Abrir menu principal

Alegre (Espírito Santo)

município do Estado do Espírito Santo
Alegre
  Município do Brasil  
A prefeitura de Alegre
A prefeitura de Alegre
Símbolos
Bandeira de Alegre
Bandeira
Brasão de armas de Alegre
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Cidade Jardim"
Gentílico alegrense[1]
Localização
Localização de Alegre no Espírito Santo
Localização de Alegre no Espírito Santo
Alegre está localizado em: Brasil
Alegre
Localização de Alegre no Brasil
Mapa de Alegre
Coordenadas 20° 45' 50" S 41° 31' 58" O
País Brasil
Unidade federativa Espírito Santo
Região intermediária[2] Cachoeiro de Itapemirim
Região imediata[2] Alegre
Municípios limítrofes Cachoeiro de Itapemirim, Jerônimo Monteiro, Muniz Freire, Mimoso do Sul, Guaçuí, Ibitirama, São José do Calçado e Castelo
Distância até a capital 189 km
História
Fundação 11 de novembro de 1890
Administração
Distritos
Prefeito(a) José Guilherme Gonçalves Aguilar (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 772 km²
População total (estatísticas IBGE/2019[1]) 30 084 hab.
Densidade 38,97 hab./km²
Clima tropical de altitude (Cwa)
Altitude 277 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 29500-000 a 29539-999[4]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[5]) 0,721 alto
PIB (IBGE/2016[6]) R$ 487 304,40 mil
PIB per capita (IBGE/2016[6]) R$ 15 145,44
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Penha
www.alegre.es.gov.br (Prefeitura)
www.alegre.es.leg.br (Câmara)

Alegre é um município brasileiro no estado do Espírito Santo, Região Sudeste do país. Localiza-se no sul capixaba e sua população estimada em 2019 era de 30 084 habitantes.[1]

O clima é quente e chuvoso, no verão, e seco, no inverno. O IDH do município é 0,721, classificado como alto, estando na 18ª posição entre os 78 municípios do estado.

ImigraçãoEditar

 
Alegre, 1958. Arquivo Nacional.

Alegre também recebeu um importante contingente de imigrantes, principalmente sírios e libaneses. É nítida a presença da cultura libanesa no comércio da cidade.

GeografiaEditar

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[7] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Cachoeiro de Itapemirim e Imediata de Alegre.[2] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Alegre, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Sul Espírito-santense.[8]

ClimaEditar

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de outubro de 2006 a novembro de 2019,[9] a menor temperatura registrada em Alegre foi de 9,1 °C em 4 de setembro de 2011, e a maior atingiu 41,7 °C em 16 de outubro de 2015. O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 168,2 milímetros (mm) em 29 de dezembro de 2010.[10][11]

EducaçãoEditar

O município possui um campus da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) com 17 cursos de graduação e um campus do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES) com 4 curso técnicos e 4 cursos de graduação superior, conta também com a Faculdade de Filosofia Ciências e Letras (FAFIA), organizada como autarquia municipal, com 10 cursos superiores.

Campus de Alegre da UFESEditar

Inicialmente o campus abrigava apenas o curso de agronomia. Em 2000, foi instalado o Centro de Ciências Agrárias (CCA-UFES) e foi desencadeado um processo de expansão. Em 2015 o CCA foi desmembrado e o campus passou a abrigar dois centros de ensino denominados Centro de Ciências Agrárias e Engenharias (CCAE) e Centro de Ciências Exatas, Naturais e da Saúde (CCENS), ofertando, atualmente, 17 cursos de graduação, 6 de mestrado e 3 de doutorado. Os cursos de graduação são: agronomia, ciência da computação, ciências biológicas (bacharelado), ciências biológicas (licenciatura), engenharia de alimentos, engenharia florestal, engenharia madeireira, engenharia química, farmácia, física (licenciatura), Geologia, matemática (licenciatura), medicina veterinária, nutrição, química (licenciatura), sistemas de informação e zootecnia. Na pós-graduação, incluem-se os cursos de mestrado em Agroquímica, Ciências Florestais, Ciências Veterinárias, Ciência e Tecnologia de Alimentos, Educação, Engenharia Química, Genética e Melhoramento e Produção Vegetal e de doutorado em Ciências Florestais, Genética e Melhoramento e Produção Vegetal.[12]

TurismoEditar

Cachoeira da FumaçaEditar

 
Cachoeira da Fumaça

O Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça foi criado através do decreto n° 2.791-E (24 de agosto de 1984) e complementado através do decreto n° 4.568-E (21 de setembro de 1990), quando o então Governo do Estado, atendendo a uma demanda de moradores dos municípios de Alegre, Guaçuí e Castelo e de outros estados da Federação, desapropriou uma área de 27 hectares, coberta basicamente de pastagem, mas que continha em seu interior a Cachoeira da Fumaça.

A cachoeira tem esse nome devido à neblina que se eleva acima da mesma . Esta localizada na divisa com o município de Ibitiirama.

Festival de Música de AlegreEditar

O Festival de Alegre surgiu como uma festa universitária em 1980 com os objetivos de divulgar a música popular e revelar novos nomes para o cenário nacional, tanto de compositores como de intérpretes. Na década de 90, o evento tomou outras proporções com o aumento significativo da divulgação, o que explica o sucesso de inscrições e de público a cada ano.

Em 2005, o Festival emplacou seu recorde ao receber 1.880 músicas para a pré-classificação, 57% a mais que no ano anterior, incluindo inscrições de outros países. Nos últimos 5 anos, mais de 6.000 músicas foram inscritas. A estimativa para este ano é um crescimento de 10% a 15%.

O sucesso no aumento do número de inscrições também é extensivo ao público que circula por Alegre durante o evento. Na década passada, o município recebia 10 mil visitantes durante o Festival. No ano 2000 esse número subiu para 100 mil visitantes, e para 2006 eram esperados 150 mil espectadores. O Festival oferecia uma das maiores premiações do Brasil.

Há alguns anos, o Festival de Alegre deixou de ser um festival de divulgação de música popular, pois não é mais realizado os concursos. O evento passou a ser uma grande festa contando com artistas de grande sucesso nacional.

O festival acontece no Centro de Lazer Geraldo Santos, uma área que possui mais de 30.000 m². O local abriga uma completa infraestrutura de palco, sonorização, iluminação, camarote, praça de alimentação, arquibancadas e banheiros químicos, além de postos de atendimento médico e policial.

Durante do evento, a cidade fica tomada pela festa, como um grande carnaval fora de época. Ruas lotadas de carros de som, muita gente dançando e bebendo pelas calçadas.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Alegre». Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (9 de setembro de 2013). «Alegre - Unidades territoriais do nível Distrito». Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  4. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  5. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 31 de agosto de 2013. Arquivado do original (PDF) em 8 de julho de 2014 
  6. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  8. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 13 de novembro de 2019 
  9. «Estação Meteorológica de Observação de Superfície Automática - Alegre». Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Consultado em 13 de novembro de 2019 
  10. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). «Dados Meteorológicos - Espírito Santo». Consultado em 13 de novembro de 2019 
  11. «Consulta Dados da Estação Automática: Alegre (ES)». Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Consultado em 13 de novembro de 2019 
  12. http://www.alegre.ufes.br/

Ligações externasEditar