Aeroporto Humberto Delgado

aeroporto em Lisboa, Portugal
(Redirecionado de Aeroporto de Lisboa)

O Aeroporto Humberto Delgado, também chamado Aeroporto de Lisboa ou Aeroporto da Portela, (código IATA: LIS, código ICAO: LPPT) situa-se maioritariamente na freguesia dos Olivais,[1] em Lisboa, Portugal. É o maior aeroporto português em número de passageiros, sendo também o que regista maior volume de tráfego. Foi aberto ao tráfego em 15 de outubro de 1942.

Aeroporto Humberto Delgado
Aeroporto da Portela
Aeroporto Humberto Delgado
Aeroporto Humberto Delgado
IATA: LIS - ICAO: LPPT
Características
Tipo Público / Militar
Administração ANA Aeroportos de Portugal
Vinci Group
Serve Área Metropolitana de Lisboa
País Portugal Portugal
Localização Olivais, Lisboa
Inauguração 15 de outubro de 1942 (81 anos)
Coordenadas 38° 46' 46" N 9° 08' 10" O
Altitude 114 m (374 ft)
Movimento de 2023
Passageiros 33,649,000 passageiros
Aéreo 217,703 movimentos
Capacidade anual 49,000,000 passageiros
Website oficial Página oficial
Mapa
LIS está localizado em: Portugal Continental
LIS
Localização do aeroporto em Portugal continental
Pistas
Cabeceira(s)
Comprimento
Superfície
03 / 21
3 805  m (12 484 ft)
Acessos
Transportes
Ligação a autocarros
Ligação a autocarros
2 208 2714 2791 2790 2722 2795 3 705 722 744 783
Ligação ao metro
Ligação ao metro
Aeroporto
Serviço de táxis
Serviço de táxis
LSB

Ver também: Lista de aeroportos de Portugal
Mapa do Aeroporto
Fotografia aérea da pista do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

É servido, desde 1962, por duas pistas, a 02/20, com 3 805 m de comprimento, e a 17/35 (entretanto encerrada em 2019), com 2 400 m de comprimento, ambas asfaltadas e com 45 m de largura. Dispõe de dois terminais civis (T1 e T2) e ainda de um terminal militar, conhecido como Aeroporto de Figo Maduro.

Serve de base para a companhia aérea de bandeira portuguesa, a TAP Air Portugal, e é administrado pela companhia ANA Aeroportos de Portugal.

Em 15 de maio de 2016 o Aeroporto de Lisboa adquiriu a denominação oficial de Aeroporto Humberto Delgado.[2]

Este é o principal hub europeu para o Brasil, funcionando como o maior hub da Star Alliance para a América do Sul. É, igualmente, um dos mais importantes hubs europeus para o continente africano.

Movimentos

editar

Em gráfico

editar

Ver a consulta original do Wikidata.

Ano Passageiros % Variação
1990 5,282,000
1991 5,307,000
1992 5,594,000
1993 5,647,000
1994 5,950,000
1995 6,243,000
1996 6,381,000
1997 6,817,000
1998 6,726,000
1999 8,667,000
2000 9,422,000
2001 9,356,453
2002 9,422,605   0.7%
2003 9,636,257   2.3%
2004 10,731,861   11.4%
2005 11,236,476   4.7%
2006 12,314,917   9.6%
2007 13,393,182   8.8%
2008 13,603,616   1.6%
2009 13,265,268   2.5%
2010 14,049,808   5.9%
2011 14,806,537   5.4%
2012 15,314,800   3.4%
2013 16,025,510   4.6%
2014 18,158,588   13.3%
2015 20,110,804   10.8%
2016 22,462,599   11.7%
2017 26,676,552   18.8%
2018 29,045,733   8.9%
2019 31,184,594   7.4%
2020 9,267,968   70.3%
2021 12,148,972   31.1%
2022 28,261,883   132.6%
2023 33,649,000   19.1%
Fonte: Pordata[3] Vinci[4] INE[5]

História

editar
 
A sede da TAP Air Portugal, Edifício 25
Descolagem do Aeroporto Humberto Delgado, no sentido sudoeste, num voo da TAP

Até à inauguração do Aeroporto Humberto Delgado (então Aeroporto da Portela), Lisboa era servida por um aeroporto primitivo denominado Campo Internacional de Aterragem, situado em Alverca, que entrou em funcionamento em 1919 e foi desativado em 1940.

Na década de 1930 os voos transatlânticos entre a Europa e a América eram feitos em hidroaviões por motivos de segurança. Só depois de atravessarem o Atlântico os passageiros mudavam para aviões com base terrestre que os levavam ao seu destino final.

Sendo Lisboa a capital mais ocidental da Europa, a cidade era o terminal ideal do lado europeu dessas ligações transatlânticas. Por essa razão, o Governo Português entendeu transformar Lisboa numa grande plataforma aérea para voos internacionais. Para isso foram projetados dois aeroportos para Lisboa: um marítimo, para hidroaviões, e outro terrestre, para aviões convencionais. Outra razão para a construção destas infraestruturas era o facto de ir ser realizada em 1940 a grande Exposição do Mundo Português que se previa ir atrair a Lisboa muitos voos com turistas estrangeiros (isso acabou por não acontecer devido ao início da 2.ª Guerra Mundial).

Em 1938 iniciaram-se as obras dos dois aeroportos, que foram concluídas em 1940. Como aeroporto terrestre construiu-se o Aeroporto da Portela, em homenagem à Quinta da Portela que existia nos terrenos onde foi construído,[6] e como aeroporto marítimo, construiu-se o Aeroporto de Cabo Ruivo, à beira do Rio Tejo e a cerca de 3 km do primeiro. Para uma ligação rápida por automóvel entre os dois aeroportos construiu-se uma via rodoviária denominada Avenida Entre-os-Aeroportos (atual Avenida de Berlim).

O sistema de voos transatlânticos funcionava com os hidroaviões vindos da América, amarando no Rio Tejo e desembarcando os seus passageiros em Cabo Ruivo. Daí, eram transportados por automóvel até à Portela. No Aeroporto da Portela eram distribuídos pelos diversos aviões que os iam levar aos diferentes destinos na Europa. Os passageiros que iam da Europa para a América faziam o percurso inverso.

O Aeroporto de Cabo Ruivo, que se localizava onde é hoje a Doca dos Olivais no Parque das Nações, foi desativado com o fim completo dos voos regulares de passageiros por hidroavião, no final dos anos 1950. Desde essa altura manteve-se apenas o Aeroporto da Portela.

 
Airbus A321NEO da Portuguesa TAP Air Portugal no Aeroporto Humberto Delgado\Lisboa

A 1 de agosto de 2007 foi aberto ao público o novo terminal 2, apenas para partidas de voos de companhias low-cost.

O aeroporto está presente nas seguintes freguesias:

  • Entrada principal: Olivais
  • Complexo de Carga: Lumiar
  • ANA Museu: Olivais
  • Hangar TAP: Olivais
  • Outros serviços: Olivais / Sacavém e Prior Velho
  • Pista 02/20: Pelo extremo sul inicia-se nos limites das freguesias de Alvalade e Lumiar, segue pela freguesia dos Olivais, passa por Santa Clara e, atravessando Camarate, Unhos e Apelação, vai terminar com o seu perímetro de segurança no limite da união das freguesias de Sacavém e Prior Velho. Tem cerca de 4 km de comprimento e é a única dotada com ILS (CAT III). Foi alterada em 2022 a denominação (anteriormente 03/21), devido a correções do desvio magnético.
  • Pista 17/35: Pelo extremo sul iniciava-se nos limites da freguesia de Alvalade, seguia pela freguesia dos Olivais, indo terminar na freguesia de Santa Clara. Tinha cerca de 2,5 km de comprimento. Nos últimos anos, a pista 17/35 tinha vindo a ser cada vez menos utilizada, facto justificado, uma vez que qualquer aeronave, ao descolar da pista 17/35, teria de usar mais potência, o que tornava a descolagem menos económica e mais arriscada. Da mesma forma acontece com as aterragens, pois implica uma maior utilização de travões e aumenta a possibilidade de uma "runway excursion". Outro motivo para a fraca utilização desta pista é o facto de qualquer aeronave que esteja estacionada no terminal 1, ou que tenha aterrado na pista 02/20 necessitava, obrigatoriamente, de atravessar a pista 17/35 para seguir para o seu lugar de estacionamento designado. No entanto, em dias de forte nortada, a pista 35 proporcionava aterragens mais seguras que a 02/20. Dada a sua raríssima utilização, e conforme os planos de expansão do aeroporto, esta pista foi encerrada no final de 2019 e atualmente passou a ser a taxiway T. Serve, excecionalmente, de estacionamento extra em caso de sobrecarga da capacidade do aeroporto.

A estação Aeroporto foi inaugurada a 17 de julho de 2012 e é estação terminal da linha vermelha. A partir de então o aeroporto passou a poder ser ligado por transporte de grande capacidade aos pontos mais importantes da cidade e em apenas poucos minutos.

A estação de Metro Aeroporto está ligada ao terminal do aeroporto através de uma galeria subterrânea. Estão em curso, estudos do Metropolitano para futuras expansões a partir da estação do aeroporto.

Expansão

editar

No dia 8 de janeiro de 2019 foi assinado o acordo de financiamento da expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa. O evento teve lugar na Base Aérea Nº6 do Montijo, a localização proposta para o desenvolvimento de um aeroporto que funcionará de forma integrada com o Aeroporto Humberto Delgado. Lisboa passará a beneficiar de um modelo dual que combina a operação de hub do Aeroporto Humberto Delgado com uma operação ponto a ponto no Aeroporto do Montijo. No mesmo dia, a ANA Aeroportos de Portugal publicou um vídeo com o projeto de expansão: até 2028, o aeroporto terá 89 posições de estacionamento e 72 movimentos por hora (capacidade combinada).

Este plano contemplava: a construção de 3 novos "piers" do Terminal 1, perpendiculares ao edifício principal, a construção de um novo taxiway paralelo à pista 03/21 e a relocalização do AT1 Figo Maduro para dar espaço à construção de mais posições de estacionamento remotas.

Já em 2020, foram construídas duas novas saídas rápidas de pista, uma para cada orientação da 02/20.

Acessos Ferroviários

editar

Em 2021, a IP revelou que tinha estudado a construção de uma ligação do Aeroporto Humberto Delgado à rede ferroviária nacional. Uma das hipóteses estudada pela gestora de infraestruturas foi um túnel entre a Linha de Cintura, na zona do Parque da Bela Vista, e o terminal 1 do Aeroporto que teria um custo estimado de 74 milhões de euros.

Futuro

editar

Em 14 de maio de 2024 o governo presidido por Luís Montenegro decidiu avançar com uma nova solução aeroportuária para Lisboa, o Aeroporto Luís de Camões, em Alcochete, que substituirá no futuro o aeroporto Humberto Delgado.[7]

Referências

  1. Apesar de um dos nomes pelos quais é conhecido provir da freguesia da Portela)
  2. «Lisboa - Aeroporto da Portela muda de nome a 15 de maio - Portugal - DN». DN. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  3. «Tráfego de passageiros nos aeroportos: Lisboa, Porto e Faro». Pordata. 2023 
  4. «Vinci Airports - Traffic 2023» (PDF). 16 Janeiro 2024. Consultado em 17 Janeiro 2024 
  5. «Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais mantém tendência crescente - Maio de 2024». 15 Julho 2024. Consultado em 15 Julho 2024 
  6. Teixeira da Silva (4 de abril de 2014). «Aeroporto da Portela». Consultado em 2 de agosto de 2014 
  7. ECO. «Governo aprova aeroporto em Alcochete» 

Ligações externas

editar
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto Humberto Delgado