Abrir menu principal
Armando Monteiro
Foto oficial
Senador por Pernambuco
Período 1 de fevereiro de 2011
até 31 de janeiro de 2018
Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil
Período 1° de janeiro de 2015
até 9 de maio de 2016
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor Mauro Borges Lemos
Sucessor Marcos Pereira
Deputado Federal por Pernambuco
Período 1 de janeiro de 1999
até 31 de janeiro de 2011
(3 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nascimento 24 de fevereiro de 1952 (67 anos)
Recife, Pernambuco, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Cônjuge Mônica Guimarães
Partido PSDB (1990–1997)
PMDB (1997–2003)
PTB (2003–presente)
Profissão Administrador de empresas, industrial e advogado

Armando de Queiroz Monteiro Neto (Recife, 24 de fevereiro de 1952) é um administrador de empresas, industrial, advogado e político brasileiro. Ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), foi eleito senador por Pernambuco para as legislaturas do Congresso Nacional entre 2011-2019.

Índice

Formação acadêmica e famíliaEditar

Filho de Armando de Queirós Monteiro Filho e Maria do Carmo Magalhães de Queiroz Monteiro.[1] Em 1973, graduou-se em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, e em 1988, em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).[1]

Por parte materna, é neto de Agamenon Magalhães e, portanto, hexaneto de Agostinho Nunes de Magalhães, colonizador português que fundou a cidade brasileira de Serra Talhada, no estado de Pernambuco por volta de 1730.

É casado com Mônica Guimarães e é pai de quatro filhos.[2]

Carreira políticaEditar

Iniciou sua vida política filiando-se em 1990 ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), permanecendo até 1997, quando se filiou ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Desde 2003 pertence ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Elegeu-se deputado federal por Pernambuco por três mandatos consecutivos: 1999-2003 ainda pelo PMDB, 2003-2007 e 2007-2011 pelo PTB.[1] No pleito de 2010 foi eleito Senador por Pernambuco, cujo mandato irá até 31 de janeiro de 2019. Seu suplente é Douglas Cintra.

Concorreu sem êxito ao cargo de governador de Pernambuco nas eleições em Pernambuco em 2014.

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio ExteriorEditar

Em 1 de dezembro de 2015 foi anunciado oficialmente como futuro ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do segundo mandato do Governo Dilma Rousseff.[3]

Em maio de 2016, deixou a pasta e voltou ao Senado Federal para votar contra o afastamento de até 180 dias da presidente Dilma no processo de Impeachment.[4]

Sindicatos patronaisEditar

Já foi presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) eleito por quatro mandatos consecutivos (1992 a 2004). Em 15 de outubro de 2002 assumiu a presidência da Confederação Nacional da Indústria (CNI) para o período 2002-2006. Em 25 de julho de 2006, foi reeleito, em chapa única, para o exercício do mandato de 2006-2010, tomou posse em 7 de outubro.

SenadoEditar

Em dezembro de 2016, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[6] Em julho de 2017 votou a favor da reforma trabalhista.[7]

Governo de PernambucoEditar

Tentou a eleição de 2018 para governador de Pernambuco, mas perdeu em 1° turno para Paulo Câmara que disputava a reeleição.

CondecoraçõesEditar

 
Em 22 de outubro de 2007, discursa durante o 2º Encontro Nacional da Indústria, que discutiu temas como licenciamento ambiental, Lei Geral, políticas e programas de apoio às micros e pequenas empresas entre outros. Foto:Antonio Cruz/ABr.

As condecorações recebidas:[1]

  • 1994 - Medalha Conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira (TRT/PE)
  • 1995 - Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho (TST)
  • 1995 - Ordem do Mérito Judiciário Desembargador Joaquim Nunes Machado (TJ/PE)
  • 1998 - Ordem do Mérito Prevencionista, Grande-Oficial (Agência Brasil de Segurança/Recife)

Obras publicadasEditar

As obras publicadas:[1]

  • Missão e Compromisso. Recife: Letras & Artes, 1997. 117 p.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e «Armando Monteiro - PTB/PE». Câmara dos Deputados do Brasil. Consultado em 26 de março de 2017 
  2. «Armando Monteiro tem carreira ligada à indústria». G1. 1 de dezembro de 2014 
  3. «Dilma Rousseff anuncia Armando Monteiro para o Ministério do Desenvolvimento». Agência Brasil. 1 de dezembro de 2014. Consultado em 26 de março de 2017 
  4. «Armando Monteiro deixa ministério para votar contra o impeachment no Senado». Estadão. 9 de maio de 2018 
  5. Site oficial. «Atuação na Confederação Nacional da Indústria». Consultado em 28 de junho de 2008 [ligação inativa]
  6. Bol (13 de dezembro de 2016). «Confira como votaram os senadores sobre a PEC do Teto de Gastos 155 Do UOL, em São Paulo». Consultado em 16 de outubro de 2017 
  7. Redação - Carta Capital (11 de julho de 2017). «Reforma trabalhista: saiba como votaram os senadores no plenário» 

Ligações externasEditar