Alfenas

município brasileiro do estado de Minas Gerais
 Nota: Para a cidade portuguesa, veja Alfena.

Alfenas é um município brasileiro localizado no sul de Minas Gerais, que pertence à Região Imediata de Alfenas. De acordo com a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, sua população estimada para 1.º de julho de 2021 era de 80 973 habitantes.[3]

Alfenas
  Município do Brasil  
Igreja matriz de São José e Dores
Igreja matriz de São José e Dores
Igreja matriz de São José e Dores
Símbolos
Bandeira de Alfenas
Bandeira
Brasão de armas de Alfenas
Brasão de armas
Hino
Gentílico alfenense
Localização
Localização de Alfenas em Minas Gerais
Localização de Alfenas em Minas Gerais
Localização de Alfenas em Minas Gerais
Alfenas está localizado em: Brasil
Alfenas
Localização de Alfenas no Brasil
Mapa
Mapa de Alfenas
Coordenadas 21° 25' 44" S 45° 56' 49" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Municípios limítrofes Serrania, Divisa Nova, Machado, Areado, Paraguaçu, Campos Gerais, Fama, Carmo do Rio Claro, Alterosa, Campo do Meio[1]
Distância até a capital 335 km
História
Fundação 07 de outubro de 1860 (163 anos)
Administração
Prefeito(a) Fábio Marques Florêncio (PT, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [3] 850,446 km²
População total (Est. IBGE/2021[3]) 80 973 hab.
 • Posição MG: 46º
Densidade 95,2 hab./km²
Clima tropical de altitude
Altitude 888 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 37130-000 a 37139-999[2]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,761 alto
 • Posição MG: 23º
PIB (IBGE/2015[5]) R$ 2 126 719,20 mil
PIB per capita (IBGE/2015[5]) R$ 27,019,00
Sítio alfenas.mg.gov.br (Prefeitura)
cmalfenas.mg.gov.br (Câmara)

História editar

 Ver artigo principal: História de Alfenas

Essa região pertencia à Freguesia de Cabo Verde.

  • 9 de outubro de 1784, o Alferes José Martins Borralho obteve sesmaria, ao pé da Serra da Esperança, entre os ribeirões Sapé e Águas Verdes.
  • 1787, foi batizado o primogênito na Matriz de Cabo Verde, cujo nome era Manuel.
  • 1799, foi erguida uma pequena ermida, dedicada a Nossa Senhora das Dores, a qual foi demolida para dar lugar a uma Capela concluída em 1801, e que passou a ser denominada Capela de São José e Nossa Senhora das Dores.
  • 21 de janeiro de 1802, Januário Garcia Leal, o "Sete Orelhas", recebe carta patente, nomeando-o Capitão de Ordenanças do Distrito de São José e Nossa Senhora das Dores.
  • 22 de julho de 1805, foi feita a doação do patrimônio aonde encontra-se a atual igreja Matriz.
  • 1817, nasce Joaquim Leonel Pereira de Magalhães, futuro Major da Guarda Nacional, professor e político que se casaria, em segundas nupcias, com Ana Custodia de Moraes Navarro, irmã do Barão de Cabo Verde. Era filho do fazendeiro Tte. Cel. Antônio Joaquim Pereira de Magalhães que possuía em Alfenas uma de suas fazendas, quando o censo de 1831 o apontava com 24 escravos em sua propriedade rural, nessa cidade.
  • 7 de outubro de 1860, a Freguesia foi elevada a categoria de vila, como nome de Vila Formosa de Alfenas.
  • 15 de outubro de 1869, a vila passou à categoria de cidade,com o nome de Formosa de Alfenas, e depois em 23 de setembro de 1871, simplificado para Alfenas, para não confundir com outra de mesma denominação, em Goiás.

Geografia editar

  • Altitude máxima: 888m acima do nível do mar, na cabeceira do Córrego Mateus Cego
  • Altitude Média: 768 m
  • Temperatura Média Anual: 19,6 °C
  • Precipitação Média Anual: 1 592,7 mm
  • Distritos: Barranco Alto - Gaspar Lopes
  • Bairros rurais: 56
  • Ruas: 850
  • Praças: 20

Relevo editar

  • Em grande parte composto por rochas cristalinas, constituída de uma superfície elevada caracterizada por sucessão de morros e garupas que vêm de Poços de Caldas, seguindo em direção das Calhas dos rios Grande e Sapucaí, com alturas variáveis de 800 a 1 000m.
Composição topográfica
  • Plano 10%
  • Ondulado 80%
  • Montanhoso 10%

Solo editar

  • Predominante é o tipo “Latossolo Vermelho Escuro” com textura argilosa.

Fontes: IGA – CETEC Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE

Clima editar

  • Situado nos limites meridionais da zona intertropical e, sob influência da elevada altitude da região, o clima da região é do tipo tropical mesotérmico. A temperatura anual é de 19 °C.
  • Verão e a primavera são as estações mais quentes, com máximas diárias variando de 28 a 30 °C, outubro e novembro são os meses mais quentes chegando de 36 a 37 °C e mínima de 9 e 10 °C.
  • Com raras temperaturas abaixo de 0 °C, que podem resultar em geadas.
  • Em relação ao regime de chuvas, o clima é úmido, com precipitação média anual de aproximadamente 1 590 mm.

Recursos hídricos editar

  • Bacia hidrográfica do Rio São Tomé - Termina no lago de Furnas, cuja nascente fica no bairro Serra Escura bairro este também chamado de Serra Negra no município de Machado.
  • Vale do Rio Sapucaí[6], da bacia do Rio Paraná e de alguns de seus afluentes foram inundados pelo reservatório de Furnas, que circunda o município, exceto pelo limite sul.
     
    O Rio Sapucaí (canto inferior esquerdo) segue rumo ao norte para o reservatório de Funas.
Rios e córregos

Sistema viário editar

Aeroporto editar

 Ver artigo principal: Aeroporto de Alfenas
  • SNFE -  Aeroporto Comandante Paschoal Patrocínio Filho. Pista de 1 600 m com balizamento.

Economia editar

 
Vista parcial da sede do município ao entardecer.

Considerada o núcleo urbano de bastante importância na região sul-mineira.

Tradicionalmente, agro-pastoril e grande centro produtor de café.

Instituições Financeiras: 10 (dez).

Agricultura: Desenvolve-se a cultura do arroz, alho, batata-inglesa, feijão, milho, café, cana-de-açúcar, mandioca, soja, tomate e frutas, cada uma delas com mais de 100 hectares de terra cultivada.

Em primeiro plano esta o café, principal produto que vem mantendo um nível bom de produção. É consumido internamente e exportado para outros municípios e estados do país.

Pecuária: Uma das mais antigas atividades econômicas do município conta com rebanho de aproximadamente 41 800 cabeças,utilizados na produção de leite e, em sua maioria, como gado de corte. Destaca-se a suinocultura com aproximadamente 4 770 cabeças e galináceas com 195 000 cabeças, para o ano de 2004. A pecuária leiteira é bastante desenvolvida e iniciativas na agroindústria, principalmente no setor do gêneros alimentícios, sucos e laticínios. Na área industrial vem consolidando o município, vocação para o setor têxtil.

Possui um Distrito Industrial que é um dos maiores do Sul de Minas, administrado pela Companhia de Distritos Industriais de Minas Gerais – CDI-MG, que agrega quase todo setor industrial de Alfenas, com indústrias de grande e médio porte.

Com o comércio varejista é bem diversificado e atende todos os municípios da região.

Fauna editar

Abriga diversas espécies de aves conhecidas como:

Mamíferos silvestres como:

Flora editar

Floresta do tipo Estacional Semidecidual e Ombrófila Mista. Espécies que ocorrem nesta vegetação:

Revestimento florístico no ano 2000 editar

Em hectares

  • Lavouras Permanentes 13 631
  • Lavouras Temporárias 9 541
  • Lavouras temporárias em descanso 2 236
  • Pastagens naturais 10 503
  • Pastagens Formadas 21 159
  • Matas Naturais 3 293
  • Matas Formadas 1 113
  • Terras produtivas não utilizadas 648
  • Reserva Florestal 2 888

Educação editar

Ensino superior editar

Religiosidade editar

Catolicismo editar

Tem cinco paróquias (São José e Dores - Matriz, São Sebastião e São Cristóvão, São Pedro, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora Aparecida; 20 capelas (menos as rurais) e 40 pastorais, movimentos e irmandades. A tradicional igreja da cidade é a Igreja Matriz São José e Dores. O município pertence à Diocese de Guaxupé.

Protestantismo editar

Igrejas e templos com grande número de evangélicos como a Igreja Presbiteriana de Alfenas (IPA, primeira igreja evangélica da cidade, fundada em 1930), a 1ª Igreja Batista em Alfenas com mais de 45 anos, Assembleia de Deus (há mais de 60 anos em Alfenas), Universal do Reino de Deus, Congregação Cristã no Brasil, Igreja Presbiteriana Independente (IPI), entre outras.

Outras religiões editar

Há na cidade alguns terreiros de Umbanda e Candomblé.

Centros espíritas kardecistas.

Filhos ilustres editar

 Ver também a categoria: Naturais de Alfenas

Eventos editar

Festas religiosas e oficiais por datas:

  • Janeiro – Festa de Reis
  • Fevereiro – Carnaval
  • Março – Festa São José e Dores
  • Abril – Exposição Agropecuária – EXPOAL
  • Maio – Comemoração do dia do trabalhador, festa oficial do bezerro, também comemora-se a festa religiosa de São Francisco em frente a Capela São Francisco.
  • Junho – Festa do queijo e do vinho, Festa de São Pedro e Senhor do Bom Jesus.
  • Julho – Campeonato de Bets (Bete-ombro)
  • Agosto – Rodeio Universitário
  • Setembro – Comemoração da Independência do Brasil e festa de N. Sra. Aparecida - Na Capela de N. Sra. Aparecida.
  • Outubro – Dia 15 - aniversário da cidade, Festa da Cerveja, Semana do Teatro, Batizado da Capoeira e show de danças, Congada e Festa de Nossa Senhora Aparecida; comemora-se a festa de São Judas Tadeu também nesse mês. O Carnalfenas, festa de carnaval fora de época, era realizado no último final de semana de outubro ou no primeiro final de semana de novembro.[7] O evento foi extinto em 2017, após 22 anos.[8]
  • Novembro – Dia 20 - Consciência Negra
  • Dezembro – Dia 8 – Padroeira de Alfenas, Festa de Nossa Senhora do Rosário (feriado facultativo)

Ver também editar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Alfenas

Referências

  1. «Alfenas». Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Consultado em 24 de junho de 2015 
  2. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  3. a b c «Alfenas». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 1 de julho de 2021 
  4. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 11 de junho de 2015 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2015». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 20 de março de 2015 
  6. «Album Chorographico Municipal do Estado de Minas Geraes – 1927: Reconstituição da Bacia do Rio Sapucaí» 
  7. «Turismo de Eventos - A Importância do Carnalfenas, de Priscilia de Souza Gagno - Niterói-2009» (PDF). Consultado em 2 de janeiro de 2017. Arquivado do original (PDF) em 3 de janeiro de 2017 
  8. «Edição do Carnalfenas é cancelada pela 1ª vez após 22 anos em Alfenas, MG». G1. Consultado em 30 de novembro de 2022 

Ligações externas editar