Viação Santa Cruz

A Viação Santa Cruz é uma empresa brasileira de transporte rodoviários fundada no ano de 1958 na cidade de Mogi Mirim, interior de São Paulo. Foi criada pelo empresário Eugênio Mazon.

Viação Santa Cruz
Novo Logo Viação Santa Cruz.jpg
Razão social Viação Santa Cruz S.A.
Empresa de capital fechado
Atividade Transporte
Gênero Privada
Fundação 14 de junho de 1958 (61 anos)[1]
Fundador(es) Eugênio Mazon
Sede Mogi Mirim, Brasil
Área(s) servida(s)  Minas Gerais
 São Paulo
Proprietário(s) Grupo Santa Cruz
Empregados 1500
Produtos Transporte rodoviário de passageiros
Transporte urbano de passageiros
Transporte de cargas
Turismo
Certificação ISO 9001:2000
ISO 9001:2008
ISO 9002
Faturamento Green up.png R$ 15 milhões (2005)[2]
Website oficial www.viacaosantacruz.com.br

A empresa atua no interior de São Paulo e parte do sul de Minas Gerais, ligando essas duas regiões entre si e entre a capital paulista e cidades próximas como Osasco e ABC Paulista. Também realiza transportes urbanos nas cidades de Mogi Mirim e Mogi Guaçu[3]

HistóriaEditar

Nos anos 50, o empresário Eugênio Mazon já operava um sistema de transporte coletivo na região da baixa mogiana, consistindo inicialmente no transporte escolar de 14 estudantes entre Conchal e Mogi Mirim. Pouco tempo depois, Mazon passou a oferecer também pequenas viagens para funcionários de diversas indústrias da região o que logo evoluiu para um sistema de transporte urbano coletivo e turismo.

No dia 14 de junho de 1958, Eugênio decide fundar a Viação Santa Cruz S.A. para melhorar seus serviços prestados. A nova empresa inicia suas atividades logo após adquirir um jardineira Ford F600, para servir as indústrias que começavam a se instalar na região, gerando empregos e desenvolvimento.

Já na década de 60 os serviços da Viação Santa Cruz se expandem regionalmente, com a aquisição de uma linha intermunicipal ligando Mogi Mirim a Mogi Guaçu. A empresa inciou também a implantação dos serviços de transporte coletivo urbano, os chamados “Circulares”, nas cidades de Mogi Mirim e Araras.

O desenvolvimento industrial foi se consolidado na região, o que fez com que a procura da população por serviços de transporte aumentasse consideravelmente. Nos anos 70, a Viação Santa Cruz adquire seu primeiro lote de Monoblocos da Mercedes-Benz modelos O321. Os novos ônibus, que começavam a virar febre entre outras empresas do ramo na época, ofereciam poltronas mais confortáveis aos passageiros e possuíam chassis e carroceria únicos. Na mesma década, a empresa começou a investir em diversos outros municípios do interior de São Paulo e também em Minas Gerais. A aquisição das empresas Viação Bizacchi e Rápido Pinhal permitiu a ampliação dos horários de atendimento à população e com isso a Viação Santa Cruz chegava a capital paulista. A empresa também passou a atender os municípios de Poços de Caldas, Andradas e Espírito Santo do Pinhal depois de aquirir a Viação Nossa Senhora de Fátima e instalar uma garagem própria em Alfenas.

Na década de 80, a empresa se une com a Expresso Cristália da cidade de Itapira dando origem ao conglomerado Grupo Santa Cruz. Os serviços foram aprimorados, multiplicando-se o número de passageiros. Para atender o aumento da demanda, a viação contratou mais empregados. Na década seguinte, o Grupo Santa Cruz obtém o controle acionário da Viação Nasser, com isso as cidades que eram atendidas por essa empresa passaram a ser supervisionada também pela Santa Cruz, aumentando ainda mais seu pacote de linhas e destinos.

Nos anos 2000, o grupo continuou crescendo. Em 2010 foram incorporados a Santa Cruz as empresas Transul (que atuava principalmente operando linhas que ligavam o sul de Minas Gerais a São Paulo) e a Multipart (controladora da Sul Mineira Transportes, Viação Mogi Guaçu e Mogi Guaçu Transportes). Em 2011, é adquirida a Expresso Brasileiro e com isso o Grupo Santa Cruz passou a atuar também no estado do Rio de Janeiro.[4]Em 2013, comprou as linhas federais da Empresa de Transporte Santa Terezinha de Varginha, que ligavam o sul de Minas Gerais a São Paulo.

Em 2016, modernizou sua marca e renovou parte da frota com um novo layout na cor vermelha.[5]

Entre 2016 e 2017, decidiu incorporar as empresas Nasser e Cristália, deixando apenas a marca Santa Cruz, repassando as linhas e a frota.

Em agosto de 2017 vendeu a Expresso Brasileiro para o Grupo Águia Branca, após a aprovação do CADE e da ANTT.[6]

GaragensEditar

Referências

  1. https://www.facebook.com/viacao.santacruz/info/ Página oficial do Facebook da Viação Santa Cruz contendo informações sobre a empresa
  2. «Ranking Maiores empresas de transporte terrestre». Revista Exame. 2008. Consultado em 18 de dezembro de 2009. Arquivado do original em 20 de abril de 2008 
  3. http://www.gruposantacruz.com.br/urbano Viação Santa Cruz - Transporte Urbano
  4. http://www.santaxencomendas.com.br/santax/portugues/santax.pdf Arquivado em 3 de março de 2016, no Wayback Machine. Grupo Santa Cruz Transportes
  5. «Viação Santa Cruz adota nova logomarca, nova pintura e eleva ainda mais o padrão dos serviços.». Juntos a Bordo. 8 de dezembro de 2016. Consultado em 8 de setembro de 2017 
  6. «ANTT autoriza e Águia Branca assume o controle da Expresso Brasileiro.». Gazeta Online. 22 de agosto de 2017. Consultado em 8 de setembro de 2017 

Ligações externasEditar