Abrir menu principal
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde outubro de 2018). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a região da Armênia que também é chamada de "Pequena Armênia". Para a outra "Armênia Inferior" ou "Pequena Armênia" no século XI ao XIV, veja Reino Armênio da Cilícia.
Armênia inferior (em amarelo esverdeado à esquerda, perto da costa do Mar Negro) e Armênia Maior (em amarelo alaranjado) entre os séculos IV e II a.C.

Armênia Inferior (em armênio/arménio: Փոքր Հայք - Pokr Hayk), conhecida também como Armênia Menor, é uma das regiões da antiga Armênia, localizada a oeste e noroeste do território Reino da Armênia (chamado de "Armênia Maior"). A região foi depois reorganizada como Tema Armeníaco durante o Império Bizantino.

Entre os séculos XI e XIV, o termo "Armênia Inferior" (e, as às vezes, "Pequena Armênia") foi utilizado para designar principalmente o Reino Armênio da Cilícia.

Índice

GeografiaEditar

A Armênia Inferior abrangia a porção da antiga Armênia e do planalto armênio a oeste e noroeste do rio Eufrates. Ela recebeu este nome para distingui-la da porção oriental, muito maior, chamada de Armênia Maior.

HistóriaEditar

Pré-históriaEditar

Antes do século IV a.C., o território da Armênia Inferior era parte do antigo Reino da Armênia, governado pela dinastia real dos Orôntidas (Yervanduni, em armênio/arménio: Երուանդունի ) que, a partir daí, passou a ser súdita do Império Aquemênida.

Depois das companhas de Alexandre, o Grande, na década de 300 a.C., conforme ruía o Império Persa, Mitrídates, um general armênio no exército persa declarou-se rei da Armênia Menor, geralmente conhecida como Reino do Ponto. Assim, dois reinos independentes emergiram do antigo território do Reino da Armênia - o Reino do Ponto e a Armênia Maior. No século III a.C., o Ponto atingiu sua máxima extensão e abrangia também territórios na costa sudeste do Mar Negro, incluindo as províncias da cidade de Trapezos, Rize e Hamshen (de onde se originam os armênios étnicos hamshenis).

Guerras romano-persasEditar

 Ver artigo principal: Armênia romana

A Armênia foi disputada entre a Roma Antiga e a Pártia durante as Guerras romano-partas de 66 a.C. até o século II d.C. A influência romano foi estabelecida primeira pela campanha de Pompeu entre 66 e 65 a.C. e, novamente, em 59 d.C., na campanha romano-parta de Cneu Domício Córbulo, que resultou na deposição de Tirídates I.

Armênia Inferior durante os Impérios Romano e BizantinoEditar

 Mais informações: Armênia romana
Provincia Armenia I
Provincia Armenia II
Provincia Armenia III
Provincia Armenia I Magna
Armênia I / II / III / I Magna
Província do(a) Império Bizantino
  
293século VII  

 
As províncias da Armênia I, Armênia II, as Satrapias (futura Armênia IV) e a região da "Armênia Maior", que tornar-se ia a província da Armênia I Magna em 536, neste mapa da fronteira persa no século V.
Capital Sebasteia (I)
Melitene (II)
??? (III)
Teodosiópolis
Líder consular (Armênia I?)
presidente (demais)
Procônsul (Armênia Magna)

Período Antiguidade Tardia
século IV Partição da Armênia Inferior. Criação da Armênia I e II
536 Reforma de Justiniano I. Criação da Armênia III e da Armênia I Magna.
século VII Adoção dos sistema dos temas

Toda a Armênia tornou-se uma província romana por um breve período em 114 durante o reinado de Trajano, mas, logo depois que ele morreu, Adriano abandonou a região, que se tornou um reino cliente de Roma. A região foi perdida novamente para Vologases IV da Pártia em 161 e, dois anos depois, o contra-ataque romano de Estácio Prisco conseguiu novamente colocar um candidato pró-Roma no trono armênio. A influência romana na região perdurou até a derrota na Batalha de Barbalisso em 253. Poucos anos depois, porém, no final do século III, Roma estava novamente no controle da região e passou a promover a cristianização da Armênia.

A Armênia Inferior foi anexada ao reino da Armênia Maior durante o reinado do rei arsácida Tirídates III em 287 e lá permaneceu até a conquista de Sapor II em 337. Na sequência, ela foi organizada como uma província plena sob Diocleciano (r. 284–305) e, no século IV, ela foi novamente dividida em duas províncias: Armênia I (Armênia Prima), com capital em Sebasteia, e Armênia II (Armênia Secunda), com capital em Melitene. Elas foram todas subordinadas à Diocese do Ponto, na Prefeitura pretoriana do Oriente.

Em 536, novas reformas aboliram a autonomia das satrapias romanas além do Eufrates e toda a região da Armênia foi reorganizada em quatro novas províncias plenas. A região oriental da Armênia Inferior ("Armênia Interior") foi fundida com partes do Ponto Polemoníaco e da Armênia I para formar a Armênia I Magna ou Primeira Armênia (que, confusamente, também é chamada de "Armênia Maior", que não deve ser confundido com a Armênia Maior), governada por um procônsul; as antigas províncias da Armênia I e Armênia II foram redivididas em Armênia II e a nova Armênia III; as antigas satrapias romanas (Satrapiae) além do Eufrates formaram a nova Armênia IV[1].

As bordas da Armênia bizantina foram expandidas em 591 e passaram a incluir a Armênia, mas a região foi o foco de décadas de guerra entre bizantinos e persas (as guerras bizantino-sassânidas) até a conquista árabe da Armênia em 639.

Depois disso, a porção da Armênia Inferior que ainda estava sob controle bizantino passou a fazer parte do Tema Armeníaco. A população permaneceu majoritariamente armênia durante todo o período, mas já romanizada.

Sés episcopaisEditar

As sés episcopais da província que aparecem no Annuario Pontificio como sés titulares são[2]:

Influência mongol e otomanaEditar

Depois da queda da Armênia Bagrátida em 1045 e a subsequente perda do oriente bizantino depois da Batalha de Manziquerta em 1071, a Armênia Inferior passou para o comando dos turcos seljúcidas, depois - partes dela - para o Império Mongol por 92 anos e finalmente para o Império Otomano.

Anos finaisEditar

A Armênia Inferior é tradicionalmente considerada como parte da Armênia Ocidental, especialmente depois que a Armênia Oriental foi adquirida pelo Império Russo depois da Guerra russo-turca de 1828-1829.

A população cristã da Armênia Menor continuou a existir na região até o Genocídio Armênio de 1915-1923. Alguns armênios ainda vivem na região, mas já convertidos ao islamismo por influência otomana, principalmente no século XVII[3].

Referências

  1. Hovannisian (2004), pp. 105–106
  2. Annuario Pontificio 2013 (Libreria Editrice Vaticana 2013 ISBN 978-88-209-9070-1), "Sedi titolari", pp. 819-1013
  3. Armenian History and Presence in Hemşin

BibliografiaEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Armênia Inferior