Abrir menu principal
Viacheslav Ivanov
Nascimento 16 de fevereiro de 1866
Moscou
Morte 16 de julho de 1949 (83 anos)
Roma
Sepultamento Cemitério Protestante
Cidadania Império Russo, República Socialista Federativa Soviética Russa, República Socialista Soviética Azeri, Itália
Alma mater Universidade Estatal de Moscou
Ocupação dramaturgo, filósofo, poeta, escritor, crítico literário, erudito clássico, dramaturgia, tradutor, filologia, Pedagogia, ensaísta, filólogo, pedagogo, professor
Empregador Universidade Estatal de Baku
Movimento estético simbolismo
Religião Igreja Católica
Página oficial
http://www.v-ivanov.it/

Viacheslav Ivanovich Ivanov (em russo: Вячеслав Иванович Иванов; Moscou, 16 de fevereiro de 1866Roma, 16 de julho de 1949) foi um poeta, tradutor e crítico literário russo.

Desde cedo foi atraído pela história e pela filosofia, seguindo os cursos do historiador Theodor Mommsen em Berlim. Enquanto trabalhava no seu estudo De Societatibus Vectigalium Publicorum Populi Romani, que só publicaria em 1911, impregnou-se das ideias de Nietzsche, cuja influência sobre ele seria - como a de Vladimir Soloviev - determinante.

Ivanov ficou por algum tempo em Paris e em Roma, onde freqüentava a Instituto Germânico. Em 1905 retornou para a Rússia, após ter publicado uma obra sobre o culto dionisíaco em 1903/04 e sua primeira coletânea de versos, Os astros pilotos, em 1903. Depois, instalou-se em São Petersburgo e tendo enviuvado duas vezes, deixou a Rússia por algum tempo. No seu retorno, passou a morar em Moscou.

Seu nome ficaria na história da literatura russa como o do principal teórico do simbolismo. Escreveu poesias como Trombeta ardente, Transparência e Doce mistério; tragédias como Tântalo e Prometeu e ensaios críticos como Vigília das estrelas e Coisas da pátria e do universo.

A revolução bolchevique de 1917 inspirou-lhe uma das mais belas coletâneas poéticas, os Sonetos de inverno, e uma das obras mais originais do pensamento moderno, Correspondência de um canto ao outro, em colaboração com o filósofo Mikhail Gershenzon.

Em 1921 Ivanov foi nomeado professor de grego da Universidade de Baku, na Rússia. A seguir, obteve permissão para ir à Itália, indo primeiro para Pavia e depois para Roma, onde viria a se estabelecer definitivamente, ensinando, publicando artigos em revistas e reeditando suas obras.

Sepultura de Ivanov no Cemitério Protestante em Roma

A importância de Ivanov consiste em ter procurado superar o individualismo dos simbolistas mediante uma espécie de comunhão entre o individual e o coletivo. Por esse motivo, Ivanov emprega em seus poemas o nós no lugar do eu. Sua escrita sublinha o aspecto religioso e místico da poesia e entende o poeta como um sacerdote, um mágico e um misterioso criador da vida.

Foi sepultado no Cemitério Protestante em Roma.

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.