Abrir menu principal
The 1975
The 1975 em 2014
Informação geral
Origem Wilmslow, Cheshire, Reino Unido
Gênero(s)
Período em atividade 2002–presente
Gravadora(s)
Integrantes
  • Matthew Healy
  • Ross MacDonald
  • Adam Hann
  • George Daniel

The 1975 é uma banda inglesa de pop rock formada em Manchester.[1] O grupo é formado por Matty Healy (Vocalista, guitarrista), Adam Hann (guitarrista), George Daniel (baterista, vocalista) e Ross MacDonald (baixista).[2] Eles já lançaram quatro EPs, enquanto seu álbum de estreia auto-intitulado foi lançado em 02 de setembro de 2013 pelas gravadoras Hit Dirty / Polydor. O álbum estreou como número 1 na UK Albums Chart em 8 de setembro de 2013. A banda fez turnês internacionais e também se apresentou no festival Coachella em 2014. The 1975 lançou no dia 30 de novembro de 2018, o seu terceiro álbum de estúdio, "A Brief Inquiry into Online Relationships".

Índice

HistóriaEditar

Nome da bandaEditar

Tendo anteriormente realizado um material liberado sob vários disfarces, incluindo "Talkhouse", "The Slowdown", "Bigsleep", "Blind Tapes" e "Drive Like I Do", a banda finalmente entrou em acordo sobre o nome de "The 1975". Healy relata que o nome foi inspirado em rabiscos encontrados no verso de um antigo livro de poesia datada de "1 June, The 1975".

2002–12: FormaçãoEditar

Matthew Healy é o filho de Denise Welch e Tim Healy e cresceu em Newcastle e Manchester. Ele conheceu Ross MacDonald, Adam Hann e George Daniel em Wilmslow, no ensino secundário, perto de Manchester, como adolescentes e começaram a tocar em 2004. A banda foi formada quando o conselho local organizou uma série de shows para os adolescentes. Healy encontrado Hann, que veio para ele e disse que queria tocar em um desses shows . A banda começou tocando uma série de covers até que "eventualmente escreveu uma canção", de acordo com Healy. "Nós começamos a partir de então e temos vindo a fazer música juntos desde que tínhamos cerca de 15 anos." Depois de Hann convidar os membros para formar uma banda, eles passaram seus primeiros dias tocando canções punk em um club. Healy era originalmente o baterista, mas assumiu os vocais após o cantor anterior sair para iniciar outra banda. George Daniel foi contratado como o novo baterista para completar o final de line-up.

2012–14: Início de carreira e debut auto-intituladoEditar

Artigos principais: Facedown, Sex, Music for Cars and IV.

O lançamento do primeiro EP da banda, intitulado "Facedown", em agosto de 2012 levou à primeira transmissão em rádio no Reino Unido com a faixa "The City", que também foi incluída no programa BBC Introducing com Huw Stephens na BBC Radio 1.[3] A "The 1975", mais uma vez, chamou a atenção nacional de rádio no final de 2012, com o DJ Zane Lowe da BBC Radio 1 defendendo seu single "Sex" do EP "Sex", que foi lançado em 19 de novembro de 2012. Eles embarcaram em uma turnê do Reino Unido e Irlanda, que prorrogado para o início de 2013, antes de começar uma turnê pelos Estados Unidos na primavera.

Após o lançamento do EP "Music for Cars" em 4 de Março de 2013, a banda encontrado sucesso nas paradas mainstream com o seu single "Chocolate", que chegou ao local 19 na parada de singles do Reino Unido. Em 20 de maio de 2013, a banda lançou o EP "IV", que incluiu uma nova versão da música "The City". A faixa foi para as paradas musicais do Reino Unido e recebeu airplay em vários outros países.

A "The 1975", fez várias turnês para apoiar os lançamentos e para construir o hype antes de liberar o álbum de estreia. Apoiaram a banda Muse na segunda leg da "The 2nd Law World Tour" no Emirates Stadium, em Londres, em 26 de Maio de 2013. Eles também excursionaram com The Neighbourhood nos Estados Unidos em junho de 2013, e com os Rolling Stones no Hyde Park em 13 de julho 2013. Em agosto de 2013, a banda se apresentou no "Festival Republic Stage" no Reading e Leeds Festivals.

Em um artigo sobre a banda, Elliot Mitchell de "When the Gramophone Rings" escreveu que lançae uma sequência de EPs antes do álbum de estreia foi "um movimento que ele considera necessário para fornecer o contexto para o som amplo da banda, ao invés de apenas construir com singles". Matthew Healy disse: "Nós não teríamos sido capazes de lançar o álbum sem os EPs saírem antes, porque nós queríamos ter certeza de que poderíamos nos expressar corretamente antes de jogar este longo e ambicioso álbum sobre as pessoas."

"The 1975", o auto-intitulado álbum de estreia da banda, foi lançado em 2 de setembro de 2013. Ele foi co-produzido por Mike Crossey, que já trabalhou com Arctic Monkeys e Foals. O primeiro single a promover o álbum é uma versão re-trabalhada de "Sex", que foi lançado em 26 de agosto de 2013. A canção estreou na BBC Radio 1 show de Zane Lowe, em 8 de julho de 2013, e um vídeo da música foi lançado no YouTube no dia 26 julho de 2013. O 1975 estreou em nenhum. 1 no UK Albums Chart.

The 1975 excursionou no Reino Unido em setembro de 2013, entre outros atuando em Kingston upon Hull como headliners no Freedom Festival, uma celebração da pré-selecção da cidade para 2017 UK Cidade de designação Cultura, e no iTunes Festival em 08 de setembro de 2013 como um ato de abertura para o quarteto indie eletrônico Bastille. A banda realizou uma turnê norte-americana em outubro de 2013, uma europeia em novembro de 2013, e em janeiro de 2014, a banda se apresentou em Nova Zelândia e Austrália. Em setembro de 2013, a banda realizou três shows esgotados em Shepherd Bush Empire, em Londres. Em abril de 2014, a banda se apresentou pela primeira vez em um grande festival americano, Coachella. A banda tocou no Royal Albert Hall, em abril de 2014.

2015–2017: I Like It When You Sleep, for You Are So Beautiful yet So Unaware of ItEditar

No dia primeiro de junho de 2015, as contas das redes sociais da banda foram apagadas, o que causou em intensa especulação.[4] Uma tirinha foi postada no Twitter do Matty Healy um dia antes, mas agora encontra-se na conta do gerente da banda, Jamie Oborne, e sugeriu o fim da banda. No próximo dia, as contas voltaram, porém, as capas e as fotos de perfil eram brancas e rosa claro, ao invés do preto e branco comum, revelando ter sido um golpe publicitário.[5]

No dia 8 de outubro de 2015, a banda anunciou seu segundo álbum, "I Like it When You Sleep, for You Are So Beautiful yet So Unaware of It". O primeiro single chamado "Love Me" foi lançado no dia 28 de outubro de 2015, o single é basicamente uma critica à sociedade e à mídia atual, e também, de acordo com Matty fala muito de como a banda lida com todo o crescimento que adquiriu durante os anos. Simultaneamente, foi agendado uma turnê de apoio na Europa, na América do Norte e na Ásia. O segundo single chamado "UGH!" lançado no dia 18 de dezembro de 2015 fala sobre a relação do vocalista (Matty) com a cocaína, sendo a música mais pessoal lançada dentre os singles. O terceiro single, "The Sound" foi apresentado pela primeira vez na rádio BBC Radio 1 no dia 14 de janeiro de 2016. "The 1975" estreou o quarto single "Somebody Else" no dia 15 de fevereiro do mesmo ano na rádio Beats 1. Por fim, quatro dias antes do lançamento do álbum, no dia 22 de fevereiro foi tocado na rádio Radio 1 o último single, "A Change of Heart".

O álbum contém 17 faixas e foi lançado no dia 26 de fevereiro, alcançando número 1 no UK Albums Chart e no US Billboard 200. A banda postou um download de "How to Draw" no Twitter e por meio da Target Exclusive.

2017–presente: A era de "Music for Cars"Editar

Em novembro de 2016, o baterista George Daniel insinuou o andamento do terceiro álbum da banda, postando um vídeo na sua conta de Instagram com a legenda "2018", contendo trechos de áudio junto com o Healy tocando os teclados.

No dia 3 de abril de 2017, Healy postou um twittou que a era do segundo álbum estava acabando, seguindo com "Music for Cars", que compartilha o nome do terceiro EP da banda. Em março, eles confirmaram que duas músicas do álbum novo já tinham sido escritas. Em junho, Healy também confirmou que "Drive Like I Do", um dos disfarces anteriores da banda lançará um álbum como um trabalho à parte 'em alguns anos'.[6]

Em novembro, Healy sugeriu o lançamento de um EP no ano de 2017. Entretanto, esse foi adiado para 2018, com Oborne dizendo que "alguma coisa" será lançada em seu lugar; o álbum live da banda, DH00278.[7] Ele também confirmou que nenhum single de "Music for Cars" seria lançado em 2017, com a banda afirmando que teria alguma coisa nova do dia primeiro de junho de 2018.

Em março de 2018, a banda apagou muitas postagens nas diversas contas de redes sociais, indo até julho de 2017, durante seu último show no festival Latitude, para "I Like It When You Sleep, for You Are So Beautiful yet So Unaware of It". Em 22 de abril 2018, Oborne disse que a campanha para o segundo álbum permaneceria por mais alguns dias. No final de abril, posters enigmáticos intitulados "Music for Cars" apareceram em Londres e Manchester, contendo taglines e um número de catálogo de Dirty Hit, DH00327, na frente de um fundo preto. Vários outdoors também foram vistos no Reino Unido, tendo usado détournement para a banda se aplicar sobre propagandas já existentes.

A banda atualizou seu site para disponibilizar um cronômetro fazendo uma contagem regressiva até o dia primeiro de junho no início de maio, os integrantes ficando ativos novamente nas redes sociais. Durante as primeiras horas, foi revelado conter um arquivo zip secreto com quatro posters individuais, cada nome dando origem a uma página oculta que apresentava uma conversa entre um 'humano' e uma 'máquina'. Nas redes sociais, a banda frequentemente lançou diversos posters, todos sob o título "A Brief Inquiry Into Online Relationships". No dia 31 de maio de 2018, o primeiro single do álbum foi lançado, "Give Yourself a Try", após ter estreado na rádio BBC Radio 1 no mesmo dia.[8]

Healy, numa entrevista para Beats 1, disse que "Music for Cars" é uma era para lançar música, após mudando o nome de "Music for Cars para A Brief Inquiry Into Online Relationships". O álbum foi lançado no final de novembro, e "Notes on a Conditional Form", o quarto álbum, está agendado para ser lançado em maio de 2019.[9]

Estilo musicalEditar

Críticos na Pitchfork comparam-nos favoravelmente ao The Big Pink[10]. O EP "Sex" foi descrito pela Paste (revista) apresentando "partes iguais etéreas e de synth pop", com vocais bons e marcantes. Seu estilo despojado e calmo foi elogiado, destacando que a música "Undo" se "despoja de excessiva teatralidade"[11][12]. Embora geralmente reconhecido como um grupo de rock alternativo, eles foram influenciados por diversos gêneros, incluindo electro-pop, música eletrônica, pop e R & B. Healy especificamente cita Talking Heads, Prince, My Bloody Valentine, Michael Jackson, Peter Gabriel, Brian Eno, D'angelo e Sigur Rós como influências musicais; ele afirma que sua maior influência é a obra do cineasta John Hughes. A melancólica estética visual a preto-e-branco da banda é justaposta com as escalas musicais e com o que a eles chamam de "sensibilidade pop clássica". Liricamente, "The 1975" explora temas de descoberta e novidade no contexto mais específico do sexo, amor, drogas, esperança, morte e medo. Nesse novo CD ("I Like It When You Sleep - For You Are So Beautiful and Yet So Unaware of It") a banda disse em entrevista que as músicas vão ser uma variação entre anos '80 e '90, contando com influências como David Bowie, Destiny's Child, Michael Jackson, entre outros.

IntegrantesEditar

  • Adam Hann – guitarra, teclado, vocal de apoio (2002–presente)
  • George Daniel – bateria, vocal de apoio (2002–presente)
  • Matthew Healy – vocal, guitarra rítmica (2002–presente)
  • Ross MacDonald – baixo, teclado, vocal de apoio (2002–presente)

DiscografiaEditar

Álbuns de estúdioEditar

  • The 1975 (2013)
  • I Like It When You Sleep, for You Are So Beautiful Yet So Unaware of It (2016)
  • A brief Inquiry Into Online Relationships (2018)

Referências

  1. «Interview w/ The 1975» (em inglês). blahblahblahscience.com. 15 de outubro de 2012. Consultado em 7 de Agosto de 2013 
  2. Brinnand, Emily (3 de Dezembro de 2012). «New Band Up North». The Northerner Blog (em inglês). The Guardian. Consultado em 23 de Decembro de 2012  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. «The 1975 - Interview | News». GoldenPlec (em inglês). 11 de dezembro de 2012. Consultado em 5 de abril de 2019 
  4. «The 1975 Have Deleted All Their Social Media Accounts Spurring Breakup Rumors» 
  5. «The 1975, their disappearance was a stunt, yes, but it was brilliant» 
  6. https://br.nacaodamusica.com/posts/the-1975-matt-healy-album-projeto-paralelo/  Texto "title: The 1975: Matt Healy confirma álbum através de projeto paralelo" ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  7. «The 1975 lança álbum surpreso ao vivo: DH00278» 
  8. «The 1975 volta às raízes pop com o novo single Give Yourself a Try» 
  9. «Empresário do The 1975 explica nova "era" e o lançamento de dois álbuns da banda» 
  10. «The 1975: Facedown EP». Pitchfork (em inglês). Consultado em 5 de abril de 2019 
  11. «The 10 Best EPs of 2012». pastemagazine.com (em inglês). Consultado em 5 de abril de 2019 
  12. «The 1975: Sex EP». pastemagazine.com (em inglês). Consultado em 5 de abril de 2019