Ruth Guimarães

Ruth Guimarães Botelho (Cachoeira Paulista, 13 de junho de 1920 - Cachoeira Paulista, 21 de maio de 2014) foi uma poetisa, cronista, romancista, contista e tradutora brasileira[1].

Ruth Guimarães
Nascimento 13 de junho de 1920
Cachoeira Paulista
Morte 21 de maio de 2014
Cidadania Brasil
Alma mater
Ocupação poetisa, cronista, jornalista, escritora, romancista

Foi a primeira escritora brasileira negra que conseguiu projetar-se nacionalmente desde o lançamento do seu primeiro livro, o romance Água Funda, em 1946.

Com dez anos de idade, publicou os seus primeiros poemas em jornais da terra natal. Com 18 anos mudou-se para a cidade de São Paulo e já com 19 anos consegue publicar "Caboclo[2]", seu primeiro poema impresso em jornal da capital. Alguns anos depois, formou-se em Filosofia pela USP. Profissionalizou-se como jornalista e colaborou assiduamente na imprensa paulista e carioca, além da seção permanente que manteve durante vários anos na Revista do Globo, de Porto Alegre. Escreveu crônicas para grandes jornais como Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo. Tinha uma coluna semanal de crônicas no jornal Valeparaibano, de São José dos Campos. Ruth Guimarães foi eleita no dia 5 de junho de 2008 para ocupar a cadeira número 22 da Academia Paulista de Letras[3]. Em 1972 Ruth Guimarães fundou e presidiu em Cachoeira Paulista a Academia Cachoeirense de Letras (atual Academia Cachoeirense de Letras e Artes, ACLA), primeira academia de letras da região valeparaibana. Era madrinha da Academia de Letras de Lorena, dando posse aos membros em 16 de agosto de 2009.

Bibliografia parcialEditar

  • Água Funda. Porto Alegre, Edição da Livraria do Globo, 1946
  • Os Filhos do Medo. Porto Alegre, Editora Globo, 1950
  • Mulheres Célebres. São Paulo, Editora Cultrix, 1960
  • As Mães na Lenda e na História. São Paulo, Editora Cultrix,1960
  • Líderes Religiosos. SãoPaulo, Editora Cultrix, 1961
  • Lendas e Fábulas do Brasil. São Paulo, Editora Cultrix, 1972
  • Dicionário de Mitologia Grega. São Paulo, Editora Cultrix, 1972
  • O Mundo Caboclo de Valdomiro Silveira. Rio de Janeiro, Livraria José Olympio Editora/Secretaria de Cultura, Esportes e Turismo do Estado de São Paulo/Instituto Nacional do Livro,1974
  • Grandes Enigmas da História. São Paulo, Editora Cultrix,1975
  • Medicina Mágica: as simpatias. São Paulo, Global Editora,1986
  • Lendas e Fábulas do Brasil. SãoPaulo, Círculo do Livro,1989
  • Crônicas Valeparaibanas. São Paulo, Centro Educacional Objetivo/Fundação Nacional do Tropeirismo,1992
  • Contos de Cidadezinha. Lorena,Centro Cultural “Teresa D’Ávila”, 1996
  • Calidoscópio – A Saga de Pedro Malazarte. São José dos Campos, JAC Editora, 2006.
  • Histórias de Onça. São Bernardo do Campo, Usina de Idéias Editora, 2008. Volume I do Projeto Macunaíma.
  • Histórias de Jabuti. São Bernardo do Campos: Usina de Idéias Editora, 2008. Volume II do Projeto Macunaíma.
  • Colaboração na revista luso-brasileira Atlântico [4].

TraduçõesEditar

  • O asno de ouro, de Apuleio. Introdução e tradução direta do latim. São Paulo, Cultrix, 1963.
  • Histórias Fascinantes, de Honoré de Balzac: seleção, tradução e prefácio – São Paulo, Editora Cultrix, 1960
  • Os Mais Brilhantes Contos de Dostoievski, de Fiodor Dostoievski. Introdução, seleção e tradução. Rio de Janeiro, Edições de Ouro, 1966
  • Contos de Dostoievski. Introdução, seleção e tradução. São Paulo, Editora Cultrix, 1985
  • Contos de Alphonse Daudet. Seleção e prefácio. Tradução: Ruth Guimarães e Rolando Roque da Silva. São Paulo, Editora Cultrix, 1986
  • Contos de Balzac. Seleção, tradução e prefácio. São Paulo, Editora Cultrix,1986;
  • Os Melhores Contos de Alphonse Daudet. Seleção e prefácio. Tradução: Ruth Guimarães e Rolando Roque da Silva. São Paulo, Círculo do Livro,1987
  • Os Melhores Contos de F. Dostoievski. Tradução, seleção e introdução. São Paulo, Círculo do Livro, 1987
  • Os Melhores Contos de Balzac. Seleção, tradução e prefácio. São Paulo, Círculo do Livro, 1988
  • Buda e Jesus, diálogos. Tradução: Ruth Guimarães e Joaquim Maria. São Paulo: Cultrix, 1989.

Referências

  1. Morre a escritora Ruth Guimarães Estadão
  2. D'Onofrio, Silvio Tamaso (1 de janeiro de 2020). «Ruth Guimarães: uma romancista negra na imprensa brasileira dos anos 1940». Rio de Janeiro, v. 33, n. 1, p. 189-203, jan./abr. 2020. "Acervo - Revista do Arquivo Nacional". Consultado em 1 de maio de 2020 
  3. «Academia Paulista de Letras - Acadêmicos Anteriores». Academia Paulista de Letras - APL. Consultado em 8 de outubro de 2020 
  4. Helena Roldão (12 de Outubro de 2012). «Ficha histórica:Atlântico: revista luso-brasileira (1942-1950)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 25 de Novembro de 2019 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.