Abrir menu principal

Brigadas Populares

Organização política popular brasileira
Brigadas Populares
Unidade Aberta por uma Nova Maioria - uma organização militante, popular e de massas
Bandeira Brigadas Populares.png
Secretário Isabella Gonçalves Miranda
Fundação 2011
Ideologia Socialismo, marxismo
Alcunha BPs
Espectro político Esquerda
Cores Vermelho e preto             
Hino Hino da Independência, O Canto das Três Raças
Página oficial
Página oficial das Brigadas Populares
Política do Brasil



As Brigadas Populares (BPs) são uma organização política brasileira e socialista, tendo como slogan "Unidade Aberta por uma Nova Maioria", significando que busca construir a unidade no "campo popular e na esquerda" para formar uma maioria política capaz de disputar os rumos do país. A organização se identifica enquanto "militante, popular e de massas", bem como "socialista, classista, feminista, antirracista, anti-imperialista e nacionalista-revolucionária" e foi fundada em 2011[1][2] a partir da fusão de quatro organizações (as antigas Brigadas Populares, o Coletivo Autocrítica, Coletivo 21 de Junho e o Movimento Revolucionário Nacionalista – círculos bolivarianos)[3]. Uma das marcas da organização é ter o nacionalismo revolucionário[4][5][6] enquanto base teórica, bem como uma grande identificação com movimentos emancipatórios pela América Latina[7][8].

A atuação da organização se dá em ocupações urbanas[9][10][11][12][13][14][15][16][17][18][19], periferias[20][21], grupos de familiares de presos/apenados[22], movimento estudantil e de juventude,[23] sindicatos,[24] movimentos feminista[25] negro, de direitos humanos[26][27][28][29] e violência[30][31] e diversos movimentos sociais e/ou reinvindicatórios[32][33][34][35][36][37][38][39][40], como em relação ao transporte público, o direito à cidade - em 2013 e 14, por exemplo, a organização participou de mobilizações de protesto contra os efeitos e despejos causados pelos megaeventos no país[41][42]. As Brigadas Populares estão presentes em cerca de metade do território brasileiro, com atuação mais forte em Minas Gerais[9][43][44][45][46][47][48][49], Santa Catarina[3][18][50], Rio de Janeiro[51], Espírito Santo[52], Pará[53], São Paulo e Distrito Federal.[54]

Atualmente compõe a Frente Povo Sem Medo[55][56], junto com movimentos e organizações como o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), a União Nacional dos Estudantes (UNE), a Esquerda Marxista, o Polo Comunista Luiz Carlos Prestes e entidades ligadas ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), o Partido Comunista Brasileiro (PCB), a INTERSINDICAL - Central da Classe Trabalhadora, além de outras inúmeras outras entidades. Compõe também articulações nacionais como as Frente de Resistência Urbana Brasil e América Latina[57][58][59] e a Agenda Nacional Pelo Desencarceramento[60][61][62][63][64].

As BPs não fazem parte de nenhum partido com registro eleitoral nem são tendência ou corrente de uma legenda. Nas eleições, a organização costuma apoiar candidatos que tenham atuação próxima à sua ou lançar candidatos próprios por meio de filiação democrática, geralmente no PSOL. Nas eleições municipais no Brasil em 2016, as Brigadas lançaram Bella Gonçalves como candidata à vereadora em Belo Horizonte, finalizando o pleito com 3422 (faltando 32 para ser eleita à Câmara Municipal)[65][66][67]. Nas eleições gerais de 2018, a organização lançou 4 candidatos próprios: Andréia de Jesus (candidata à Deputada Estadual)[68][69] e Bruno Cardoso (candidato à Deputado Federal)[70][71] em Minas Gerais, Anjuli Tostes (candidata à deputada federal) no Distrito Federal[72][73][74] e João Silvestre (candidato à Deputado Federal) em Santa Catarina.[75][76][77] Andreia de Jesus foi eleita com mais de 17 mil votos, tornando-se a primeira mulher negra a ocupar um cargo na assembleia legislativa mineira[78][79]. Além disso, com a eleição de Áurea Carolina (então vereadora de Belo Horizonte) para Deputada Federal, Bella Gonçalves, suplente, assumiu o cargo de vereadora de Belo Horizonte pelo restante do mandato.[80][81]

Após o resultado das eleições em 2018, as Brigadas Populares lançaram a iniciativa "Brigadas em Defesa do Brasil – Resistência Democrática"[82] para contribuir na organização popular, de forma democrática. Um boato falso, sem autoria, circulou em redes sociais afirmando que a iniciativa seria uma "armadilha" ou uma "guerrilha", algo prontamente desmentido pela organização[83], bem como por aliados e portais na internet[84].

Referências

  1. Tavares, Elaine (7 de outubro de 2011). «Nascem as Brigadas Populares: um movimento nacional no rumo do socialismo». IELA 
  2. «Manifesto das novas Brigadas Populares». Brigadas Populares 
  3. a b «As Brigadas Populares, as ocupações urbanas e a ofensiva midiática em Florianópolis». Desacato. 22 de janeiro de 2014 
  4. «Brigadas Populares sobre a solidariedade à Coreia Popular». Blog Solidariedade a Coreia Popular. 22 de maio de 2014 
  5. «Frente Parlamentar em Defesa da Soberania Nacional será lançada em BH». Intersindical. 25 de agosto de 2017 
  6. «Frente parlamentar em defesa da soberania nacional será lançada nesta quarta». Senado Federal. 20 de junho de 2017 
  7. «Brigadas populares en Brasil distinguen legado de Chávez». CubaDebate. 30 de março de 2013 
  8. «Manifiesto de las nuevas Brigadas Populares». Rebelión. 9 de outubro de 2011 
  9. a b «Representantes das brigadas populares protestam em BH». Globo - G1/MG. 12 de maio de 2014 
  10. Ribeiro, Oelze, Lopes (5 de novembro de 2017). «A Narrative of Resistance: A Brief History of the Dandara Community, Brazil». Humanities. doi:10.3390/h6030070 
  11. «Brigadas Populares e MST - Um mar de barracos de lona». Passa Palavra. 13 de abril de 2009 
  12. «Ocupação Vicentão, das Brigadas Populares, no centro de Belo Horizonte, MG:». Comissão Pastoral da Terra - MG. 24 de fevereiro de 2018 
  13. Moreira, Frei Gilvander (19 de fevereiro de 2013). «Comunicado Urgente das Brigadas Populares – MG: 5ª Marcha da Ocupação-comunidade Dandara, Marcha pela Paz. Negociação, Sim! Despejo, Não!». Consciência - revista diária 
  14. Melito, Leandro (19 de fevereiro de 2013). «Comunidade Dandara impede ação de despejo na Justiça». Empresa Brasil de Comunicação (EBC) 
  15. «Resposta das Brigadas Populares à matéria publicada ontem (03/03) pelo Jornal Estado de Minas». Blog "GEOGRAFIA E LUTA". 6 de março de 2010 
  16. «Dilma e Aécio irão manchar suas mãos de sangue com o despejo de 8 mil famílias em Belo Horizonte (MG)» 
  17. «Ocupação Cláudia Ferreira, em Contagem, MG, resiste! (MG)». 28 de maio de 2014 
  18. a b Rosa, Edson (21 de janeiro de 2014). «Ocupação vira disputa agrária» (PDF). Jornal Notícias do Dia 
  19. Mathias; Martins, Letícia; Rafaela (8 de novembro de 2012). «Invasores recebem apoio» (PDF). Jornal Notícias do Dia 
  20. Rodrigues, Léo (19 de fevereiro de 2013). «Comunidade Dandara se mobiliza contra reintegração de posse». Empresa Brasil de Comunicação (EBC) 
  21. «A tarde mais triste: Companheiro Bahia assassinado (MG)». Pela Moradia. 1º de maio de 2015 
  22. «Centros de internação socioeducativos participam de Mostra sobre Cinema e Direitos Humanos». Juventudes contra Violência. 9 de março de 2015 
  23. «Encontro promovido pelo Fórum das Juventudes e Brigadas Populares discute uma nova política sobre drogas». Fórum das Juventudes. 7 de novembro de 2014 
  24. «ANDES promove debate sobre a reorganização da classe trabalhadora». Intersindical - Central da Classe Trabalhadora. 13 de novembro de 2017 
  25. «Adolescentes de centros de internação socioeducativos discutem gênero e machismo a partir do cinema». Juventudes contra violência. 11 de março de 2015 
  26. «Reunião com alto comando da Polícia Militar – Comunicado das Brigadas Populares». Diálogos - Comunidade Irmã Dorothy. 22 de janeiro de 2011 
  27. «Nota de Repúdio das Brigadas Popular acerca da Violência Policial em Timóteo, Minas Gerais». Justiça Global 
  28. «Violação de direitos humanos será apurada na ocupação Dandadara». JusBrasil 
  29. «ONU e OEA recebem denúncias contra violação de direitos humanos no despejo do Pinheirinho». Fisenge. 31 de janeiro de 2012 
  30. «"Que Segurança Você Tem?" é tema em debate do Movimento O DF é Nosso». Mídia Ninja. 17 de julho de 2017 
  31. Bala perdida: A violência policial no Brasil e os desafios para sua superação. [S.l.]: Boitempo. ISBN 978-8575594414 
  32. «Evento em Brasília debate Previdência e resistência ao golpe». Agência PT de Notícias. 17 de abril de 2017 
  33. «Repúdio contra acordo de Mariana». Greenpeace. 6 de maio de 2016 
  34. «Intersindical assina pedido de impeachment contra Gilmar Mendes». Intersindical. 13 de junho de 2017 
  35. «Brigadas Populares: Piquetes, acampamentos, ocupações, boicotes». VIOMUNDO. 18 de abril de 2016 
  36. «Denúncia contra Gilmar Mendes é protocolada no Senado». Revista Fórum. 5 de abril de 2015 
  37. Dilger e Glass (12 de fevereiro de 2016). «Uma contraproposta ao pensamento único». Fundação Rosa Luxemburgo 
  38. «RODA DE CONVERSA "CONTROLE SOCIAL NO SUS E DEFESA DE DIREITOS"». Estopim. 23 de maio de 2018 
  39. «Um Brasil mais justo». Estopim Periódico 
  40. «Grupo denuncia ministro Gilmar Mendes no Senado». Correio Braziliense, republicado por Polêmia Paraíba. 5 de abril de 2015 
  41. «Brigadas Populares se manifestam contra a proibição de manifestações em MG durante a Copa das Confederações». SINTRAEMG. 17 de junho de 2013 
  42. Colomb & Novy. Protest and Resistance in the Tourist City. [S.l.: s.n.] 244 páginas. ISBN 978-1138856714 
  43. Moreira, Gilvander (19 de janeiro de 2018). «Ocupação Vicentão, das Brigadas Populares, no centro de Belo Horizonte, MG: Canto do povo na Celebração Ecumênica». Site do Frei Gilvander Moreira 
  44. «Solidariedade aos companheiros e companheiras das Brigadas Populares!». Movimento dos Trabalhadores Sem Teto. 23 de setembro de 2017 
  45. «Moradores da Comunidade Dandara realizam passeata em BH». Empresa Brasil de Comunicação (EBC). 19 de fevereiro de 2013 
  46. «Confira os sites dos principais movimentos sociais com atuação em Minas Gerais.». Observatório das lutas sociais - CRESS-MG 
  47. Oliveira, Natália (22 de setembro de 2017). «Sede das brigadas populares é furtada e vários documentos são levados». Jornal O Tempo 
  48. Oliveira, Cinthya (22 de setembro de 2017). «Sede das Brigadas Populares é invadida e documentos são roubados». Hoje em Dia 
  49. «Grito dos/as Excluídos/as na Grande Belo Horizonte». EcoDebate. 8 de setembro de 2008 
  50. Macário, Carol (30 de novembro de 2012). «Utópicos, graças a Deus» (PDF). Jornal Notícias do Dia - Caderno Plural 
  51. «Ocupação Povo Sem Medo/Pavuna eleva a temperatura no Rio de Janeiro!». Intersindical - Central da Classe Trabalhadora. 20 de junho de 2018 
  52. «Nota das Brigadas Populares sobre a crise da segurança pública no Espírito Santo». Intersindical. 9 de fevereiro de 2017 
  53. «Temos que barrar o desmonte em curso». Internsindical - Central da Classe Trabalhadora. 7 de dezembro de 2017 
  54. Modzeleski, Alessandra (25 de janeiro de 2017). «Ação popular pede derrubada de reajuste, que deve passar a valer no sábado». Correio Braziliense 
  55. Bedinelli, Talita (9 de outubro de 2015). «Movimentos sociais lançam frente de esquerda anti-Levy e sem o PT». El País 
  56. «Carta convocatória de lançamento da frente Povo sem Medo». Frente Povo Sem Medo. 5 de outubro de 2015 
  57. Bocchini, Bruno (18 de março de 2015). «Frente de Resistência Urbana promoveu 21 bloqueios em sete estados». Agência Brasil São Paulo 
  58. «Frente de resistencia urbana: Territorios para la vida digna y el buen vivir.». Congresso de los pueblos. 11 de dezembro de 2017 
  59. «Frente de Resistência Urbana: um novo espaço de integração das lutas no continente». MTST. 10 de dezembro de 2017 
  60. «AGENDA NACIONAL PELO DESENCARCERAMENTO 2016-2017» (PDF) 
  61. «Agenda Nacional pelo Desencarceramento 2016-2017 é lançada em Olinda». Justiça Global. 1 de dezembro de 2017 
  62. «Pastoral Carcerária defende redução da população prisional». Jornal O GLOBO. 5 de janeiro de 2018 
  63. «"Problema central é encarceramento em massa, e não facções"». Deutsche Welle, republicado por CartaCapital. 13 de janeiro de 2017 
  64. «Agenda Nacional pelo Desencarceramento». Pastoral Carcerária 
  65. «Bella Gonçalves 50500». Eleições 2016 
  66. «Candidatos a Vereador de Belo Horizonte - MG». Gazeta do Povo 
  67. «[DADOS DA CANDIDATA] - Bella Gonçalves 50500». Rede Livre 
  68. «Andréia de Jesus». Evoé Cultural 
  69. «ANDREIA DE JESUS 50130 Deputado Estadual - MINAS GERAIS/BR». Tribunal Superior Eleitoral (TSE) 
  70. «Bruno Cardoso». Evoe Cultural 
  71. «BRUNO CARDOSO 5099 - Deputado Federal - MINAS GERAIS/BR». Tribunal Superior Eleitoral (TSE) 
  72. «Anjuli Tostes - Sempre do lado certo!» 
  73. Campos, Ana Maria (29 de julho de 2017). «"Os super-ricos precisam pagar a sua parte", diz pré-candidata do PSol ao GDF». Correio Braziliense 
  74. «ANJULI 5005 - Deputado Federal - DISTRITO FEDERAL/BR». Tribunal Superior Eleitoral (TSE) 
  75. «Candidato João Silvestre 5060». Gazeta do Povo 
  76. «João Silvestre - O Povo merece um destino próprio» 
  77. «JOÃO SILVESTRE 5060 - Deputado Federal - SANTA CATARINA/BR». Tribunal Superior Eleitoral (TSE) 
  78. «Primeira mulher negra da ALMG foi eleita com apoio de movimento de renovação - Política - Estadão». Estadão 
  79. Cidadão, Assembleia de Minas - Poder e Voz do. «Eleições 2018 - Deputada eleita Andreia de Jesus (PSOL) defende a maior participação popular no trabalho da ALMG - Assembleia de Minas». Assembleia de Minas. Consultado em 11 de novembro de 2018 
  80. «Áurea Carolina». www.facebook.com. Consultado em 20 de fevereiro de 2019 
  81. Santos, Caio (14 de novembro de 2018). «Ativista pelo Direito à Moradia toma posse como vereadora em BH». Jornalistas Livres. Consultado em 20 de fevereiro de 2019 
  82. «Brigadas em Defesa do Brasil – Resistência Democrática – INSCREVA-SE – Brigadas Populares». brigadaspopulares.org.br. Consultado em 11 de novembro de 2018 
  83. «ESCLARECIMENTO – BRIGADAS POPULARES e as BDBs – Brigadas Populares». brigadaspopulares.org.br. Consultado em 11 de novembro de 2018 
  84. «Link Brigadas Populares é uma armadilha para mapear militantes de esquerda #boato». www.boatos.org. Consultado em 11 de novembro de 2018