Abrir menu principal
Vídeo Brinquedo
Logomarca da empresa
Empresa privada
Atividade Produção e distribuição em home video de animação CGI e Flash
Fundação 1994
Fundador(es) Fernando Francielli
Ale McHaddo
Sede Brasil São Paulo, SP
Brasil
Presidente Marco Botana
Subsidiárias Rexmore Widea
Antecessora(s) VBF Produções (1994-1999)
Spot Films (1999-2006)
Website oficial http://www.videobrinquedo.com.br/

Vídeo Brinquedo é um estúdio de animação brasileiro, localizado em São Paulo, que produz filmes de animação direto para home video de baixo orçamento, anteriormente vistos como semelhantes a produções populares de grandes empresas como a Walt Disney Pictures, Pixar Animation Studios, DreamWorks Animation, 20th Century Fox, Blue Sky Studios, Hasbro Studios, Sony Pictures Animation e Entertainment One. A empresa foi fundada em 1994 com a intenção de distribuir animações infantis no mercado nacional e mundial. Há 4 anos as produções, da Video Brinquedo estão focadas para a área educacional.

AntecedentesEditar

Uma das primeiras distribuições do estúdio foi uma animação CGI de temática religiosa cristã chamado Reino Submarino; este título vendeu apenas algumas poucas cópias até o lançamento do filme de 2003 da Pixar, Procurando Nemo. O Reino Submarino e Procurando Nemo tinham várias semelhanças, como a presença de um peixe-palhaço e uma história centrada no relacionamento entre pais e filhos. A partir do grande número de vendas que a empresa tinha com as animações, a Vídeo Brinquedo passou não apenas a ser uma distribuidora, mas também produtora de seus próprios desenhos animados.[1]

As primeiras animações da Vídeo Brinquedo eram tradicionais, de estilo 2D, baseadas em contos de fadas e clássicos como Pinóquio e Os Três Porquinhos, mas com roteiros que modernizavam os personagens. Mais tarde, a empresa se expandiu para animação em 3D. Seu primeiro título foi Os Carrinhos, vagamente baseado no filme de animação da Pixar Carros (2006). Uma animação originalmente voltada a crianças de idade entre 2 e 3 anos de idade, vendeu mais de 300.000 cópias em 12 países.

A ideia original da empresa era saltar sobre as tendências levantadas pelos grandes estúdios e iniciar a produção de animação com dois a três anos de antecedência. Com a empresa tomando emprestadas ideias estabelecidas em Hollywood, o diretor da empresa, Mauricio Milani, afirmou: "Tentamos imaginar o que estará em evidência".

Originalmente lançados com uma trilha sonora em português, muitos dos títulos da Vídeo Brinquedo foram co-produzidos com a Rexmore Company do Brasil, e distribuídos na América do Norte pela Branscome International e pela MorningStar Entertainment, com trilhas sonoras em inglês e espanhol.

Os filmes geralmente têm pouco mais de 40 minutos de duração, o mínimo necessário para que eles possam ser considerados como longa-metragem.

ProduçõesEditar

Ano Título Semelhante a
2006 Os Carrinhos: A Grande Corrida Carros
2007 Os Carrinhos 2: Aventuras Em Rodópolis
2007 Os Carrinhos 3: Velozes e Curiosos
2007 Ratatoing Ratatouille
2007 Gladiformers Transformers
2008 Ursinho da Pesada Kung Fu Panda
2008 Robozinhos Robôs e WALL-E
2008 Escola de Princesinhas Filmes das Princesas da Disney
2008 Os Carrinhos 4: Novas Histórias Geniais Carros
2009 Abelhinhas Bee Movie: A História de Uma Abelha
2009 Gladiformers 2 Transformers
2009 Voando em Busca de Aventuras Up! Altas Aventuras
2009 Monstros e Monstrinhos Monstros vs. Alienígenas
2009 A Princesa e o Sapo A Princesa e o Sapo

DistribuiçãoEditar

Além de produzir seus próprios filmes de animação, a Vídeo Brinquedo também distribuiu em DVD produções estrangeiras como Sonic X, As Aventuras dos Irmãos Super Mário, Luluzinha, Batfino & Karatê e vários filmes baseados em contos de fadas menos conhecidos feitos pela Video Treasures (atual Anchor Bay Entertainment) de domínio público. No entanto, uma das suas distribuições mais controversas é uma série em live-action estilo tokusatsu chamada Mega Powers!, que tem uma grande semelhança com a franquia Power Rangers e Super Sentai, mas não foi produzida pela própria Vídeo Brinquedo. A série é uma produção da Intervalo Produções.

ControvérsiasEditar

Em sua resenha de Ratatoing, um crítico da ToonZone lamentou a qualidade da animação, chamando o filme como um todo "um desperdício insensato de matérias-primas" e "um desperdício de tempo, energia e esforço de todas as partes envolvidas".[2] Marco Aurélio Canônico, da Folha de S. Paulo, que criticou a série Os Carrinhos como uma cópia do filme Carros, e Ratatoing como uma cópia de Ratatouille, discutiu se os processos da Pixar apareceriam. O Ministério da Cultura publicou o artigo de Marco Aurélio Canônico em seu site.[3] A Virgin Media também afirmou: "Mesmo com os padrões da Vídeo Brinquedo, é uma imitação desavergonhada".[4]

O departamento jurídico da Disney foi contatado por um repórter por meio de um porta-voz sobre um potencial processo judicial, mas Milani não comentou.[5]

Em outras mídiasEditar

  • Duas das produções da Vídeo Brinquedo foram parodiadas em um episódio da segunda temporada de O Incrível Mundo de Gumball, intitulado "The Treasure", no qual Gumball pega um DVD cujo título alude à Ursinho da Pesada e Ratatoing.

Referências

Ligações externasEditar