Atlético Roraima Clube

Atlético Roraima Clube é um clube esportivo brasileiro sediado em Boa Vista, capital de Roraima. Com 17 títulos é o segundo maior campeão estadual de futebol, sendo 8 títulos na fase profissional.

Atlético Roraima
Nome Atlético Roraima Clube
Alcunhas Tricolor[1]
Tricolor da Mecejana
Tricolor de Ouro
Clube dos Milionários
Torcedor(a)/Adepto(a) Tricolor
Milionário
Atleticano
Mascote Cartola
Principal rival Baré
Fundação 1 de outubro de 1944 (79 anos)
Estádio Estádio Canarinho
Capacidade 4.556 pessoas[2]
Localização Boa Vista, RR
Presidente Carlos Alberto Torres
Treinador(a) Dário Lourenço
Patrocinador(a) Chico Mozart
Material (d)esportivo Digital Prints
Competição Campeonato Roraimense
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

História editar

O clube nasceu no dia 1 de outubro de 1944, fruto do sonho pessoas de tradicionais famílias de Roraima, sendo que o clube recebeu o apelido de "Clube dos Milionários", pois a maioria de seus fundadores eram fazendeiros e comerciantes renomados de Boa Vista.[3]

O polêmico roraimense de 1998. editar

O Clube além de ser um dos mais tradicionais do estado de Roraima, protagonizou um dos episódios mais "bizarros" do futebol roraimense. Em 1998, em mais uma disputa do Campeonato Roraimense, o Tricolor da Mecejana estava no quadrangular final junto de São Raimundo, Progresso, e Baré. Chegando na última rodada do quadrangular, o Atlético precisava golear o Progresso por sete gols de diferença ou mais para conquistar o campeonato, já que o seu concorrente Baré estava com seis gols á frente no critério de gols marcados. Um dos detalhes daquele jogo foi o fato de que os jogadores do Progresso na época ameaçaram não jogar a partida contra o Atlético por salários atrasados, porém, o diretor do Tricolor na época: Josenildo Barroso Feitosa, após ouvir as reclamações de salários não pagos dos jogadores, ligou para Ademir Viana (Presidente do Atlético na época) pedindo que ajudasse os atletas do Progresso, já que caso ocorresse desistência, o Tricolor perderia o título. O presidente aceitou custear os salários, porém, alguns jogadores do Progresso na época dizem desconhecer da história contada por Feitosa.[4]

O Jogo

Após isso a bola rolou no Canarinho, no final do primeiro tempo, o jogo estava 3 a 0 para o Tricolor de Ouro, quando o goleiro reserva da equipe do Progresso, Roxo, sofreu lesão no tornozelo, deixando assim mais fácil para o Atlético aumentar a vantagem, nos jornais locais após a partida, Roxo foi acusado de forjar a lesão. O atleta abandonou o futebol após aquele campeonato. Alguns instantes depois um jogador do Baré, Val, que assistia o jogo na arquibancada, chegou á agredir verbalmente o técnico da equipe do Progresso, acusando-o de facilitar o resultado. Após um primeiro tempo conturbado, o árbitro autorizou a segunda etapa, com 22 minutos de jogo o resultado era de 5 a 0 Atlético. Alguns minutos depois, Renato Júnior, atleta da base do Baré que também estava no estádio, apagou os refletores usando um pedaço de pau. Após isso os jogadores do Baré invadiram o campo e pegaram a taça entoando um grito de "é campeão", soando assim como uma provocação aos jogadores do Atlético. Após 1 hora e 11 minutos de paralisação os refletores foram religados, e durante a queda de energia, os jogadores do Progresso revoltados com a atitude dos atletas do Baré, decidiram entregar o jogo, e assim foi feito, placar final 8x1 para o Atlético. Após essa final a Federação Roraimense alterou o regulamento, favorecendo assim a equipe com menos gols sofridos, e não a com mais gols marcados.[4]

Desistência e eliminação da Série D de 2009 editar

Em 8 de agosto de 2009, o Roraima disputaria sua última partida no Grupo A1 da então estreante Série D do Campeonato Brasileiro, contra o Genus. Ambos disputariam a segunda vaga do grupo para a fase seguinte. Enquanto o clube de Rondônia compareceu ao Estádio Aluízio Ferreira, o Tricolor da Mecejana acabou não aparecendo para a partida.[5] Por conta do abandono, a CBF declarou o Genus vencedor por 3 a 0, puniu o Roraima com a eliminação imediata da Série D e suspendeu a agremiação de qualquer competição promovida pela entidade por dois anos.[6][7]

Pela Copa do Brasil de 2010, o clube enfrentou a Portuguesa na primeira fase e foi eliminado por uma goleada de 7 a 0.[8]

No Campeonato Roraimense de 2018[9] o clube foi eliminado nos dois turnos, mas como foi o clube que mais pontuou ganhou uma vaga para a Série D de 2019.[carece de fontes?]

Pela disputa da Série D de 2019, o clube acabou fazendo a pior campanha de um clube roraimense na história do campeonato.[10]

Pelo Campeonato Roraimense de 2019, o clube foi o terceiro colocado geral, não garantindo vaga para nenhum torneio nacional, porém, em novembro de 2019, o Baré anunciou a desistência do futebol profissional em 2020. Com isso, sua vaga na Série D foi repassada ao Atlético Roraima[11] Porém, em janeiro de 2020, o Baré recuou da desistência e solicitou a vaga que lhe era de direito. A CBF, apesar de ter recebido a indicação da FRF do Atlético Roraima substituir o Baré na disputa por desistir verbalmente das competições oficiais do ano, optou por seguir o regulamento e manter o primeiro na competição nacional, tendo em vista que o Baré não formalizou e oficializou a desistência da vaga junto à entidade. O Baré foi oficializado como segundo representante de Roraima assim que a tabela da competição fora divulgada.[12][13]

Símbolos editar

Escudo editar

O Escudo é uma homenagem clara ao Fluminense, clube este que tinha simpatia da maioria dos fundadores do clube, as cores são as mesmas, o verde e o grená. O que muda são apenas as letras iniciais do nome dos clubes, enquanto no escudo do Fluminense as letras são FFC, no escudo do Atlético Roraima as letras são ARC.[3]

Mascote editar

Tendo como exemplo o escudo, o mascote também é inspirado no Fluminense, mas desta vez tendo um motivo ainda maior, quando da sua criação, o Atlético Roraima também era chamado de "Clube dos Milionários". Esta citação continuou até que houve um desentendimento na diretoria e alguns diretores se desligaram do clube e fundaram o maior rival do Tricolor, após isso o apelido ficou esquecido.[3]

Hino editar

Foram autores do hino do clube Galvão Soares, Jorge Luiz, Jorge Souza, Carlos Alberto Alves, Amanajás Gouveia e Severino Cavalcante, todos da a equipe de Esportes da Rádio Difusora de Roraima e também a banda municipal, por intermédio o maestro Franco. Os hinos dos clubes foram solicitados pela equipe Difusora de Esporte da Rádio Roraima, em 1975, ao Maestro Franco, maestro da banda de Música da Guarda Territorial em Boa Vista. Este idealizou e produziu o hino. Para arrecadar o dinheiro e pagar a gravação foi realizado um torneio de futebol no Estádio João Mineiro.

Títulos editar

Estaduais
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Roraimense 17 1946, 1948, 1949, 1951, 1975, 1978, 1981, 1983, 1987, 1995 , 1998 , 2001 , 2002, 2003, 2007 , 2008  e 2009
Torneio Sesquicentenário 1 1972[14]
  Torneio Início 3 1964[15], 1976[16] e 1989[17]


  Campeão Invicto

Campanhas de destaque editar

Desempenho em Competições editar

Participações editar

Participações em 2024
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P   R  
  Estadual 55 Campeão (17 vezes) 1946 2024
  Copa Norte 2 7º colocado (2002) 2001 2002
Copa Amazônia 7 4° colocado ( 1980 e 1988) 1976 2003
  Série C 5 9º colocado (2002) 1995 2004
Série D 2 36º colocado (2009) 2009 2019
Copa do Brasil 8 31º colocado (2003) 1996 2010

  Campeonato Roraimense editar

Ano 1946 1947 1948 1949 1950 1951 1952 1953 1954 1955 1956 1957 1958 1959 1960 1961 1962 1963 1964 1965
Pos.
Ano 1966 1967 1968 1969 1970 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979 1980 1981 1982 1983 1984 1985
Pos.
Ano 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005
Pos.
Ano 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025
Pos.

  Copa Norte editar

Ano 2001 2002
Pos. 10º

  Torneio da Integração da Amazônia editar

Ano 1976 1979 1980 1982 1983 1984 1985 1988 2003
Pos.

  Campeonato Brasileiro - Série C editar

Ano 1995 1997 2002 2003 2004
Pos. 59º 39º 45º 32º

  Campeonato Brasileiro - Série D editar

Ano 2009 2019
Pos. 36º 65º

  Copa do Brasil editar

Ano 1996 1999 2002 2003 2004 2008 2009 2010
Pos. 38º 47º 64º 31º 61º 61º 49º 63º

Ligações externas editar

Referências

  1. «Babá é problema ao Tricolor». Folha de Boa Vista. Boa Vista-RR. 9 de abril de 1989 
  2. https://folhabv.com.br/noticia/ESPORTES/Local/Estadio-Canarinho-sera-entregue-no-1o-semestre-de-2020/60064
  3. a b c «História do Clube». Atlético Roraima Clube 
  4. a b «Você sabia? Estadual de Roraima adotou regulamento que prioriza defesa após 8 a 1 improvável». ge. Consultado em 20 de julho de 2021 
  5. «Futebol Interior - Bomba! Atlético Roraima desiste de jogo na Série D e está eliminado». www.futebolinterior.com.br 
  6. Atlético Roraima desiste de jogo e classifica Gênus na Série D
  7. Atlético Roraima desiste de jogo e classifica Gênus na Série D
  8. «Em Roraima, Portuguesa passeia em campo e humilha o Atlético-RR por 7 a 0». UOL Esporte. 25 de fevereiro de 2010. Consultado em 12 de setembro de 2023 
  9. «Após três anos, Atlético Roraima volta a vencer o Baré no Estadual profissional». GR Globo. 17 de março de 2018. Consultado em 12 de setembro de 2023 
  10. «Atlético Roraima faz a pior campanha de um clube roraimense na história da Série D». GE Globo. 13 de junho de 2019. Consultado em 12 de setembro de 2023 
  11. «Baré não jogará em 2020 e Atlético Roraima deve herdar vaga da Série D e o Mundão da Copa Verde». GloboEsporte.com. 20 de novembro de 2019. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  12. «CBF define o Baré como segundo representante do estado na Série D; Atlético Roraima irá recorrer». GloboEsporte.com. 3 de março de 2020. Consultado em 4 de março de 2020 
  13. «Série D 2020: CBF divulga tabela e grupos do Brasileiro; 68 times disputam o acesso. Confira divisão». GloboEsporte.com. 4 de março de 2020. Consultado em 4 de março de 2020 
  14. Jornal do Comércio, Manaus - Amazonas, 25 de Março de 1972. O Roraimense de 1971 devido à irregularidades, começou apenas em 1972 e após o término do 1º turno o Tribunal de Justiça Desportiva cancelou o campeonato porque foi descoberto que os participantes tinham irregularidades, portanto foram organizados dois torneios distintos para definir o campeão estadual de 1971, o Torneio Sesquicentenário vencido pelo Atlético Roraima e o Torneio Compensação, vencido pelo Baré
  15. «Progride o Futebol em Roraima». O Globo. Rio de Janeiro-GB. 30 de outubro de 1964 
  16. «Territórios também têm Torneio da Integração. Este é o time do Roraima, participante do torneio e campeão do Torneio Início». Jornal dos Sports. Rio de Janeiro-RJ. 16 de setembro de 1976 
  17. «Babá é problema ao Tricolor». Folha de Boa Vista. Boa Vista-RR. 9 de abril de 1989