Abrir menu principal
Sapor de Rei
Nacionalidade
Derafsh Kaviani.png
Império Sassânida
Ocupação General
Religião Zoroastrismo
Dinar de ouro de Perozes I (r. 459–484)
Dracma de Balas (r. 484–488)

Sapor de Rei foi um nobre parta da Casa de Miranes e governador (marzobam) da Armênia, tendo governado do ano de 483 a 484. Foi antecedido no governo por Zarmir, o Azarapates e foi sucedido pelo segundo governo de Baanes I Mamicônio entre 484 e 510.

Índice

VidaEditar

Em 483, o Perozes I (r. 459–484) sofreu duas revoltas, uma na Ibéria e outra na Armênia. Instruiu Zarmir, o Azarapates a subjugar a Armênia, que obteve pouco sucesso sem poder pôr fim às ações dos insurgentes sob Baanes I. Zarmir então recebe ordem para lutar contra o rei Vactangue I e é substituído na Armênia por Sapor.[1]

Em vez de impor força militar, Sapor tenta reunir os armênios por meio de uma política de concessões. Trata as princesas da família Camsaracano capturadas por Zarmir com consideração e tenta cooptar através delas seus maridos (Narses II e Afraates II), mas sem sucesso. Apesar disso, enviou tropas para subjugar Baanes, que continuou liderando uma guerrilha.[2]

Enquanto isso, Perozes é morto na Batalha de Herate contra os heftalitas. Sapor e Zarmir deixam respectivamente a Armênia e Ibéria e retornam a Ctesifonte para participar na defesa do Império Sassânida e na eleição do novo xá. O último, Balas, ameaçado pelos heftalitas, não pôde mais pensar em submeter a Armênia e envia um dignitário, Nicor Vesnaspedates, que concede liberdade religiosa e autonomia política à Armênia, e nomeia Baanes como novo marzobam.[3]

Ver tambémEditar

Precedido por
Zarmir, o Azarapates
marzobam da Armênia
483-484
Sucedido por
Baanes I

Referências

  1. Grousset 1947, p. 216-224.
  2. Grousset 1947, p. 224-226.
  3. Grousset 1947, p. 226-227.

BibliografiaEditar

  • Grousset, René (1947). História da Armênia das origens à 1071. Paris: Payot