Samuel dos Santos
Nascimento 11 de outubro de 1912
Salvador
Morte 24 de fevereiro de 1993 (80 anos)
São Paulo[1]
Ocupação Ator, produtor e assistente de direção
Atividade 1952-1986
Cônjuge Adélia Claudino dos Santos (1944-1993)

Samuel dos Santos (Salvador, 11 de Outubro de 1912 - São Paulo, 24 de Fevereiro de 1993) foi um ator, produtor e assistente de direção brasileiro. Começou sua carreira na TV Tupi em 1961. Ficou mais conhecido com o personagem Tio Barnabé, na primeira versão (da Rede Globo) do Sítio do Picapau Amarelo, de 1977 a 1986.[2]

BiografiaEditar

Samuel dos Santos começou a carreira no início da década de 50, e o primeiro filme foi "Sinhá Moça", em 1953,[2] pela Companhia Vera Cruz.

Em seguida, ele foi para a TV Tupi, onde fez o "TV de Vanguarda" e outros teleteatros. O sucesso como ator chegou no final da década de 50, quando fez filmes importantes como: O Sobrado, Osso, Amor e Papagaio e O Grande Momento, mas o seu personagem mais conhecido foi "Tio Barnabé", na série Sítio do Pica Amarelo, levada ao ar pela Rede Globo, a partir de 1977 e encerrado em 1986.[3]

Samuel faleceu em 1993, de complicações após passar por uma cirurgia no pâncreas.[2]

CarreiraEditar

No teatro três foram as principais atuações de Santos: a versão brasileira da peça Gata em teto de zinco quente (Teatro Brasileiro de Comédia— TBC, 1956), As Provas de Amor (TBC, 1957) e Auto da Compadecida (Teatro Natal, 1957).[1] Esta última foi a primeira encenação da obra de Ariano Suassuna em São Paulo, levada a cabo pela companhia “Studio Teatral” e com estreia em 11 de março de 1957; Santos interpretou o “Sacristão”, sob a direção de Hermilo Borba Filho.[4]

FilmografiaEditar

Samuel dos Santos participou dos seguintes filmes, dentre outros:

Referências

  1. a b Institucional (23 de fevereiro de 2017). «Samuel dos Santos». Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. Consultado em 24 de julho de 2019. Cópia arquivada em 25 de julho de 2019 
  2. a b c «Há 40 anos, 'Sítio do Pica Pau Amarelo' ganhava sua primeira versão na TV». O Globo. 7 de março de 2017. Consultado em 24 de julho de 2019. Cópia arquivada em 25 de julho de 2019 
  3. «Samuel dos Santos». Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira. Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  4. Ariano Suassuna (2018). Auto da Compadecida 40ª ed. [S.l.]: Nova Fronteira. 208 páginas. ISBN 9788520942833 
  5. a b c d e f g h i j k l m n o p Dicionário de Filmes Brasileiros. São Paulo: Futuro Mundo Gráfica e Editora. 2002. 933 páginas. ISBN 8590059529 
  6. Institucional. «Filmografia - A Sogra». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de julho de 2019. Cópia arquivada em 25 de julho de 2019 
  7. Institucional. «Filmografia - A Estrada». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de julho de 2019. Cópia arquivada em 25 de julho de 2019 
  8. Institucional. «Filmografia - Osso, Amor e Papagaios». Cinemateca Brasileira. Consultado em 3 de abril de 2015. Arquivado do original em 3 de abril de 2015 
  9. Institucional. «Filmografia - Estranho Encontro». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de julho de 2019. Cópia arquivada em 25 de julho de 2019 
  10. Institucional. «Filmografia - O Grande Momento». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de julho de 2019. Cópia arquivada em 25 de julho de 2019 
  11. Institucional. «Filmografia - A Marcha». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de julho de 2019. Cópia arquivada em 24 de julho de 2019