União Latina

A União Latina (UL; catalão: Unió Llatina em espanhol: Unión Latina; em francês: Union Latine; em italiano: Unione Latina; em romeno: Uniunea Latină)[1] foi uma organização internacional de nações que usam línguas românicas, cujas atividades foram encerradas em 2012. Com sede em Paris, França, seu objetivo era proteger, projetar e promover a herança cultural dos povos românicos. Fundada Madrid, Espanha, no ano de 1954, as atividades tiveram início apenas em em 1983 e o número de membros passou de 12 para 36 estados, incluindo países América, Europa, Ásia-Pacífico e da África.[2]

União Latina
Union Latine.svg

  Membros
  Observadores
Tipo Organização internacional
Fundação 15 de maio de 1954
Extinção 31 de julho de 2012
Sede  França, Paris
Línguas oficiais Espanhol, francês, italiano, português, romeno e catalão
Sítio oficial www.unilat.org/pt arquivo

Devido a dificuldades financeiras, em 26 de janeiro de 2012, a União Latina anunciou a suspensão de suas atividades. Em 31 de julho de 2012, a dissolução foi totalmente efetivada.[3]

FiliaçãoEditar

Qualquer nação que quisesse se juntar a União Latina precisaria seguir os seguintes critérios:

  • Critérios linguísticos:
    • Ter uma língua de origem latina como oficial, usada na educação e comumente usada na mídia de massa e/ou na vida diária.
  • Critérios linguísticos / culturais:
    • Existência de literatura significativa em uma língua de origem latina;
    • Imprensa e publicação em língua latina;
    • Televisão com uma grande proporção da programação em um idioma latino;
    • Rádio amplamente transmitido em um idioma de origem latina.
  • Critérios culturais:
    • Herança direta ou indireta do legado da Roma Antiga, ao qual o Estado permanece fiel e que se perpetua principalmente por meio da educação do latim;
    • Educação cultural de línguas estrangeiras de origem latina;
    • Programas de intercâmbio com outros países latinos;
    • Organização social, principalmente no plano jurídico, baseada no respeito às liberdades fundamentais, nos princípios gerais dos direitos humanos e da democracia, na tolerância e na liberdade religiosa;

Línguas oficiaisEditar

As línguas oficiais da União Latina eram espanhol, francês, italiano, português, romeno e catalão. Espanhol, francês, italiano e português foram usados como línguas de trabalho, onde todos os textos de difusão foram traduzidos para essas quatro línguas, apenas alguns foram traduzidos para o romeno e o catalão.

Estados membrosEditar

EspanholEditar

FrancêsEditar

PortuguêsEditar

ItalianoEditar

RomenoEditar

CatalãoEditar

ObservadoresEditar

OrganizaçãoEditar

A União era composta por três órgãos principais: o Congresso, o Conselho Executivo e a Secretaria-geral.

CongressoEditar

O Congresso, constituído por representantes de todos os Estados Membros, reunia-se em assembleia ordinária de dois em dois anos. Suas principais funções eram

  • aprovar o orçamento;
  • definir a direção geral da União;
  • receber formalmente novos Estados membros; e
  • eleger e designar diferentes Estados membros para serem os presidentes, vice-presidentes e membros das suborganizados da União.

Um presidente e dois vice-presidentes também eram eleitos pelo Congresso. Oleg Serebrian, da República da Moldávia, foi o último presidente.

Existiam também dois órgãos auxiliares do Congresso: a Comissão de Adesões e a Comissão de Candidaturas.

  • A Comissão de Adesões era composta por 10 Estados Membros e era responsável por promover a adesão dos Estados membros à União;
  • A Comissão de Candidaturas era composta por 9 Estados membros e era responsável pelo exame da validade das candidaturas, tendo em conta a divisão geográfica, linguístico e cultural.

Conselho executivoEditar

O Conselho Executivo era o ramo executivo da União. Era composto por 12 Estados membros, eleitos pelo Congresso a cada quatro anos, e liderados por um presidente e dois vice-presidentes, também eleitos pelo Congresso.

Havia também duas comissões auxiliares submetidas ao Conselho Executivo:

  • A Comissão de Finanças e Programas;
  • A Comissão de Estátuas.

Secretaria geralEditar

A União Latina era dirigida por um Secretário-Geral nomeado a cada quatro anos pelo Congresso. O Secretário era responsável pela execução dos programas e pela implementação das decisões do Congresso e do Conselho Executivo em matéria de orçamento e direção geral. Jose Luis Dicenta Ballester foi ao mesmo tempo Secretário-Geral da União.

Subordinadas à Secretaria geral, havia quatro diretorias::

  • Diretoria de Administração e Finanças;
  • Diretoria de Cultura e Comunicação;
  • Diretoria de Promoção e Educação das Línguas;
  • Diretoria de Terminologia e Indústria da Língua.

FinançaEditar

O financiamento da União era apoiado, principalmente, pelas contribuições obrigatórias dos Estados-Membros. Para algumas atividades, instituições públicas ou privadas colaboraram com a União Latina .

Ver tambémEditar

Referências

  1. Latin Union Official Site Arquivado 2009-05-12 no Wayback Machine
  2. «Unión Latina; Estados miembros». Consultado em 5 de janeiro de 2009. Arquivado do original em 28 de dezembro de 2008 
  3. "Disolución de la Secretaría General de la Unión Latina", Unión Latina, accessed 2012-06-10.