Bendito Fruto

filme de 2005 dirigido por Sergio Goldenberg

Bendito Fruto é um filme de comédia dramática brasileiro de 2005 dirigido por Sergio Goldenberg a partir de um roteiro do diretor em parceria com Rosane Lima. O filme conta a história de Maria e os conflitos raciais que ela enfrenta em seu relacionamento com Edgar. É protagonizado por Zezeh Barbosa, Otávio Augusto, Lúcia Alves, Camila Pitanga e Vera Holtz.

Bendito Fruto
Pôster promocional do filme.
 Brasil
2005 •  cor •  91 min 
Direção Sergio Goldenberg
Produção
  • Patrick Siaretta
  • Claudius Ceccon
Produção executiva Beth Formaggini
Roteiro
Elenco
Gênero comédia dramática
Música Fernando Moura
Cinematografia Antônio Luís Mendes
Direção de arte Claudio Amaral Peixoto
Figurino Angéle Fróes
Edição
Companhia(s) produtora(s)
  • Riofilme[1][2]
  • ZDF[2]
  • Teleimage
  • Cecip - Centro de Criação de Imagem Popular
  • Trópicos Arte e Comunicação[2]
Distribuição Riofilme
Lançamento 20 de maio de 2005[3]
Idioma português
Receita R$ 453 mil

Bendito Fruto teve sua estreia no Festival de Cinema de Brasília em 28 de novembro de 2004 e foi lançado no Brasil a partir de 20 de maio de 2005 pela Riofilme.[4] O filme foi recebido com avaliações mistas por parte dos críticos que, no geral, o classificaram como uma comédia romântica que se utiliza dos clichês do gênero com toques de originalidade.[5] O filme teve um desempenho comercial relativamente satisfatório entre as produções nacionais, alcançando uma receita de mais de R$ 453 mil.[6]

A performance de Zezeh Barbosa no filme foi bastante elogiada pela crítica e a atriz recebeu nomeações nas mais importantes premiações do cinema brasileiro. Foi indicada pela Academia Brasileira de Cinema ao Grande Otelo de Melhor Atriz, além de receber indicações no Prêmio Guarani e Prêmio ACIE de Melhor Atriz, e no Prêmio Arte Qualidade Brasil na categoria Melhor Atriz de Cinema.[7] No Festival de Brasília de 2004, a atriz recebeu o Troféu Candango de Melhor Atriz.[8] Otávio Augusto, Lúcia Alves, Camila Pitanga e Vera Holtz também foram reconhecidos por seus desempenhos em premiações.

SinopseEditar

Edgar (Otávio Augusto) vive uma vida complicada e de aparências: possui um salão de cabeleireiro e é amasiado com Maria (Zezeh Barbosa). Se faz de homossexual para as clientes, e apresenta Maria como sua empregada, por ela ser negra. Tem um filho com ela, mas o rapaz não sabe que ele é o pai. Virginia (Vera Holtz), uma antiga amiga de escola resolve visitar Edgar, mas sofre um acidente e perde sua bolsa. Fica na casa de Edgar até se recuperar, e dá em cima dele, pensando que ele é um solteirão.

Maria, Edgar, Virgínia, Telma (Lúcia Alves) e Choquita (Camila Pitanga) se reúnem todas as tardes no salão de beleza de Edgar para assistir à novela Primeiro Amor. Passado um tempo, o filho de Maria e Edgar, Anderson (Evandro Machado), chega da Europa com seu novo namorado: Marcelo Monte (Eduardo Moscovis), o galã da novela.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

O filme é a primeira direção de longa-metragem de ficção do cineasta Sergio Goldenberg. O roteiro do filme foi escrito em parceria entre o diretor e a autora Rosane Lima. A produção do filme foi iniciada em 2001. A atriz Zezeh Barbosa foi escolhida especialmente pelo diretor do filme para viver a protagonista, sendo esse seu primeiro papel principal em uma grande produção (anteriormente, ela havia protagonizado os curtas-metragens O Xadrez das Cores e Fátima). À época da produção, a atriz estava trabalhando como repórter no Vídeo Show e uma amiga a avisou que o diretor queria que ela protagonizasse o filme, os dois conversaram e o diretor pediu para que a atriz ler algumas cenas, mais tarde ela aceitou o convite.[8]

A preparação de elenco foi feita pelo ator Enrique Díaz, o qual atua em participação especial no filme, e pelo próprio diretor Sergio Goldenberg.[8] As gravações ocorreram na cidade do Rio de Janeiro. O filme é uma coprodução entre a Riofilme, ZDF, Teleimage, Imagem Popular e Trópicos Arte e Comunicação.

LançamentoEditar

Bendito Fruto teve sua première no Festival de Brasília em 28 de novembro de 2004, onde concorreu na mostra competitiva. Em março de 2005, o filme teve sua estreia mundial durante o Toulouse Latin America Film Festival. A estreia comercial do filme se deu em 20 de maio de 2005 pela distribuidora Riofilme.[4] Em 27 de abril de 2006 participou do Paris Brazilian Film Festival.

RecepçãoEditar

Resposta da críticaEditar

O filme teve uma recepção mista por parte dos críticos. Em crítica ao site Omelete, Érico Fuks atribuiu ao filme 3 de 5 estrelas, o que o classifica com "Bom", e disse: " Os personagens, diluídos em suas ambições e frustrações, vivendo o mundo individualista de sonhos das novelas, cada qual em sua casa e com seu bife e macarrão, acabam se encontrando na claridade do dia nesse antro de fofocas. "O salão é um confessionário", é uma das frases de Telma que melhor resume o cume do filme. Há também um pouco de Mike Leigh em Bendito Fruto. Um ambiente pequeno, metonímia de um universo maior, palco de um caldeirão de sentimentos e crises que abalam a sociedade em estado permanente de convulsão. Há clímax e anti-clímax em ambos, com a diferença de que nos filmes ingleses o chá serve como analgésico para os ataques de histeria, enquanto que no longa brasileiro basta a revista Caras do mês retrasado."[9]

Robledo Milani, do site Papo de Cinema, deu uma nota 7 em 10 ao filme, escrevendo: "Fácil sem ser tolo, envolvente apesar de corriqueiro, Bendito Fruto é uma legítima comédia romântica. Mesmo não evitando os clichês do gênero, consegue fazer proveito deles com originalidade e parcimônia. Uma ótima opção de cinema nacional, recomendado aos que apreciam, acima de tudo, uma boa história."[5]

Prêmios e indicaçõesEditar

Bendito Fruto se saiu vencedor de dois Troféus Candangos no Festival de Brasília, sendo eles nas categorias nas categorias de Melhor Atriz para Zezeh Barbosa) e Melhor Atriz Coadjuvante para Lúcia Alves[10][11] Além disso, esteve na mostra competitiva do festival e concorreu ao Candango de Melhor Filme.[12][13][14] Ganhou dois Prêmios ACIE de Cinema nas categorias de Melhor Ator para Otávio Augusto e Melhor Roteiro para Rosane Lima e Sérgio Goldenberg.[15] Também foi indicado a dois Prêmios ACIE na categoria de Melhor Atriz para Vera Holtz e Zezeh Barbosa.[15]

No Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2007, o filme recebeu sete indicações, incluindo as categorias de Melhor Filme, Melhor Ator para Otávio Augusto, Melhor Atriz para Zezeh Barbosa, Melhor Atriz Coadjuvante para Lúcia Alves e Camila Pitanga, Melhor Roteiro Original e Melhor Direção de Arte. Zezeh Barbosa ainda foi indicada ao Prêmio Guarani de Melhor Atriz em 2006.

Lista de prêmios e indicações
Ano Associações Categoria Recipiente(s) Resultado
2004 Festival de Cinema de Brasília Melhor Filme Bendito Fruto Indicado
Melhor Atriz Zezeh Barbosa Venceu
Melhor Atriz Coadjuvante Lúcia Alves
2005 Prêmio Arte Qualidade Brasil - RJ Melhor Filme Bendito Fruto Indicado
Melhor Diretor Sergio Goldenberg
Melhor Ator Otávio Augusto
Melhor Atriz Zezeh Barbosa
Prêmio Arte Qualidade Brasil - SP Melhor Ator Otávio Augusto
2006 Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro[4] Melhor Atriz Zezeh Barbosa
Melhor Figurino Angèle Fróes
Prêmio ACIE de Cinema Melhor Ator Otávio Augusto Venceu
Melhor Atriz Vera Holtz Indicado
Zezeh Barbosa
Melhor Roteiro Sergio Goldenberg e Rosane Lima Venceu
2007 Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Filme Bendito Fruto Indicado
Melhor Ator Otávio Augusto
Melhor Atriz Zezeh Barbosa
Melhor Atriz Coadjuvante Camila Pitanga
Lúcia Alves
Melhor Roteiro Original Sergio Goldenberg e Rosane Lima
Melhor Direção de Arte Claudio Amaral Peixoto

Referências

  1. «Bendito Fruto (2005)». RioFilme. 9 de abril de 2018. Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  2. a b c «Bendito Fruto». Cinemateca Brasileira. Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  3. «Comédia "Bendito Fruto" diverte com estereótipos». UOL Cinema. 19 de maio de 2005. Consultado em 27 de abril de 2015 
  4. a b c «Bendito Fruto (2005) – RioFilme». Consultado em 30 de outubro de 2021  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome ":0" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  5. a b «Bendito Fruto». Consultado em 30 de outubro de 2021 
  6. «Cinema | Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual». oca.ancine.gov.br. Consultado em 30 de outubro de 2021 
  7. AdoroCinema, Bendito Fruto: Curiosidades, consultado em 30 de outubro de 2021 
  8. a b c «Mulheres do Cinema Brasileiro - Entrevistas Depoimentos». www.mulheresdocinemabrasileiro.com.br. Consultado em 30 de outubro de 2021 
  9. Fuks, Érico (19 de maio de 2005). «Bendito Fruto | Crítica». Omelete. Consultado em 30 de outubro de 2021 
  10. «Comédia carioca diverte Festival de Brasília na reta final». UOL. 29 de novembro de 2004. Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  11. «"Peões" vence o Festival de Brasília». Folha de S.Paulo. 1 de dezembro de 2004. Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  12. Tereza Novaes (2 de dezembro de 2004). «Eduardo Coutinho vence Festival de Brasília». Folha de S.Paulo. Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  13. Mariane Morisawa (13 de dezembro de 2004). «Domínio da política». IstoÉ Gente. Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  14. «"Bendito Fruto", uma rara comédia nacional». Estadão. 20 de maio de 2005. Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  15. a b «2006 - Prêmio ACIE de Cinema». Prêmio ACIE de Cinema. Consultado em 21 de dezembro de 2019 

Ligações externasEditar