Centro Acadêmico XI de Fevereiro

(Redirecionado de CAXIF)

O Centro Acadêmico XI de Fevereiro (CAXIF) é o órgão representativo dos estudantes da curso de graduação em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina. O nome "XI de Fevereiro" é referência à data de fundação da Faculdade de Direito de Santa Catarina, a primeira faculdade do estado, uma das que deram origem a UFSC.

Centro Acadêmico XI de Fevereiro
(CAXIF)
Fundação 2 de Setembro de 1932
Sede Florianópolis, SC
Sítio oficial http://www.caxif.ufsc.br

O CAXIF é, atualmente, constituído como uma "associação civil sem fins lucrativos cuja missão estatutária e institucional precípua consubstancia-se na representação e defesa dos interesses dos estudantes de Direito da Universidade Federal de Santa Catarina".

É considerado o centro acadêmico mais antigo da UFSC e de Santa Catarina e um dos mais conhecidos da universidade, organizando eventos importantes e tendo eleições internas bastante disputadas.

HistóriaEditar

 
Primeira sede da Faculdade de Direito de Santa Catarina.

O Centro Acadêmico XI de Fevereiro foi fundado no dia 2 de setembro de 1932, seis meses após a criação da Faculdade de Direito de Santa Catarina. A Faculdade de Direito de Santa Catarina foi uma ideia desenvolvida e capitaneada por José Artur Boiteux, que acabou introduzindo Santa Catarina na rota do conhecimento científico através da criação do primeiro curso de nível superior do Estado, sendo por isso considerado o patrono do ensino superior catarinense.

O CAXIF é considerado a primeira agremiação estudantil de Santa Catarina, já tendo passado pelo centro acadêmico diversos personagens marcantes da vida política e social do estado de Santa Catarina, sendo eles membros de grande atuação do Poder Judiciário nas diversas instâncias, membros do Legislativo e do Executivo.[1]

Após a federalização da Faculdade de Direito, o CAXIF se transfere para a então Universidade de Santa Catarina, a atual UFSC, estando hoje no Centro de Ciências Jurídicas. No contexto do golpe militar de 1964, o CAXIF se posiciona contrário ao golpe, declarando apoio ao presidente João Goulart, tendo tido depois alunos ligados a ele e professores que supostamente ajudavam o centro acadêmico perseguidos pelo regime. Presidentes do CAXIF chegaram a ser presos em sala de aula.[2] Mesmo com a proibição das atividades dos centros acadêmicos, o CAXIF seguiu funcionando até ter sido tornado oficialmente ilegal em 1968, retornando com a retomada da democracia.

Atualmente, as eleições internas do CAXIF estão entre as mais concorridas da UFSC, com grandes disputas entre visões ideológicas distintas. Os dois projetos de política estudantil que se apresentam anualmente às eleições do Centro Acadêmico, informalmente acordaram em inscreveras candidaturas seguindo a ordem tradicional: desta forma, via de regra, apresentam-se uma ''Chapa 1'' e uma ''Chapa 2'' a cada eleição - sendo cada número estreitamente associado a uma das vertentes políticas do Centro de Ciências Jurídicas da UFSC.

Dentre outras atividades, o CAXIF organiza a Semana Jurídica, a Semana Acadêmica do curso de Direito, e os debates da UFSC com candidatos a prefeito de Florianópolis e governador de Santa Catarina junto com o DCE.[3][4][5][6]. A associação também organiza o "Congresso Direito UFSC" que na sua 14ª edição contou com mais de 6.000 inscritos.[7] O evento possui abrangência nacional já trouxe à universidade nomes de alta relevância para o Direito brasileiro como Nancy Andrighi e Ela Wiecko.

Durante a Eleição Municipal de Florianópolis em 2020, o Centro Acadêmico XI de Fevereiro, em colaboração com a associação sindical dos professores da UFSC (APUFSC) e com o DCE Luís Travassos, participou da organização do único debate televisivo entre os postulantes à prefeitura do Município - difundido através da TV UFSC. Isso ocorreu diante da renúncia pelas emissoras locais em promover tal evento, devido a dificuldades técnicas ligadas à Pandemia da COVID-19 no Brasil.[8][9]

Últimas GestõesEditar

  • Sem Parar (2001/2002)
  • Atuação (2002/2003)
  • Postura Crítica (2003/2004)
  • Libertar! (2004/2005)
  • Caminhando (2005/2006)
  • Agora vai (2006/2007)
  • O Tempo Não Para (2007/2008)
  • E Agora José? (2008/2009)
  • Melhor Agora (2009/2010)
  • Novos Horizontes (2010/2011)
  • Primavera nos Dentes (2011/2012)
  • Levante-se! (2012/2013)
  • Seguir Viagem (2013/2014)
  • Unindo Vozes (2014/2015)
  • Voar Mais Alto (2015/2016)
  • Nova Estação (2016/2017)
  • Nenhum Direito a Menos (2017/2018)
  • Pode Ser Diferente (2018/2019)
  • Rumos Certos (2019/2020)

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

ReferênciasEditar