Abrir menu principal
Brás Abrantes
Brás Abrantes
Governador de Goiás
Período 19 de fevereiro de 1892
até 17 de julho de 1892
Antecessor Constâncio Ribeiro da Maia
Sucessor Antônio José Caiado
Senador de Goiás
Período 29 de maio de 1906
até 31 de janeiro de 1915
Dados pessoais
Nome completo Braz Benjamin da Silva Abrantes
Nascimento 3 de fevereiro de 1841
Silvânia
Morte 27 de maio de 1923 (82 anos)
Goiás Velho
Nacionalidade brasileiro

Braz Benjamin da Silva Abrantes (Silvânia, 3 de fevereiro de 1841Goiás Velho, 27 de maio de 1923) foi um militar, professor e político brasileiro. Sobrinho do exímio orador sacro e cavaleiro da ordem de Cristo, padre Antonio Luiz Braz Prego, que foi vigário da freguesia de Santa Cruz de Goiás.

BiografiaEditar

Fez curso superior na Escola Militar em 1872. Foi professor e militar. Florianista, participou do movimento de dezembro de 1891. Como tenente-coronel fez parte da Junta Governativa de Goiás de 19 de fevereiro de 1892 a 17 de julho de 1892. Afastou-se do grupo oligárquico dos Bulhões em 1899. Ficou ao lado do senador Glicério, na cisão do Partido Republicano Federalista (PRF). Quando capitão, foi professor-interino da cadeira de aritmética e geografia no seminário de Santa Cruz.

Foi oficial do exército, reformando-se como general-de-divisão, com graduação de marechal em 5 de setembro de 1906. Participou da Guerra do Paraguai. Foi um dos fundadores do Clube Militar. Foi condecorado com as medalhas de mérito militar nas campanhas do Paraguai, Argentina e Uruguai.

Foi interventor de Goiás por ordem de Floriano Peixoto de 1891 a 1892 e vice-presidente de 1917 a 1921. Foi senador pelo estado de Goiás de 29 de maio de 1906 a 31 de janeiro de 1915. No Senado Federal do Brasil foi membro da Comissão de Obras Públicas e Empresas Privilegiadas e de Agricultura, da Comissão de Comércio e Indústria e Artes. O ex interventor Pedro Ludovico Teixeira devotava-lhe terna afeição. Bem no princípio das "Memórias", auto-biografia de Ludovico, 1973, editada pela Livraria Editora Cultura Goiana, de Goiânia, consta o seguinte: "impõe-se-me prestar homenagem na primeira página a três pessoas: minha mãe, Josefina Ludovico de Almeida, ao meu protetor Marechal Braz Abrantes e à minha esposa, Gercina Borges Teixeira, que me ajudaram a enfrentar as dificuldades da vida".

Ligações externasEditar