A União Latina (UL; catalão: Unió Llatina em espanhol: Unión Latina; em francês: Union Latine; em italiano: Unione Latina; em romeno: Uniunea Latină)[2] foi uma organização internacional de nações que usam línguas românicas,[3][4] cujas atividades foram encerradas em 2012. Com sede em Paris, França,[5] seu objetivo era proteger, projetar e promover a herança cultural dos povos românicos. Fundada Madrid, Espanha, no ano de 1954,[6][7] as atividades tiveram início apenas em 1983 e o número de membros passou de 12 para 36 estados, incluindo países América, Europa, Ásia-Pacífico e da África.[8]

União Latina

  Membros
  Observadores
Tipo Organização internacional
Fundação 15 de maio de 1954[1]
Extinção 31 de julho de 2012
Sede  França, Paris
Línguas oficiais Espanhol, francês, italiano, português, romeno e catalão
Sítio oficial www.unilat.org/pt arquivo

Devido a dificuldades financeiras, em 26 de janeiro de 2012, a União Latina anunciou a suspensão de suas atividades. Em 31 de julho de 2012, a dissolução foi totalmente efetivada.[9]

Filiação

editar

Qualquer nação que quisesse se juntar a União Latina precisaria seguir os seguintes critérios:

  • Critérios linguísticos:
    • Ter uma língua de origem latina como oficial, usada na educação e comumente usada na mídia de massa e/ou na vida diária.
  • Critérios linguísticos / culturais:
    • Existência de literatura significativa em uma língua de origem latina;
    • Imprensa e publicação em língua latina;
    • Televisão com uma grande proporção da programação em um idioma latino;
    • Rádio amplamente transmitido em um idioma de origem latina.
  • Critérios culturais:
    • Herança direta ou indireta do legado da Roma Antiga, ao qual o Estado permanece fiel e que se perpetua principalmente por meio da educação do latim;
    • Educação cultural de línguas estrangeiras de origem latina;
    • Programas de intercâmbio com outros países latinos;
    • Organização social, principalmente no plano jurídico, baseada no respeito às liberdades fundamentais, nos princípios gerais dos direitos humanos e da democracia, na tolerância e na liberdade religiosa;

Línguas oficiais

editar

As línguas oficiais da União Latina eram espanhol, francês, italiano, português, romeno e catalão. Espanhol, francês, italiano e português foram usados como línguas de trabalho, onde todos os textos de difusão foram traduzidos para essas quatro línguas, apenas alguns foram traduzidos para o romeno e o catalão.

Estados membros

editar

Observadores

editar

Organização

editar

A União era composta por três órgãos principais: o Congresso, o Conselho Executivo e a Secretaria-Geral.

Congresso

editar

O Congresso, constituído por representantes de todos os Estados Membros, reunia-se em assembleia ordinária de dois em dois anos. Suas principais funções eram

  • aprovar o orçamento;
  • definir a direção geral da União;
  • receber formalmente novos Estados membros; e
  • eleger e designar diferentes Estados membros para serem os presidentes, vice-presidentes e membros das suborganizados da União.

Um presidente e dois vice-presidentes também eram eleitos pelo Congresso. Oleg Serebrian, da República da Moldávia, foi o último presidente.

Existiam também dois órgãos auxiliares do Congresso: a Comissão de Adesões e a Comissão de Candidaturas.

  • A Comissão de Adesões era composta por 10 Estados Membros e era responsável por promover a adesão dos Estados membros à União;
  • A Comissão de Candidaturas era composta por 9 Estados membros e era responsável pelo exame da validade das candidaturas, tendo em conta a divisão geográfica, linguístico e cultural.

Conselho executivo

editar

O Conselho Executivo era o ramo executivo da União. Era composto por 12 Estados membros, eleitos pelo Congresso a cada quatro anos, e liderados por um presidente e dois vice-presidentes, também eleitos pelo Congresso.

Havia também duas comissões auxiliares submetidas ao Conselho Executivo:

  • A Comissão de Finanças e Programas;
  • A Comissão de Estátuas.

Secretaria geral

editar

A União Latina era dirigida por um Secretário-Geral nomeado a cada quatro anos pelo Congresso. O Secretário era responsável pela execução dos programas e pela implementação das decisões do Congresso e do Conselho Executivo em matéria de orçamento e direção geral. Jose Luis Dicenta Ballester foi ao mesmo tempo Secretário-Geral da União.

Subordinadas à Secretaria geral, havia quatro diretorias::

  • Diretoria de Administração e Finanças;
  • Diretoria de Cultura e Comunicação;
  • Diretoria de Promoção e Educação das Línguas;
  • Diretoria de Terminologia e Indústria da Língua.

Finança

editar

O financiamento da União era apoiado, principalmente, pelas contribuições obrigatórias dos Estados-Membros. Para algumas atividades, instituições públicas ou privadas colaboraram com a União Latina.

Ver também

editar

Referências