Russian Time

Rússia Russian Time
Informações gerais
Nome completo Russian Time
Base Norwich, Reino Unido
Chefe de equipe Svetlana Strelnikova
Categoria(s) anterior(es) GP2 Series
Fórmula 2
Motor Mecachrome
Chassis Dallara
Pneu Pirelli
GP2 Series
Estreia 2013
Corridas concluídas 88
Campeã de equipes 1 (2013)
Campeã de pilotos 0
Vitórias 10
Pódios 30
Pontos 892
Pole Positions 3
Volta mais rápida 11
Posição no último campeonato (2016) 3º (256 pontos)
Fórmula 2
Estreia 2017
Corridas concluídas 44
Campeã de equipes 1 (2017)
Campeã de pilotos 0
Vitórias 10
Pódios 22
Pontos 629
Pole Positions 1
Volta mais rápida 11
Posição no último campeonato (2018) 4º (234 pontos)

A Russian Time (anteriormente conhecida como RT Russian Time) foi uma equipe de automobilismo russo fundada por Igor Mazepa para competir na GP2 Series, uma categoria de carros de corrida de roda aberta projetada para preparar pilotos para a Fórmula 1, substituída em 2017 pelo Campeonato de Fórmula 2 da FIA. Sua sede localizava-se em Norwich.

A equipe na maior parte do tempo foi gerenciada pela Virtuosi Racing,[1] que adquiriu sua entrada e ativos para a disputa do Campeonato de Fórmula 2 da FIA a partir de 2019.[2]

HistóriaEditar

A equipe foi fundada pelo ex-piloto Igor Mazepa (nascido na Ucrânia, mas criado na Rússia), em parceria com Timo Rumpkfeil, chefe da equipe Motopark Academy.[3][4] A Russian Time buscou uma entrada na GP2 Series por dois anos antes de finalmente ser aceita em 2013, substituindo a iSport International,[4] que não correu em virtude de problemas financeiros[5] . A nova equipe contratou o inglês Sam Bird e o francês Tom Dillmann para pilotar seus carros. O desempenho surpreendeu: Bird venceu 5 provas, marcou 2 poles-positions e 3 voltas mais rápidas, enquanto Dillmann não obteve nenhuma vitória (obteve dois terceiros lugares, em Silverstone e Monza), conquistou uma pole e marcou a volta mais rápida na feature race de Silverstone. Com 273 pontos (empatada com a Carlin), a Russian Time levou o título de construtores por ter mais vitórias. Em 2014, a equipe estrearia na GP3 Series, ocupando a vaga da Bamboo Engineering e continuando a participar da GP2, da Fórmula 3 alemã e da ADAC Formel Masters.[6][7]

Em fevereiro, antes da temporada de 2014 começar, Igor Mazepa, fundador da equipe, morreu após complicações de uma trombose.[carece de fontes?] Depois disso, a Motopark Academy encerrou sua parceria com a equipe, deixando sua participação nas temporadas de GP2 e GP3 de 2014 com sérias complicações..[8] A equipe se reuniu com a iSport International para continuar seu programa de GP2, contratando o neozelandês Mitch Evans para suceder Bird, e o russo Artem Markelov para substituir Dillmann, mas optou por abandonar seus planos para a entrada na GP3, vendendo sua entrada para a Hilmer Motorsport. A morte de Mazepa foi um golpe para a Russian Time, que não repetiu o desempenho de 2013, tendo conquistado duas vitórias, todas com Evans. Markelov acabou em vigésimo-quarto lugar, com apenas 6 pontos.

Para 2015, a dupla Evans-Markelov permanece no time, que teve a russa Svetlana Strelnikova como chefe de equipe, sendo a primeira mulher a exercer a função na GP2. A equipe mudou o seu gerenciamento da iSport para a Virtuosi Racing.[9]

A Russian Time disputou as duas primeiras temporadas do Campeonato de Fórmula 2 da FIA, competição esta que sucedeu a GP2 Series em 2017, mas a equipe deixou o campeonato após seis anos competindo na Fórmula 2 e na GP2. Sua entrada e ativos foram vendidos para a Virtuosi Racing, que havia operado a equipe até o Campeonato de Fórmula 2 de 2019.[2][10]

PilotosEditar

Notas

TítulosEditar

Campeonatos de equipes

Referências

  1. «Virtuosi to run Russian Time GP2 team». eurosport.com. 19 de fevereiro de 2015. Consultado em 28 de novembro de 2017 
  2. a b Benyon, Jack (4 de dezembro de 2018). «UNI-Virtuosi replaces Russian Time in Formula 2». Motorsport.com (em inglês). Motorsport Network. Consultado em 4 de dezembro de 2018 
  3. «Игорь Мазепа: Мы ведём переговоры с Диллманом и Фряйнсом» (em russo). F1news.ru. 7 de março de 2013. Consultado em 24 de abril de 2013 
  4. a b Kabanovsky, Aleksander (5 de março de 2013). «Russian Time hopes Motopark tie-up will build driver ladder into F1». Autosport.com. Haymarket Publications 
  5. Bradley, Charles (22 de fevereiro de 2013). «iSport on verge of selling GP2 entry». Autosport.com. Haymarket Publications. Consultado em 4 de março de 2013 
  6. Allen, Peter (27 de setembro de 2013). «Russian Time joins GP3 field for 2014». Paddock Scout. Consultado em 27 de setembro de 2013 
  7. «Lotus team to compete in the 2014 ATS Formula 3 Cup». German Formula Three Championship. Formel-3-Vereinigung e.V. 30 de outubro de 2013. Consultado em 3 de novembro de 2013. We will contest the ADAC Formula Masters, the GP3 and GP2 in 2014. Therefore we can pave the way for young talents to smoothly advance from karting towards Formula 1. We will announce the drivers shortly before the end of the year. 
  8. «Motopark splits with Russian Time following Igor Mazepa's death - F2 - Autosport». Autosport. 17 de fevereiro de 2014 
  9. Mills, Peter (18 de março de 2015). «Virtuosi to run Russian Time GP2 team». eurosport.com. Eurosport. Consultado em 25 de abril de 2017 
  10. Benyon, Jack (25 de novembro de 2018). «Russian Time sells Formula 2 team». Motorsport.com (em inglês). Motorsport Network. Consultado em 27 de novembro de 2018 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.