Abrir menu principal

Suely Santana da Silva

política brasileira
Senhorita Suely
Deputada federal pelo Rio de Janeiro
Período 1 de fevereiro de 2007
até 31 de janeiro de 2011
Vereadora do Rio de Janeiro
Período 1 de janeiro de 2005
até 31 de janeiro de 2007
Dados pessoais
Nascimento 26 de setembro de 1976 (42 anos)
Ilhéus, Bahia
Partido PR (2006 – )
Prona (2004 – 2006)

Suely Santana da Silva (Ilhéus, 26 de agosto de 1976), também conhecida pelo nome eleitoral, Senhorita Suely, é uma política brasileira. Originalmente filiada ao Prona, surgiu na cena política carioca em 2004, ao ser apoiada pelo então deputado federal Enéas Carneiro, de quem havia sido assessora parlamentar.[1] Na ocasião, foi a única candidata do partido a ser eleita vereadora do Rio de Janeiro.[2]

BiografiaEditar

Ex-assessora de Enéas, em 2004 foi eleita vereadora do Rio de Janeiro.

Naquele ano foi investigada pelo Ministério Público por indícios de irregularidade no domicílio eleitoral.[2] Na solenidade de diplomação, sempre acompanhada do padrinho político, evitou a imprensa.[3] O jornal O Globo havia lançado suspeitas sobre o endereço informado pela candidata ao TRE/RJ – Av. NSa. de Copacabana, 1032 – onde vizinhos teriam contado à Reportagem que nunca viram a suposta moradora do apartamento de número 601, cuja conta de gás está em nome de outra pessoa. Também questionou-se os números de telefone informados à Justiça Eleitoral.[1]

Em 2006 elegeu-se deputada federal, novamente apoiada por Enéas.[4] Logo após, por ocasião da fusão do Prona com o PL, passou automaticamente ao Partido da República.[4]

Já na posição de deputada federal, Suely preferiu destinar suas emendas individuais ao Orçamento, não ao estado onde foi eleita – Rio de Janeiro – mas a 16 municípios paulistas.[5]

Referências

  1. a b Name, Daniela (8 de outubro de 2004). «Procura-se Senhorita Suely, eleita vereadora pelo Prona». O Globo. Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro 
  2. a b UOL News (15 de outubro de 2004). «Ministério Público investiga vereadora eleita pelo Prona». Rio de Janeiro. UOL Notícias. Consultado em 7 de abril de 2016 
  3. O Dia (dezembro de 2004). «O mistério da Senhorita Suely». O Dia. Consultado em 7 de abril de 2016 
  4. a b Fundação Getúlio Vargas. «PARTIDO DE REEDIFICACAO DA ORDEM NACIONAL (PRONA)». Consultado em 2 de setembro de 2018 
  5. Menezes, Maiá; Isabel Braga (20 de janeiro de 2008). «Deputados explicam suas escolhas na hora de emendar o Orçamento». O País. O Globo. p. 4. Consultado em 7 de abril de 2016