Abrir menu principal
Bernardo Sayão Carvalho Araújo
vice-governador de Goiás
Período 1954-1955
Governador de Goiás
Período 31 de janeiro de 1955 - 12 de março de 1955
Antecessor Jonas Ferreira Alves Duarte
Sucessor José Ludovico de Almeida
Dados pessoais
Nascimento 18 de junho de 1901
Rio de Janeiro-RJ
Morte 15 de janeiro de 1959 (57 anos)
Imperatriz-MA[1]
Cônjuge Lygia Mendes Pimentel.
Partido PSD
Profissão Engenheiro Agrônomo

Bernardo Sayão Carvalho Araújo[2] (Rio de Janeiro, 18 de junho de 1901Imperatriz, 15 de janeiro de 1959) foi um engenheiro agrônomo do Ministério da Agricultura e político brasileiro.[3][4]

Índice

HistóriaEditar

Formado em 1923 na Escola Superior de Agronomia e Medicina Veterinária de Belo Horizonte, teve como principal projeto o desenvolvimento da região central do Brasil. Chamado de vários co de nomes por exemplo "Pau para toda obra, Sayão do povo, Gigante do oeste, Capitão desbravador, Bandeirante moderno e Chefe" entre muitos nomes dados pelos amigos e todos os candangos que com ele desbravou o oeste Brasileiro. Bernado Sayão Carvalho Araújo, o homem que literalmente riscou o chão do oeste Brasileiro abrindo estradas nas matas selvagens de Goiás, hoje a terra é marcada e riscada pela grande Transbrasiliana, a BR-14 uma entra muitas marcas feita no solo central do Brasil. Foi o Gigante do oeste quem deu contorno a Brasilia, foi o Bandeirante moderno que deu a luz as estradas e pontes unido o sangue que faz pulsar o coração do Brasil, foi o Capitão desbravador que fez as primeiras margens do progresso no rio das almas. derrubando arvores e construindo estradas ligando povoados para a vinda e estadia do progresso. Se hoje o coração do Brasil palpita e faz circular o comercio e as grandes negociações comercias é graças ao Sayão do povo que derramou lagrimas, suor e sangui nas matas virgens de Goiás.

Em GoiásEditar

Fundou a "CANG" Colônia Agrícola Nacional de Goiás, na Marcha para o Oeste de Getúlio Vargas deu origem à cidade de Ceres. Em razão do bem-sucedido trabalho lá realizado, em 1954, foi eleito vice-governador de Goiás, chegando a governar o estado interinamente por um mês e meio, de 31 de janeiro a 12 de março de 1955.[5]

NOVACAPEditar

Em setembro de 1956, tornou-se um dos diretores da NOVACAP, sendo Israel Pinheiro o presidente, além de Ernesto Silva e Íris Meinberg. Nessa condição contribuiu significativamente, com sua liderança e carisma, para a credibilidade e início das obras de construção de Brasília.

Construção da Belém-BrasíliaEditar

Em 1958, Juscelino Kubitschek lhe encarrega a construção do trecho norte da Transbrasiliana (a Belém-Brasília). Acompanhando pessoalmente as obras, no início de janeiro de 1959, nos trabalhos de abertura da mata uma árvore é derrubada de forma equivocada e atinge o barracão em que encontrava-se Sayão, que morre no mesmo dia. A localização do acampamento ficava dentro do município de Ulianópolis - PA, nas proximidades da Vila Ligação, do município de Dom Eliseu - PA.[6]

HomenagensEditar

Bernardo Sayão dá nome às principais ruas e avenidas de várias cidades às margens da Belém-Brasília, a ruas em Colinas do Tocantins e em Goiânia e a avenidas em Araguaína, Açailândia, Belém, Ceres, Inhumas, Nova Glória, Paraíso do Tocantins, Miranorte, Guaraí, Imperatriz e Rialma. É também nome de um município brasileiro. E também um setor em Ceres e no Distrito Federal chamado SIBS (Setor de Indústria Bernardo Sayão) onde existem vários prédios com empresas de diversos segmentos e principalmente gráficas. Esse setor fica próximo à cidade-satélite de Núcleo Bandeirante.

Um dos mais tradicionais Grupos Escoteiros de Brasília leva o nome de Bernardo Sayão - Grupo Escoteiro Bernardo Sayão, GEBS 14/DF.

E ainda, na cidade de Anápolis, existe outro grupo escoteiro que também leva o seu nome, sendo um dos mais antigos do estado de Goiás, com sua fundação em 9 de setembro de 1961 - Grupo Escoteiro Bernardo Sayão, GEBS 2/GO.

Além disso, foi criado no dia 10 de outubro de 2002, por decreto do então governador Joaquim Roriz, o Parque Ecológico Bernardo Sayão, em Brasília.[7]

Centro AcadêmicoEditar

Em 1969, os alunos da Faculdade de Engenharia Elétrica da Universidade Estadual de Campinas, Unicamp, fundaram seu Centro Acadêmico com o nome do Engenheiro. O CABS - Centro Acadêmico Bernardo Sayão, tem a função de integrar os estudantes, auxiliando-os nas atividades acadêmicas, cívicas e recreativas, como cursos de línguas, promoção de debates sobre temas sociais, promoção de eventos educativos (cinema, palestras), cursos livres de tecnologia e promoção de torneios esportivos.[8]

Referências

  1. Antonio Callado (6 de fevereiro de 1959). «Vida e morte do bandeirante». Revista Visão. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  2. Pela grafia arcaica, Bernardo Sayão Carvalho Araujo.
  3. «Bernardo Sayão Carvalho Araújo». A História de Brasília, InfoBrasilia. Consultado em 25 de dezembro de 2013 
  4. «Bernardo Saião». Museu Virtual de Brasília 
  5. «Dossie Goiás, Relação de Governadores». Goiasnet. Consultado em 24 dezembro de 2013 
  6. «Bernardo Sayão». Museu Virtual de Brasília. Consultado em 25 de dezembro de 2013 
  7. «Parque do Rasgado, bênção verde para Brasília». www.folhadomeio.com.br. Consultado em 27 de agosto de 2017 
  8. «História - Centro Acadêmico Bernardo Sayão». Consultado em 3 de novembro de 2016 
Precedido por
Jonas Ferreira Alves Duarte
Governador de Goiás
1955
Sucedido por
José Ludovico de Almeida