Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2015). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde janeiro de 2010). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Augusto César Vannucci
Nascimento 11 de janeiro de 1934
Uberaba
Nacionalidade brasileiro
Morte 30 de novembro de 1992 (58 anos)
Rio de Janeiro

Augusto César Vannucci (Uberaba, 11 de janeiro de 1934Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1992) foi um ator de cinema, diretor e produtor de televisão brasileiro.

BiografiaEditar

Ingressou na carreira artística como ator na Companhia César Ladeira, aos 18 anos. Como ator, participou de filmes, durante os anos 50 e 60, como Alegria de Viver (1958) (no qual também canta e dança), Tristeza do Jeca (1961) e Três Colegas de Batina (1962), entre outros.

Foi para a Rede Globo em 1965, meses após a inauguração da emissora. Nos anos 70 e 80, dedicou-se à carreira de diretor e produtor de programas de televisão. Criou e dirigiu a maior parte dos grandes musicais da Rede Globo, como Globo de Ouro e Alô Brasil, Aquele Abraço, e de humorísticos famosos, como Chico City, Faça Humor, Não Faça a Guerra, Aplauso e Os Trapalhões. Muitos de seus especiais, como os infantis e musicais, foram premiados no Brasil e no exterior. Dirigiu os especiais do Balão Mágico como A Turma do Balão Mágico em Amigos do Peito e A Turma do Balão Mágico Nº2, ao lado de Paulo Netto.

Espírita, ele também criou programas ligados à religião, como o Terceira Visão, apresentado por Luis Antonio Gasparetto na TV Bandeirantes, e era amigo pessoal do médium Chico Xavier. Vannucci dirigiu a peça Além da Vida, psicografada por Chico. Passou também pela Rede Manchete, onde criou a série Fronteiras do Desconhecido e, dias antes de sofrer o derrame cerebral que o matou, dirigiu para a Rede Globo o programa especial Criança Esperança, onde estavam os humoristas de Os Trapalhões, e elenco da Globo, com esportistas, atores, atrizes, cantores, cantoras, jornalistas e vários artistas.

Vannucci morreu aos 58 anos de idade, no Rio de Janeiro, vítima de uma isquemia cerebral, em 30 de novembro de 1992.[1]

Ligações externasEditar

Referências

  1. «Augusto César Vannucci». Dicionário Cravo Albin. Consultado em 9 de março de 2016 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.