Barcarena (Pará)

Município brasileiro do estado do Pará

Barcarena é um município brasileiro do estado do Pará, na Região Norte do Brasil. Pertencente à Região Metropolitana de Belém[6]. Localiza-se a uma latitude 01º31'8'' sul e a uma longitude 48º37'1'' oeste, estando a uma altitude de 9 metros.

Barcarena
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Barcarena
Bandeira
Brasão de armas de Barcarena
Brasão de armas
Hino
Gentílico barcarenense[1]
Localização
Localização de Barcarena no Pará
Localização de Barcarena no Pará
Localização de Barcarena no Pará
Barcarena está localizado em: Brasil
Barcarena
Localização de Barcarena no Brasil
Mapa
Mapa de Barcarena
Coordenadas 1° 30' 21" S 48° 37' 33" O
País Brasil
Unidade federativa Pará
Municípios limítrofes Belém, Ponta de Pedras, Abaetetuba, Acará e Moju
Distância até a capital 15 km
História
Fundação 10 de maio de 1897 (127 anos)[1]
Administração
Prefeito(a) Renato Ogawa (PP, 2021–2024)
Características geográficas
Área total [2] 1 310 km²
População total (IBGE/2017[3]) 128 190 hab.
Densidade 97,9 hab./km²
Clima Equatorial (Af)
Altitude 15 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,662 médio
PIB (IBGE/2015[5]) R$ 5 520 848 mil
 • Posição PA: 5º
PIB per capita (IBGE/2015[5]) R$ 47 684,37
Sítio barcarena.pa.gov.br (Prefeitura)
barcarena.pa.leg.br (Câmara)

História

editar

Os primeiros habitantes das terras de Barcarena eram indígenas do povo Aranã que, durante o período Brasil-colônia, antes de 1709, foram catequizados pelos padres jesuítas. Estes se instalaram em terras doadas por Francisco Rodrigues Pimenta, onde fundaram uma fazenda com o nome de Gibirié, depois conhecida como "Missão Gibirié", fundando aí uma igreja, que ainda serve de matriz.

Posteriormente, o povoado foi elevado à categoria de Freguesia, sob a invocação de São Francisco Xavier. Sua elevação à categoria de Vila aconteceu mediante a promulgação da Lei Estadual nº. 494, de 10 de maio de 1897, ocorrendo sua instalação em 2 de janeiro de 1898, segundo determinado pelo Decreto nº. 513, de 13 de dezembro de 1897[7][8].

Devido a sua proximidade de Belém, a cujo território pertenceu até 1938, Barcarena foi palco de importantes acontecimentos durante os agitados anos da Cabanagem. Em seu território morreu o cônego Batista Campos, a 31 de Dezembro de 1834, líder revolucionário paraense que editou um jornal contra o presidente Bernardo Lobo de Souza.[9]

Em 2023, o município de Barcarena passa a integrar a Região Metropolitana de Belém depois da aprovação unânime da Lei Complementar N° 164, de 5 de abril de 2023, por parte da Assembleia Legislativa do Pará e, posteriormente, da sanção do governador Helder Barbalho.[10]

Etimologia

editar

O nome "Barcarena" se originou da presença, no assentamento populacional, de uma grande embarcação que havia sido batizada como "Arena" vulgarmente conhecida como barca. A junção das duas palavras fez com que a localidade ficasse conhecida como Barcarena. Contudo, também existia em 1487 uma povoação em Portugal chamada Barcarena, e que de lá vinha a maior parte do armamento e pólvora do império português (Fábrica da Pólvora de Barcarena), portanto provavelmente o nome se teve origem nesta localidade portuguesa.

Economia

editar

A cidade é um importante pólo industrial, onde é feita a industrialização, beneficiamento e exportação de caulim, alumina, alumínio e cabos para transmissão de energia elétrica. A economia tem base tradicional na agricultura, mas também avança com o turismo e com as indústrias instaladas na cidade, gerando crescimento econômico para o município e para o estado do Pará. É em Barcarena que está localizado o maior porto do estado do Pará: o Porto de Vila do Conde, onde a Santos Brasil administra o terminal de contêineres "Tecon" Vila do Conde.[11]

Turismo

editar

Barcarena é famosa por suas belas praias. É no município onde encontra-se algumas das mais famosas praias do estado do Pará, como a Praia de Cuipiranga, Praia Guajarino e, a mais famosa da região, a Praia do Caripi, onde se encontra o famoso Trapiche do Caripi. (Na língua tupi “Cari” quer dizer 'branco' e “Pi”, 'maus'.)

 
Praia e Trapiche

Além das praias, Barcarena abriga naturalmente centenas de espécies nativas e fortes belezas naturais, assim sendo bastante procurada pelo seu ecoturismo.

 
Praia do Caripi

Cultura

editar

Barcarena tem uma academia de Letras chamada Academia Barcarenense de Letras.

Referências

  1. a b «Barcarena» (PDF). IBGE. Consultado em 27 de abril de 2011 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Estimativas de População 2017» (PDF). Estimativas de População 2017. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2017. Consultado em 23 de dezembro de 2017 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  5. a b «PIB dos Municípios - base de dados 2010-2015». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 23 de dezembro de 2017 
  6. Auditoria-Geral do Estado do Pará, Auditoria-Geral do Estado do Pará (6 de abril de 2023). «Lei» (PDF) 
  7. «Caravana Ação Cidadania do Poder Legislativo visitou Barcarena». Assembleia Legistaliva do Estado do Pará. Consultado em 21 de novembro de 2023 
  8. Carvalho, Hesron (11 de março de 2020). «Nossa Cidade». ASSEB. Consultado em 21 de novembro de 2023 
  9. Pará, Zana MouraDo G1 (5 de maio de 2012). «Espetáculo 'Batista' celebra 230 anos de líder cabano paraense». Pará. Consultado em 21 de novembro de 2023 
  10. «Lei Complementar 164 2023 de Pará PA». leisestaduais.com.br. Consultado em 21 de novembro de 2023 
  11. «Tecon Vila do Conde opera duas novas rotas fluviais». Guia Marítimo. Consultado em 30 de janeiro de 2014 

Ligações externas

editar
  Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.