitude de 1.200 m acima do nível do mar em terreno rochoso coberto de mata nativa, onde destacam-se: araucárias angustifolia, cedros, imbuias, sassafrás. Possui pista de asa delta, área para camping e sanitários. Para se chegar até a gruta percorre-se uma trilha de média dificuldade de aproximadamente 2 km.
  • Parque Municipal Salto da Pedreira: Criado em 1999, com uma área de aproximadamente 83.359 m 2 , possui , bosque, trilha ecológica, piscina de água natural, quadras esportivas, quiosques e churrasqueiras. Oferece também auditório, lanchonetes, sanitários, estacionamento e um mirante. O Parque abriga ainda, Cachoeira da Pedreira com uma queda d'água de 15 metros de altura.

DemografiaEditar

Dados do Censo - 2010

População total: 14.093

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,738

  • IDH-M Renda: 0,607
  • IDH-M Longevidade: 0,751
  • IDH-M Educação: 0,856
Etnias
Branca 89,1%
Parda 7,2%
Negra 3,1%
Amarela 0,5%
Indigena 0,1%

PolíticaEditar

TransporteEditar

O município de Rio Azul é servido pela seguinte rodovia:


Referências

  1. Rodrigo Solda é Prefeito Eleito de Rio Azul pelo PSDB na coligação RIO AZUL, AGORA VAI Eleições 2016 - 1° de janeiro de 2017
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. a b «Estimativa populacional 2018 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 2 de setembro de 2018 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. «Sistema Rodoviário Estadual 2017» (PDF). Departamento de Estradas de Rodagem. 1 de novembro de 2017. Consultado em 2 de setembro de 2018 

Ligações externasEditar