Abrir menu principal

A Pequena Taça do Mundo, um torneio intercontinental de clubes promovido por um grupo de empresários internacional foi o precursor do Campeonato Mundial de Clubes atualmente organizado pela Fédération Internationale de Football Association (FIFA). A competição, que também era conhecida por “Mundialito de Clubes” foi disputada entre os anos de 1952 e 1963, NO Estádio Olímpico de Caracas, na Venezuela.

Participavam do torneio, por convite os dois melhores clubes da América e os dois melhores da Europa. O clube que mais venceu a competição foi o Botafogo, do Rio de Janeiro com cinco títulos conquistados nos anos de 1966, 1967, 1968 (duas vezes) e 1970.
Os outros vencedores do torneio foram o Real Madrid, da Espanha (1952, 1956 e 1980), Millonarios, da Colômbia, Corinthians Paulista (1953), São Paulo (1955 e 1963), Bangu, do Rio de Janeiro (1958), Barcelona, da Espanha (1957), Santos, do Brasil e Benfica, de Portugal (1965), Valência, da Espanha (1966), Athletic de Bilbao, da Espanha (1967), Spartak Trnava, da Tchecoslováquia e Dínamo de Moscou, da União Soviética (1969), Vitória de Setúbal, de Portugal (1970) e Cruzeiro, do Brasil (1970 e 1977), Seleção da Alemanha Oriental (1975), Deportivo La Coruña, da Espanha (1976) e Sporting, de Portugal (1981).
Nos anos de 1959 a 1962 e 1964, não foi disputado. Outros grandes clubes do futebol mundial que participaram da competição, porém sem lograr êxito foram: River Plate, da Argentina, Roma e Lázio, da Itália, Vasco da Gama, do Rio de Janeiro, Sevilla e Zaragoza, da Espanha, Porto, de Portugal, Chelsea, da Inglaterra, Werder Bremen, da Alemanha e Nacional, do Uruguai.
Em 1957, com a criação da primeira Copa da Europa o torneio perdeu prestígio e deixou de ser disputado. Em 1963 voltou a ser organizado, repetindo-se em 1975. Entre 1965 e 1970, os torneios foram organizados pela imprensa esportiva de Caracas e empresários, com várias denominações.
“Troféu IV Centenário de Caracas (1965)”, “Copa María Dolores Gaubeka (1965)”, “Trofeo Prensa Deportiva (Troféu Círculo de Periódicos Esportivos – 1966 e 1967)”, “Troféu Simón Bolívar (1966)”, “Copa Del Cuatrocentenário (1967)”, “Troféu Julio Bustamante (1968)”, “Troféu Oldemario Ramos (1968)”, “Copa Reyes (1969)”, “Copa Carnaval (1969)”, “Torneio (Copa/Taça) de Caracas”, desde 1970. Em 1958 foi disputada a “Taça (Copa) Navidad”.
Porém, a concorrência com a Copa Intercontinental criada em 1960, e o sequestro do jogador Di Stéfano por um grupo rebelde em Caracas, acabaram vez com a idéia de retorno do torneio.
Em 1963, a Venezuela, assim como todos os países da América Latina, vivia um período turbulento, de profunda agitação sócio-política. Foi com esse clima de tensão que a Pequena Taça do Mundo foi disputada naquele ano. Real Madrid, da Espanha e São Paulo, do Brasil chegarão ao jogo final
O São Paulo teve um desfalque importante. Pagão, contundido, não estava em condições de jogo. O Real também jogou sem um de seus principais jogadores, só que por um motivo para lá de insólito.
Às vésperas do jogo, membros da organização clandestina de extrema esquerda denominada Frente de Libertação Nacional (FALN), fazendo-se passar por policiais, invadiram o Hotel Potomac, onde a delegação madrilenha estava hospedada, e seqüestraram Di Stéfano, com o objetivo de chamar a atenção do mundo para a causa do grupo.
Di Stéfano foi libertado três dias depois, são e salvo. Mas a mesma Frente de Libertação Nacional ainda aprontaria mais uma confusão. Ao final do primeiro tempo, integrantes da FALN invadiram o estádio, tentando pular a grade de ferro que circundava o campo, atiraram bombas e deram tiros contra os espectadores, que, apavorados, adentraram o gramado para se proteger do fogo cruzado.
Os policiais intervieram e o pandemônio aumentou, com mais disparos em direção às arquibancadas. Só um milagre explica o fato de ninguém ter morrido ou se ferido mais gravemente. O São Paulo venceu por 2 X 1 e garantiu o título.
Hoje a FIFA promove o campeonato mundial de clubes, que é disputado anualmente e de dois em dois anos muda de sede: Japão e Emirados Árabes. Até 1999 era disputado um torneio entre os campeões da América e da Europa, primeiro em dois jogos, um em cada país dos clubes litigantes, e depois num jogo único, em Tóquio, no Japão. A competição era patrocinada pela Toyota, uma empresa fabricante de automóveis e não era reconhecida pela FIFA.


Embora os torcedores de Santos, Flamengo, São Paulo (em duas oportunidades) e Grêmio não gostem, a FIFA os considera apenas campeões intercontinentais. Campeões do mundo mesmo, só Corinthians São Paulo e Internacional.

( Mundialito)

À época, a FIFA não organizava torneios intercontinentais, tratando quase exclusivamente de Seleções. Dessa forma, o Torneio Internacional de Caracas (ou Pequena Copa do Mundo-Mundialito) não conta com reconhecimento da FIFA

Já participaram nesses torneios grandes clubes como: Real Madrid, Barcelona, Peñarol, Benfica, Sporting, Porto, Botafogo, Cruzeiro, Grêmio, Vasco, Clube do Remo e Independiente. E seleções como: Seleção Argentina, Seleção Soviética e Seleção Colombiana


EdiçõesEditar

Ano Campeão Vice-campeão 3º Colocado Nome do Torneio
1958   Bangu   Malmö FF   Osasuna Copa Navidad de Caracas[1]
1967   Botafogo   Barcelona   Peñarol Copa Círculo de Pediodicos Deportivos (1967)"Mundialita"[2]
1968   Botafogo   Seleção Argentina   Benfica Troféo Julio Bustamante e Oldemario Ramos "Mundialita [3]
1969   Dínamo Moscou   Deportivo Itália   Vasco da Gama Copa Carnaval de Caracas[4]
1970   Botafogo   Seleção Soviética   FC Spartak Trnava Torneo Triangular de Caracas "Mundialita"[5]
1970   Cruzeiro   Porto   Celta de Vigo Torneo Triangular de Caracas "Mundialita"[6]
1976   La Coruña   Deportivo Itália   Millonarios Torneo Triangular de Caracas[7]
1977   Cruzeiro   Grêmio   Indepentiente Torneo Triangular de Caracas[8]
1980   Real Madrid   Benfica   Seleção Colombiana Copa Ciudad de Caracas[9]
1981   Sporting   Valência   Millonarios Copa Ciudad de Caracas[10]

Países que já participaramEditar

País Número de edições
  Brasil 7 (1958, 1967, 1968, 1969, 1970, 1970 e 1977)
  Espanha 6 (1958, 1967, 1970, 1976, 1980 e 1981)
  Portugal 4 (1968, 1970, 1980 e 1981)
  Colômbia 3 (1976, 1980 e 1981)
  Argentina 2 (1968 e 1977)
  União Soviética 2 (1969 e 1970)
  Venezuela 2 (1969 e 1976)
  Suécia 1 (1958)
  Uruguai 1 (1967)
  Tchecoslováquia 1 (1970)

CampeõesEditar

Campeão Títulos
  Botafogo 3 (1967, 1968 e 1970)
  Cruzeiro 2 (1970 e 1977)
  Bangu 1 (1958)
  Dínamo Moscou 1 (1969)
  La Coruña 1 (1976)
  Real Madrid 1 (1980)
  Sporting 1 (1981)

Títulos por paísesEditar

País Títulos
  Brasil 6 (1958, 1967, 1968, 1970, 1970 e 1977)
  Espanha 2 (1976 e 1980)
  União Soviética 1 (1969)
  Portugal 1 (1981)

Referências