Abrir menu principal

Santi Marcellino e Pietro ad Duas Lauros

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Santi Marcellino e Pietro al Laterano.
Igreja dos Santos Marcelino e Pedro em Dois Louros
Santi Marcellino e Pietro ad Duas Lauros
Fachada
Arquiteto Palombi Guglielmo
Fim da construção 1922
Religião Igreja Católica
Diocese Diocese de Roma
Ano de consagração século IV
Website Site oficial
Geografia
País Itália
Região Roma
Local Rione Prenestino-Labicano
Coordenadas 41° 52' 41.12" N 12° 32' 54.96" E

Santi Marcellino e Pietro ad Duas Lauros ou Igreja dos Santos Marcelino e Pedro em Dois Louros é uma igreja de Roma, Itália, localizada no quartiere Prenestino-Labicano. A paróquia foi criada em 1 de fevereiro de 1765 pelo papa Clemente XIII com seu motu proprio Cum sint com uma igreja ligada ao capítulo do colégio laterano e seu território foi repartido da paróquia laterana.

A igreja atual foi construída em 1922 com base num projeto de Palombi Guglielmo. Em 14 de dezembro de 1936, a igreja foi cedida ao Vicariato de Roma. A igreja atual está sob os cuidados da "Congregação das Escolas de Caridade" (Instituto Cavanis).

HistóriaEditar

A igreja fica numa área que, na época da Roma Antiga, pertencia a Santa Helena, a mãe do imperador romano Constantino I e se estendia ao longo da antiga Via Labicana (atual Via Casilina), entre o Sessoriano (moderna Basílica de Santa Cruz em Jerusalém) e a cidadela militar de Cem Celas (em latim: Centum Cellae; moderno Centocelle). A região toda era conhecida como Ad Duas Lauros ("entre os dois louros").

Mesmo antes de se tornar uma propriedade de Helena, a área já era utilizada como cemitério para a guarda pessoal do imperador, os cavaleiros imperiais, e, durante a perseguição de Diocleciano (r. 284–305), ali foi construída a Catacumba de Marcelino e Pedro. Por volta de 330, Constantino construiu o mausoléu conhecido como Mausoléu de Helena, e, junto dele, uma basílica circular em honra aos santos Marcelino e Pedro, que estão sepultados na catacumba que leva seus nomes.

Na Idade Média, a basílica, provavelmente desestabilizada por causa dos túneis escavados abaixo nas catacumbas e sem passar por manutenção nenhuma, foi gradualmente se arruinando. Entre 1632 e 1638, na época do papa Urbano VIII, foi construída uma pequena igreja dedicada aos santos Pedro e Marcelino reutilizando partes das ruínas da antiga basílica. Esta igreja foi substancialmente modificada e ampliada em 1765 por ordem do papa Clemente XIII, que estabeleceu ali uma paróquia.

Atualmente, depois de uma reforma realizada entre 1996 e 2000, a igreja está ligada ao Mausoléu de Helena e às catacumbas, cuja entrada fica no pátio do oratório adjacente à igreja, logo após um portal do século XVIII que fica à esquerda da fachada, na Via Casilina.

Ligações externasEditar