Acorizal

Município brasileiro do Estado de Mato Grosso

Acorizal é um município brasileiro do estado de Mato Grosso. Localiza-se a uma latitude 15º12'17" sul e a uma longitude 56º21'57" oeste, estando a uma altitude de 164 metros. Sua população estimada em 2016 era de 5 396 habitantes. As margens do Rio Cuiabá, ponto onde se realiza festival municipal e torneio estadual de pesca. Ponto estratégico para o Marechal Rondon quando da instalação de um posto telegráfico, Acorizal rememorou os 100 anos da morte deste desbravador.

Acorizal
  Município do Brasil  
Hino
Gentílico acorizalense
Localização
Localização de Acorizal em Mato Grosso
Localização de Acorizal em Mato Grosso
Mapa de Acorizal
Coordenadas 15° 12' 18" S 56° 21' 57" O
País Brasil
Unidade federativa Mato Grosso
Municípios limítrofes Cuiabá, Chapada dos Guimarães, Rosário Oeste,Jangada.
Distância até a capital 67 km
História
Fundação 12 de dezembro de 1953
Aniversário 12 de dezembro
Administração
Prefeito(a) Clodoaldo Monteiro da Silva (2017 – 2020)
Características geográficas
Área total 841,166 km²
População total (estimativa IBGE/2016[1]) 5 396 hab.
Densidade 6,4 hab./km²
Clima Não disponível
Altitude 164 m
Fuso horário Hora do Amazonas (UTC−4)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [2]) 0,695 médio
PIB (IBGE/2005 [3]) R$ 51.591 mil
PIB per capita (IBGE/2005 [3]) R$ 8 408,00

Possui uma área de 844,1 km².


HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO MUNICÍPIO

O habitante primitivo da região do município de Acorizal foi o povo bororó. Vítima do contato indiscriminado e da preia nos primeiros anos de Cuiabá, o índio foi desaparecendo, perdendo sua organização tribal. Os primeiros dias de vida organizada em Acorizal aconteceram após o assentamento dos garimpeiros na região de Cuiabá, dos quais não restou memória. No entanto alguns nomes de garimpos permanecem na geografia de Acorizal, dentre eles o sugestivo nome de Candonga, que popularmente significa lisonja enganosa. Constam que duas famílias de portugueses fugiam de perseguições políticas cuiabanas, em 1817, e se arrancharam onde hoje se assenta a igreja de Nossa Senhora das Brotas. Uma das famílias possuía uma estátua de Nossa Senhora das Brotas para veneração.

As duas famílias se ocupavam com caça, pesca, garimpagem e se entendiam com os índios do povo bororó das circunvizinhanças, escapos às antigas preias paulistas. Uma família possuía uma vaca com cria. Sete meses depois de chegarem ao novo sítio, a vaca desapareceu. Após muito procurarem, a vaca foi encontrada morta no córrego do Garimpo da Candonga. Em prece fervorosa, os sitiantes colocaram a imagem de Nossa Senhora num tronco seco de uma árvore do cerrado, comumente denominada lixeira e pediram recurso, pois não podiam ficar sem gado. Na manhã seguinte, o tronco da lixeira rebentava em brotos e a vaca apareceu com o ubre cheio de leite. Agradecidos, os portugueses modelaram uma vaquinha em barro, com as pernas para cima e a colocaram no pé da imagem.

Brotas, com o tempo, passou a produzir víveres para Cuiabá. Tudo era transportado Rio Cuiabá. O progresso chegou a pôr o nome de Brotas em destaque, devido à plantação de canaviais pelas beiras de correntes de água.

Com a intensificação do movimento para o norte, devido à borracha, Brotas tornou-se ponto obrigatório dos viajantes.

A Lei Provincial de 25 de agosto de 1833, criou o Distrito Paroquial de Nossa Senhora das Brotas, subordinado à Freguesia de Nossa Senhora do Livramento.

Em 10 de maio de 1899 torna o distrito de Brotas dependente de Cuiabá.A Resolução n.º 229, de 8 de março de 1900, transfere Brotas novamente para o município de Nossa Senhora do Livramento.

No dia 27 de maio de 1903, o distrito de Brotas se torna novamente subordinado ao município de Cuiabá com designação de novos limites. Com o projeto de linha telegráfica de Cuiabá a Porto Velho, Brotas tornou-se posto telegráfico. Aqui Rondon tomou as últimas providências para o reconhecimento do Rio Juruena, até então insuficientemente conhecido. Rondon chegou a Brotas a 7 de agosto de 1907. No dia 15 de agosto, Rondon inaugurou a estação telegráfica de Brotas.

Devido a quantidade abundante do coqueiro Acori na região, no dia 26 de outubro de 1938 é decretada a Lei n.º 208, que altera a denominação de Brotas para Acorizal.

Em 30 de junho de 1938, criou o Distrito de Paz de Aldeia, no município de Cuiabá. Qual em 26 de outubro de 1938, foi alterada a denominação de Aldeia para Alegrete. Por fim, o Decreto-Lei 545, de 31 de dezembro de 1943, alterou a denominação de Alegrete para Engenho. Com a criação do município de Acorizal, Engenho passou a este município.

Em de 10 de dezembro de 1953, foi retificado os limites dos Distritos Policiais de Acorizal, Aleixo e Baús. Logo, foi decretada a Lei n.º 691, de 12 de dezembro de 1953, de autoria do deputado estadual Lenine Póvoas, da criação do município:

"Artigo n.º 1 - Fica criado o município de Acorizal, constituindo dos territórios dos atuais distritos de Acorizal, Engenho e Jangada, que serão desmembrados de Cuiabá.

Artigo n.º 2 - O município de Acorizal terá por sede a atual vila de Acorizal e ficará constituindo um têrmo da Comarca de Cuiabá."

ReligiãoEditar

Segundo o censo IBGE a religião predominante no município de Acorizal é o Catolicismo com 73,57%, em seguida o Protestantismo com 17,87%, onde se destaca a Assembleia de Deus com 55,07%, a Igreja Adventista com 13,59%, e a Igreja Casa da Bênção com 7,70% dos seguidores protestantes, 1,18% de outras religiosidades e 7,38% não segue nenhuma religião. Não havendo presença de hinduísta, muçulmanos e candomblés. Nenhuma pessoa disse que não sabe.[4]

Referências

  1. «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 13 de setembro de 2016. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  2. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. Arquivado do original em 26 de junho de 2013 
  3. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2002-2005» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 19 de dezembro de 2007. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. https://cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?lang=&codmun=510010&idtema=91&search=mato-grosso%7Cacorizal%7Ccenso-demografico-2010:-resultados-da-amostra-religiao-

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.