Abrir menu principal

Alberto Casimiro, Duque de Teschen

(Redirecionado de Alberto de Saxe-Teschen)
Alberto Casimiro
Duque de Teschen
Cônjuge Maria Cristina, Duquesa de Teschen
Descendência Maria Cristina Teresa da Saxônia
Casa Wettin
Nome completo
Alemão: Albert Kasimir August Ignaz Pius Franz Xavier
Nascimento 11 de julho de 1738
  Moritzburg, Saxónia
Morte 10 de fevereiro de 1822 (83 anos)
  Viena, Áustria
Enterro Cripta Imperial de Viena, Áustria
Pai Augusto III da Polónia
Mãe Maria Josefa da Áustria
Religião Católica

Alberto Casimiro, Duque de Teschen (Mortzburg, 11 de julho de 1738Viena, 10 de fevereiro de 1822) era filho do rei Augusto III da Polônia. Em 1766, após a morte de seu pai, apesar da oposição do imperador Francisco I, a arquiduquesa Maria Cristina, irmã mais velha da futura rainha de França, Maria Antonieta, o escolheu para consorte. Este privilégio de escolher o seu marido foi um favor especial autorizado pela mãe, a imperatriz Maria Teresa, uma vez que o casamento das crianças imperiais eram habitualmente ditados pela diplomacia. Eles tiveram apenas uma filha, Maria Cristina Teresa , que morreu com um dia de vida, depois o casal adotou Carlos, Duque de Teschen, sobrinho de Maria Cristina.

Por nomeação do seu sogro, Alberto recebe, então, o ducado de Teschen na Silésia Austriaca. De 1765 a 1780, foi governador da Hungria, em Bratislava, e depois, conjuntamente com a sua esposa, governador dos Países Baixos Austríacos em Bruxelas após a morte, em 1780, do príncipe Carlos Alexandre de Lorena. Em 1790, reprimiu a revolução brabançona, causada pelas reformas do imperador José II, seu cunhado.

Em 1792, comandou o exército austríaco que fazia frente à França revolucionária, bombardeando Lille em setembro, antes de se retirar. No entanto é batido na Batalha de Jemappes (6 de novembro).

Alberto iniciou uma vasta coleção de objetos de arte, que envia para Viena quando tem que abandonar Bruxelas pelo avanço das tropas revolucionárias francesas em 1793. Após a conquista da Bélgica pelos Franceses, retira-se para a Áustria.

A sua esposa morre de tifo[desambiguação necessária] em 1798, consagrando-se então à sua coleção de arte, que legará ao seu sobrinho e filho adotivo, o arquiduque Carlos.

Ao lado do seu palácio, Alberto manda construir um memorial em honra da sua esposa. o casal foi enterrado nas tumbas 111 e 112 da Cripta Imperial de Viena.

Ver tambémEditar