Abrir menu principal

Wikipédia β

Nuvola apps important square.svg
Um editor detectou que este artigo ou partes de seu texto podem ter partes copiadas de websites ou outras fontes sem a devida autorização do autor.
Por favor consulte o que a Wikipédia não é e tente resolver estas objeções na página de discussão deste artigo.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Lukas Ruiz, mais conhecido como Vintage Culture (Mundo Novo, Mato Grosso do Sul 7 de julho de 1993), é um DJ e produtor brasileiro de música eletrônica do gênero house music. Vintage Culture teve uma rápida ascensão lançando versões como "Blue Monday" do New Order e "Another Brick in the Wall" de Pink Floyd, que logo começaram a viralizar na rede junto com suas versões de "Bete Balanço" do Cazuza e "Bidolibido" de Fernanda Abreu.

Vintage Culture
Lukas Ruiz.jpg
Informação geral
Nome completo Lukas Hespanhol Ruiz
Também conhecido(a) como Vintage Culture
Nascimento 07 de julho de 1993 (23 anos)
Origem Mundo Novo , Mato Grosso do Sul
País  Brasil
Gênero(s) House Music, Electronica
Ocupação(ões) Produtor musical, DJ, Empresário
Período em atividade 2011–atualmente
Gravadora(s) Spinnin' Records, Ultra Music, Sony Music, Só Track Boa, Pirate Wolf, Skol Music
Influência(s) Depeche Mode, New Order, Duran Duran, Queen, Pet Shop Boys, Cazuza, MPB, Frankie Knuckles, Karmon
Página oficial vintageculture.com.br

Em 2016, lançou o EP Hollywood pelo selo Ganzá da Skol Music em parceria com a Spinnin Records. Logo depois, com o produtor Slowmotion, emplacou o seu remix de "Drinkee" para a dupla Sofi Tukker lançado pela Ultra Music na posição #4 do chart Dance do Beatport e mesmo depois de um mês de lançamento se manteve no TOP 10 com a mesma.[carece de fontes?] Mas foi com "Wild Kidz", lançada pela Spinnin Records, que Vintage Culture começou a ganhar reconhecimento internacional. A faixa entrou para o "Global Viral" do Spotify e recebeu suporte de Oliver Heldens, EDX e Sam Feldt.[1]

Em 2015, Vintage Culture apareceu em #118 na lista de TOP DJs da revista britânica DJ Magazine e em #2 na lista de melhores DJs brasileiros da House Mag. Em 2016 foi eleito o DJ #1 na lista da House Mag.[2]

Vintage Culture também é empresário e além da gravadora Só Track Boa, possui um clube no centro de São Paulo, o Air Rooftop.

Índice

InfânciaEditar

Lukas Ruiz nasceu em Mundo Novo, interior do Mato Grosso do Sul, onde morou e estudou até completar o ensino médio no Centro Educacional Mundo Novo Mickey e onde nasceu o seu interesse pela música eletrônica com um CD de Hard Trance de um tio que ele encontrou. Até então curtia muito a eletrônica das bandas dos anos 80, como New Order e Depeche Mode, mas não conhecia esse lado mais pista de dança.

Mudou-se para Maringá, no Paraná, aos 19 anos e ingressou na faculdade de Direito, mas largou o curso pela metade para dedicar-se à música. Foi em seu apartamento em Maringá que Lukas passou três anos trancado e focado em suas produções. No começo, sem dinheiro para investir em equipamentos de produção, Lukas ia até uma lan house do bairro para baixar os programas e voltava para casa com seu notebook Positivo com 128 de memória RAM, que foi presente do seu pai para estudar e se isolava por horas. Seu pai quebrou várias vezes os poucos equipamentos que ele tinha. Mesmo sem o apoio da família, Lukas não desistiu. Na época, ele ainda assinava como Lukas Ruiz, mas ao perceber que seria sempre relacionado a Victor Ruiz, figura importante do techno no Brasil, sentiu a necessidade de criar um nome para o seu projeto. Foi ao produzir uma música diferente na qual ele estava tentando se aperfeiçoar e da paixão de Lukas pelas músicas antigas e suas influências dos anos 80 que veio o insight do nome Vintage, que logo ganhou o complemento e o transformou em Vintage Culture.

2012-atualmente: CarreiraEditar

Sua primeira música postada no SoundCloud foi o remix de "Blue Monday" do New Order, que logo começou a viralizar na rede.[carece de fontes?] Na sequência veio o remix com download livre de Pink Floyd da faixa "Another Brick in the Wall". Lukas não acreditava muito nessa faixa e a deixou encostada por um tempo, até que seu amigo Marcelo Fiorela, ao ouvi-la, incentivou-o a publicar na rede. Foi com essa faixa que começaram a aparecer pedidos de datas e pessoas interessadas em conhecer o projeto Vintage Culture, mas Lukas Ruiz sabia que era necessário mais de uma música para se tornar um bom DJ. Recusou os pedidos e continuou focado em suas produções.

Foi em 2013 que Vintage Culture começou a tocar. Marcelo Fiorela era sócio da extinta Groove DJ Agency ao lado de Luiz Sala, conhecido como DJ Feio, que foi o responsável por incluí-lo pela primeira vez no Green Valley, clube que coleciona títulos mundiais na DJ Magazine, foi então que as coisas começaram a mudar. Logo após sua apresentação, Guga Trevisani, um dos sócios da Entourage Conteúdo Artístico, uma das maiores agências do Brasil, entrou em contato por telefone e fez o convite para que o projeto Vintage Culture entrasse para o casting da agência. Lukas sabia que ainda não estava pronto para entrar numa agência como a Entourage, por achar que não receberia a devida atenção naquele momento ele recusou o convite e continuou focado na expansão do projeto, foi somente em 2014 – um ano depois – que Vintage Culture entrou para a Entourage.[3] No mesmo ano, perdeu seu pai e cumpriu mais de 200 datas por todo o Brasil.

Com o apoio de toda uma equipe e seus empresários Marcelo Arditti e Guga Trevisani, 2015 foi um ano de conquistas para Vintage Culture. Começando por sua apresentação no Palco Perry do Lollapalooza Brasil no dia 28 de março,[4] dividindo o palco com DJ Snake, Dillon Francis e Major Lazer e a gravação do seu primeiro clipe internacional, "Slowing Down", em Nova Iorque. O público teve a chance de conhecer mais sobre o jovem por trás do projeto na capa da 41ª edição da revista brasileira de música eletrônica 'House Mag em abril do mesmo ano.

Os belgas Dimitri Vegas & Like Mike convidaram pessoalmente Vintage Culture para se apresentar no palco Smash the House no Tomorrowland Brasil em maio, logo depois Lukas assinou o remix de "Higher Place" da dupla com o cantor norte-americano Ne-Yo.[5]

Em junho de 2015, Vintage Culture realizava sua primeira turnê internacional, passando por países como Egito, Emirados Árabes, Turquia, Irlanda, Espanha e Bélgica. Em setembro, foi a vez de desbravar a África do Sul e voltar para o Brasil para sua primeira apresentação no Rock in Rio. Foi no evento da Entourage, o Kaballah Festival, que Lukas estreou sua nova intro apresentando o hit "Hollywood", que mais tarde assinou contrato com o selo Ganzá da Skol Music no Brasil e com a Spinnin Records, internacional. 2015 foi marcado também por sua apresentação no ADE na noite da Loulou Records e no Live in Amsterdam com Goldfish e Bakermat. Fez também uma residência no Green Valley. E finalizando com Electric Daisy Carnival Brasil,[6] one Lukas se apresentou nos dois palcos, o neonGARDEN e o kineticFIELD (principal) substituindo Cazzette no encerramento do festival. Vintage Culture foi surpreendido por Skrillex no final de sua apresentação interagindo com os fãs. Depois do festival, Lukas foi convidado para se apresentar no palco principal do EDC México em fevereiro do próximo ano, seria um dos primeiros artistas a abrirem o kineticFIELD.[7]

Em 2016, do México para Los Angeles, Vintage Culture reuniu sua equipe novamente para mais uma gravação de clipe internacional, desta vez em Hollywood. Foi durante a gravação que Lukas se sentiu inchado e seu manager o alertou sobre uma possível Caxumba. Lukas foi ao médico assim que voltou ao Brasil e foi diagnosticado com essa doença contagiosa que afeta as glândulas da garganta, a recomendação dos médicos era de repouso absoluto, mas Lukas não queria cancelar seus shows, ele cumpriu a agenda, o que foi bastante desgastante para o seu organismo e acabou agravando o seu quadro clínico, sem contar que alguns fãs acusavam de não ser ele nos shows por conta da aparência abatida e do inchaço do rosto que o tornou quase irreconhecível. Lukas precisava descansar e estava proibido de realizar shows até que se recuperasse, foi assim que ele perdeu um dos shows mais importantes de sua carreira até o momento, sua apresentação na 18ª edição do Ultra Music Festival em Miami, onde ele se apresentaria no palco principal no sábado, dia 19 de março de 2016.[8]

Ainda em 2016, fechou contrato com a Spin Agency, uma das maiores agências de representação internacional que tem em seu casting artistas como Avicii e Armin van Buuren, além do contrato com a gigante holandesa Spinnin Records. Além de fechar o ano como dono do seu próprio clube, o Air Rooftop, localizado no centro de São Paulo.

DiscografiaEditar

SinglesEditar

  • 2016 "Wild Kidz", Spinnin' Records, N.5 iTunes Electronic
  • 2016 "Hollywood", Ganzá, N.5 iTunes Electronic, N.21 Spotify VIRAL GLOBAL, N.9 Spotify VIRAL BRAZIL, N.12 Beatport Dance

EPsEditar

  • 2016 Hollywood, Ganzá, N.5 iTunes Electronic

RemixesEditar

  • 2017 "Lozing" - Kalozy (Vintage Culture & Jørd Remix)
  • 2016 "Drinkee" - Sofi Tukker (Vintage Culture & Slowmotion Remix), Ultra Music, N.8 Beatport Dance
  • 2016 "Do You Remember" - Joy Corporation (Vintage Culture Remix), Ganzá, Nº 24 iTunes Electronic

FilmografiaEditar

VídeosEditar

  • 2016: "Hollywood"
  • 2016: "Slowing Down"
  • 2015: "Eyes"

Web SeriesEditar

On the RoadEditar

Em seu 9º episódio, a web serie pode ser considerada um mini documentário sobre a vida, a carreira e trajetória do artista. Na série, os depoimentos de Vintage Culture são intercalados com cenas dos bastidores, shows e sessões de estúdio, além de alguns períodos de folga com os amigos.

WKND HI LIGHTSEditar

Em pequenos vídeos de um minuto em média, Vintage Culture apresenta ao público um resumo dos seus finais de semanas.

Prêmios e indicaçõesEditar

DJ MagazineEditar

  • N. 118 no TOP 100 DJs DJ MAG (2015)
  • N. 54 no TOP 100 DJs DJ MAG (2016)[9]

House MagEditar

  • N.2 no TOP 50 DJS House Mag (2015)[10]

Rio Music ConferenceEditar

  • Melhor DJ Big Room (2015)[11]

Referências

  1. «Global Viral Spotify». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  2. «TOP 150 DJS». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  3. «Entourage Conteúdo Artístico - Casting Nacional». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  4. «Vintage Culture agita o Palco Perry no Lollapalooza». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  5. «Line up Smash The House Stage no Tomorrowland Brasil». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  6. «Vintage Culture no mainstage do EDC Brasil 2015». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  7. «Vintage Culture no mainstage do EDC México 2016». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  8. «Vintage Culture no Ultra Miami 2016». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  9. «Top 100 DJs: 101-150». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  10. «Top 50 DJs House Mag». Consultado em 19 de setembro de 2016 
  11. «Vencedores do V Prêmio RMC». Consultado em 19 de setembro de 2016 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vintage Culture