Abrir menu principal
Rui de Mascarenhas
Informação geral
Nome completo Rui de Pinho Ferreira
Nascimento 14 de dezembro de 1929
Local de nascimento Vila Pery, Moçambique
Morte 22 de fevereiro de 1987 (57 anos)
Local de morte Porto
Nacionalidade português
Género(s) Fado-canção, Bolero
Instrumento(s) Voz
Editora(s) Movieplay, EMI-Valentim de Carvalho

Rui de Mascarenhas (Vila Pery, Moçambique, 14 de Dezembro de 1929Porto, 22 de Fevereiro de 1987) foi um cantor português. Entre os seus maiores sucessos encontramos os temas "Maria Helena", "Encontro às Dez" ou "Pauliteiros do Douro".

Índice

BiografiaEditar

Rui de Mascarenhas, de seu verdadeiro nome Rui de Pinho Ferreira, nasceu a 14 de Dezembro de 1929 em Vila Pery, na Província Ultramarina de Moçambique.[1]

Viveu em Moçambique até aos cinco anos de idade, mas devido à vida profissional de seu pai, oficial do Exército português, mudou de residência frequentemente, primeiro para a Metrópole e, a partir de 1946 para a ilha de São Miguel, nos Açores, onde frequentou o Liceu Nacional Antero de Quental, do quarto ao sétimo anos.

Posteriormente foi viver para Lisboa onde ingressou na Escola de Belas-Artes a fim de cursar arquitectura. No entanto, acabaria depois por ingressar na Escola Naval.[1]

Em 1951 estreou-se oficialmente, numa das sessões de Passatempos APA, uma emissão publicitária radiofónica. Este programa era emitido em directo do antigo Cinema Éden.[1]

No ano seguinte actuou no Brasil e posteriormente participou no programa radiofónico Companheiros da Alegria, apresentado por Igrejas Caeiro.

Um dos seus maiores sucessos desta época é "Encontro às dez" da dupla Jerónimo Bragança e Nóbrega e Sousa.

O talento Rui de Mascarenhas garantiu-lhe vários galardões, como o Prémio de Interpretação da Emissora Nacional ou a nível internacional como um galardão atribuído no Festival de Genebra de 1957, uma Medalha de Ouro em Cannes 1961 ou o primeiro prémio no Festival da Costa Verde, de 1963, em Espanha.[1]

Em 1959 foi viver para França, onde permaneceu cerca de quatro anos tendo sido, depois de Amália, o segundo artista português a actuar no Olympia.[1]

Depois de uma breve passagem por Espanha, ruma em 1964 a Nova Iorque, ficando viver durante dezoito anos nos Estados Unidos da América, com actuações regulares em cidades com Miami Beach ou Los Angeles.[1]

Em 1965 grava Canções por Rui de Mascarenhas para a RTP acompanhado pelo conjunto de Jorge Machado num programa apresentado por Fialho Gouveia.[2]

Mudando-se para o Canadá, nos inícios dos anos 80, Rui de Mascarenhas surgiu em vários programas de televisão e participou na opereta A Viúva Alegre, sendo único português deste espectáculo falado em francês num elenco de 120 pessoas.

Rui de Mascarenhas morreu a 22 de Fevereiro de 1987, no Porto.[1]

Na altura da sua morte, provocada por uma embolia cerebral, preparava-se para regressar aos palcos portugueses, tendo agendada uma actuação para o dia 26 de Fevereiro, juntamente com a Orquestra da Felicidade do Brilho e da Glória, na sala lisboeta Loucuras (antigo Jardim Cinema) dirigida por José Nuno Martins.

Rui de Mascarenhas é recordado na toponímia de Caldas da Rainha (Distrito de Leiria), com uma rua com seu nome na freguesia de Nossa Senhora do Pópulo em pleno núcleo urbano.[3]

DiscografiaEditar

  • 196? - Amor (LP)[1]
  • 196? - Mourir Ou Vivre (LP)[1]

CompilaçõesEditar

Referências

  1. a b c d e f g h i Maria João Serra. «Rui de Mascarenhas». Rádio CidadeFM. Consultado em 18 de novembro de 2009. Arquivado do original em 27 de maio de 2011 
  2. «Canções por Rui de Mascarenhas». RTP. Consultado em 12 de abril de 2016 
  3. «Roteiro toponímico da Cidade das Caldas da Rainha» (PDF). Câmara Municipal Municipal das Caldas da Rainha. 13 de abril de 2015. p. 43. Consultado em 12 de abril de 2016 [ligação inativa]
  4. «Catálogo - Detalhes do registo de "Rui de Mascarenhas; O melhor dos melhores; 20"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 12 de abril de 2016 
  5. «Catálogo - Detalhes do registo de "Encontro às Dez; Caravela"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 12 de abril de 2016 

Ligações externasEditar