Abrir menu principal

A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado

Question book-4.svg
Este artigo cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado
Álbum de estúdio de Os Mutantes
Lançamento Março de 1970[1][2]
Gravação Outubro de 1969
Gênero(s) Tropicália, rock psicodélico, rock experimental, blues e doo wop
Duração 41:48
Idioma(s) Português e Inglês (faixa 5)
Formato(s) LP e CD (relançamento)
Gravadora(s) Polydor Records
Produção Arnaldo Saccomani
Cronologia de estúdio por Os Mutantes
Mutantes
(1969)
Jardim Elétrico
(1971)

A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado é o terceiro álbum da banda brasileira Os Mutantes.

Índice

DescriçãoEditar

O terceiro lançamento dos Mutantes marca um movimento distinto no rock psicodélico puro, abandonando os elementos mais brasileiros dos seus álbuns anteriores. O guitarrista Sérgio Dias segue a experiência e distorções de Jimi Hendrix na faixa de abertura “Ando Meio Desligado”, enquanto a música de seis minutos “Meu Refrigerador não Funciona” é um trabalho estendido para órgão elétrico e para a voz selvagem e livre de Rita Lee, no qual podemos notar uma grande influencia de Janis Joplin. A música “Quem Tem Medo de Brincar de Amor” está cheia de ganchos notáveis e “Desculpe, Babe” é uma das melodias mais cativantes da banda. Décadas depois do seu lançamento, A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado ainda consegue surpreender os ouvintes sempre que escutam o álbum.

Lançado em 1970 em LP, mas reeditado em CD em 1992 e lançado nos EUA pela Omplatten Records. A capa do LP traz uma reprodução de uma ilustração do Inferno de Dante (uma parte de A Divina Comédia, de Dante Alighieri), encenada pelos três membros da banda e feita no jardim da casa dos irmãos Baptista.

'Ando Meio Desligado' foi a 75ª mais tocada no Brasil em 1970.[carece de fontes?] Em outubro de 2007, a revista Rolling Stone divulgou uma lista dos 100 maiores discos da música brasileira, na qual A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado ocupou a 22ª posição.[3]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
All Music Guide       [4]
  Esta tabela precisa de ser acompanhada por texto em prosa. Consulte o guia.

FaixasEditar

N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Ando Meio Desligado"  Arnaldo Baptista / Rita Lee / Sérgio Dias 3:02
2. "Quem Tem Medo de Brincar de Amor"  Arnaldo Baptista / Rita Lee 3:36
3. "Ave, Lúcifer"  Arnaldo Baptista / Rita Lee / Élcio Decário 2:20
4. "Desculpe, Babe"  Arnaldo Baptista / Rita Lee 2:49
5. "Meu Refrigerador Não Funciona"  Arnaldo Baptista / Rita Lee / Sérgio Dias 6:23
6. "Hey Boy"  Arnaldo Baptista / Élcio Decário 2:47
7. "Preciso Urgentemente Encontrar Um Amigo"  Erasmo Carlos / Roberto Carlos 3:52
8. "Chão de Estrelas"  Orestes Barbosa / Sílvio Caldas 3:13
9. "Jogo de Calçada"  Arnaldo Baptista / Ilton Oliveira / Wandler Cunha 3:29
10. "Haleluia"  Arnaldo Baptista 3:42
11. "Oh! Mulher Infiel"  Arnaldo Baptista 4:20

MúsicosEditar

Participações:

Referências

  1. PAIVA, 2012, p. 3
  2. WITZEL e COSTA, 2013, p. 2.
  3. Os 100 maiores discos da Música Brasileira - Revista Rolling Stone, Outubro de 2007, edição nº 13, página 115.
  4. Avaliação no All Music Guide

BibliografiaEditar

  • PAIVA, José Eduardo Ribeiro de. Os Mutantes: hibridismo tecnológico na música popular brasileira dos anos 60/70. Revista Sonora, nº 7, v. 4, 2012, pp. 1–7. ISSN 1809-1652.
  • WITZEL, Ludmilla Kujat e COSTA, José Carlos. Os Mutantes: o mito que permeia a história ou a contracultura que salva, amém-te!. Anais do I Congresso Internacional de Estudos do Rock, UNIOESTE, 2013.
  Este artigo sobre um álbum de Os Mutantes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.