Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela série norte-americana exibida pelo canal Showtime, veja Californication (série).
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo single homônimo, veja Californication (canção).
Californication
Álbum de estúdio de Red Hot Chili Peppers
Lançamento 8 de junho de 1999 (1999-06-08)
Gravação Dezembro de 1998 - Março de 1999 na Mansão Houdini em Los Angeles, Califórnia
Gênero(s)
Duração 54:24
Idioma(s) (em inglês)
Gravadora(s) Warner Bros.
Produção Rick Rubin
Certificação Estados Unidos RIAA - 6× Platina[1]
Cronologia de Red Hot Chili Peppers
One Hot Minute
(1995)
By the Way
(2002)
Singles de Californication
  1. "Scar Tissue"
    Lançamento: 25 de maio de 1999 (1999-05-25)
  2. "Around the World"
    Lançamento: 14 de setembro de 1999 (1999-09-14)
  3. "Parallel Universe"
    Lançamento: 1 de dezembro de 1999 (1999-12-01) (single promocional)
  4. "Otherside"
    Lançamento: 11 de janeiro de 2000 (2000-01-11)
  5. "Californication"
    Lançamento: 20 de junho de 2000 (2000-06-20)
  6. "Road Trippin'"
    Lançamento: 9 de janeiro de 2001 (2001-01-09)

Californication é o sétimo álbum de estúdio da banda norte-americana de rock Red Hot Chili Peppers. Produzido por Rick Rubin e lançado em 8 de Junho de 1999 pela Warner Bros. Records, Californication marcou o retorno do guitarrista John Frusciante à banda. Frusciante, que havia aparecido em Mother's Milk e Blood Sugar Sex Magik, substituiu Dave Navarro. Este álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame

Californication representou uma notável mudança no estilo musical que era produzido com Navarro. Greg Tate, da Rolling Stone, notou que "enquanto os projetos anteriores dos Chili Peppers foram altamente divertidos, Californication se atreve a ser espiritual e epifânico."[2] Os assuntos do álbum incorporaram diversas insinuações sexuais, comumente associadas com a banda; todavia, os temas abordados são mais variados em relação às produções anteriores. Luxúria, morte, suicídio, drogas, globalização e viagens são alguns dos temas presentes em Californication.

É o álbum mais bem-sucedido comercialmente do Red Hot Chili Peppers, tendo vendido mais de 40 milhões de cópias ao redor do mundo,[3] com mais de 16 milhões de cópias vendidas somente nos Estados Unidos.[4] Em 2002, o álbum havia vendido mais de dez milhões de cópias na Europa.[5]

De Californication saíram alguns dos principais sucessos da banda, como "Otherside", "Californication" e o vencedor do Grammy "Scar Tissue". O álbum atingiu a terceira posição da Billboard 200 nos Estados Unidos.

AntecedentesEditar

O guitarrista John Frusciante deixou o Red Hot Chili Peppers em meados de 1992, durante a turnê do aclamado Blood Sugar Sex Magik. A banda levou mais de um ano para encontrar outro guitarrista e iniciar, oficialmente, a gravação de um novo álbum. Dave Navarro, ex-Jane's Addiction, foi convidado para participar do grupo após a demissão de Arik Marshall, guitarrista com o qual a turnê do Blood Sugar Sex Magik aconteceu. Navarro foi o guitarrista do álbum seguinte, o One Hot Minute, incorporando elementos do heavy metal e do rock psicodélico.[6] One Hot Minute foi um sucesso comercial, vendendo cerca de cinco milhões de cópias (sucesso menor quando comparado ao do Blood Sugar Sex Magik). Críticos, no entanto, classificaram o álbum como fraco e sem foco.[6] Pouco depois do lançamento do One Hot Minute, Navarro foi demitido devido a divergências internas. No ano seguinte, Frusciante viu-se profundamente dependente de heroína e cocaína, o que o levou à pobreza e quase provocou sua morte. Em janeiro de 1998, recorreu à reabilitação.[7] Em abril de 1998, após três meses de tratamento, Flea fez-lhe uma visita e, abertamente, o convite de retornar à banda. Frusciante aceitou. Logo em seguida, e pela primeira vez em seis anos, os quatro se reuniram para tocarem juntos e produzirem um novo álbum.

Escrita e ProduçãoEditar

Grande parte do álbum foi escrito nas casas dos membros da banda, no verão de 1998. Kiedis e Frusciante muitas vezes passavam dias juntos, discutindo a criação de músicas, riffs de guitarra e de conteúdo lírico. Baixo e percussão foram construídos através de jams e do trabalho individual de Flea e Smith.[8]

As letras do Californication nasceram de idéias e experiências de vida de Anthony Kiedis. A maior parte do material do álbum veio da "turbulência pessoal e profissional" que os membros da banda passaram e estavam passando. Isso resultou na "abordagem sensível que não se pode esperar de uma banda cujos seguidores são punks de skate e garotos da fraternidade". O ponto principal de Anthony Kiedis foi "contar histórias de almas errantes que perderam o caminho em busca do sonho americano na Califórnia". Como exemplo, temos "Porcelain", em que Kiedis fala de uma jovem mãe, que conheceu no YMCA, que estava tentando tratar de seu vício do álcool, enquanto vivia com sua filha bebê. A canção "Emit Remmus", que é horário de verão soletrado para trás, foi inspirado em um breve relacionamento de Anthony com Melanie Chisholm da Spice Girls.

 
O guitarrista John Frusciante, que já havia produzido com a banda dois álbuns, saiu do vício em drogas e retornou a banda em 1998 para produzir o álbum.

"Get On Top" uma música que contém o uso de wah pedal para fazer efeito de voz foi formada depois de uma jam realizada logo após Frusciante ter escutado Public Enemy: "Eu vim com [o ritmo para a música] na forma de ensaio-apenas tocando-a com o pé."[9] O solo de guitarra discreto no meio da canção foi originalmente destinado a ser mais visíveis, de acordo com Frusciante, que estava tocando solos de guitarra. Ele mudou seu processo de pensamento depois de ouvir Steve Howe, guitarrista do Yes na canção "Siberian Khatru".[9] "Savior", apresenta efeitos pesados, principalmente da Electro-Harmonix Micro Synth com a técnica do Delay.

O hit "Around the World" que remonta ao som funk de influência do Red Hot Chili Peppers, foi feito por Frusciante em sua casa. O ritmo e a batida, entretanto exigiu que ele tocasse a música com o resto da banda, em vez de sozinho.[9] O baixo foi composto em "talvez 15 minutos", de acordo com Frusciante.[9] A faixa-título do álbum foi um dos mais difíceis para a banda compor. Na autobiografia de Kiedis, Scar Tissue, ele revela que a banda teve uma enorme dificuldade em compôr a música. Kiedis tinha escrito a letra, que achava uma das melhores que ele já tinha escrito, mas a banda não conseguia decidir a forma como a música deve soar musicalmente. Enquanto lutavam com a composição, parecia que não seriam capazes de terminar a tempo de incluí-la no álbum. Frusciante completou o riff final, dois dias antes da gravação, depois inspirando-se na canção "Carnage Visors" do The Cure. A faixa título teve intenção de representar os estilos de vida californiano, e mais especificamente, a natureza falsa que está associada a grande parte da Hollywood.

O recorde foi uma mudança de estilo para o Red Hot Chili Peppers, especialmente em comparação com seu álbum anterior, One Hot Minute que combinava vários elementos de hard rock e rock psicodélico. Embora Californication ainda continha elementos do "punk funk" (com em "Purple Stain", "Get on Top", "I Like Dirt", "Around the World", e "Right on Time") e riffs melódicos (como em "Scar Tissue" e "Otherside") e focado em canções com mais estrutura, em vez de jams.[10]

Frusciante se aproximou da linha de guitarra presente em "Scar Tissue" como uma tentativa de usar duas notas que são tocadas longe, mas produzem um "ritmo legal".  Ele havia explorado essa técnica em seu primeiro álbum solo, Niandra Lades, de 1994.

Frusciante considera "Scar Tissue" um "exemplo muito simples da técnica, mas acho que é um estilo que parece comigo". O guitarrista fez uso de slide-guitar para os solos da música. Get on Top", uma canção que contém uso significativo de um pedal wah , foi formada depois de uma jam session conduzida logo após Frusciante ter ouvido Public Enemy : "Eu criei o ritmo da música no caminho para o ensaio". Apenas batendo com o pé. "  O solo de guitarra discreto tocado no meio da música foi originalmente concebido para ser mais perceptível, de acordo com Frusciante, que estava tocando solos de guitarra gritando.

Capa do ÁlbumEditar

 
A famosa capa do álbum Californication, onde o céu e trocado pela água da piscina, e a água da piscina trocada pelo céu. Supostas mensagens escondidas estão na capa do álbum, onde o vocalista Anthony Kiedis nega veemente as perguntas sobre esse tema.

A famosa capa de Californication é uma longa história. Para mostrar o retorno da banda, especialmente de Frusciante e o novo estilo de fazer música da banda, de um funk agitante e eletrizante para uma música alternativa mais espiritual, os membros pensaram em fazer um disco de rock épico e comunicar isso por meio da capa do álbum.[11] Para isso, Anthony Kiedis precisava de um designer gráfico, então o nome dele era Lawrence Azerrad, que quando foi chamado estava trabalhando dentro do estúdio da Warner Bros. Records. Kiedis disse sobre um sonho de John Frusciante, em que ''havia uma piscina, e o céu estava na água, e a água estava no céu''.[11] A peça chave então se tornou em como traduzir este sonho esteticamente e também tinha que ser algo que a banda sentisse confortável para ser uma representação visual de sua música. Porém, Anthony tinha a idéia de outro conceito. Eles tinham uma enfermeira para tirar o sangue dos membros da banda para uma sessão de foto, a idéia era ampliar microscopicamente os sangues dos integrantes para criar a obra de arte. Visualmente não estava funcionando, mas eles não queriam desistir no desenvolvimento deste conceito. Isto foi enquanto perseguiam o conceito da piscina. Em uma entrevista com Lawrence, ele disse o seguinte sobre o conceito: ''Para compensar o conceito do sangue, eu encontrei um Dr. e Fotógrafo que se especializou em fotografia 3D de biologia microscópica. Usando imagens deste Dr, compusemos colagens e padrões, na esperança de fazer uma capa. Nós tentamos seguir algumas direções ao longo deste percurso, mas a idéia da piscina venceu."[11]

Um grande desafio foi encontrar a piscina certa para fotografar. A banda, o designer e o fotógrafo procuraram centenas de piscinas na área de Los Angeles, até chegar a piscina certa, quando encontraram-a. Logo começou a sessão de design gráfico, que, segundo Lawrence durou cerca de 5 semanas, e se tornou na memorável e lendária capa do álbum.[11]

A capa de Californication sempre é considerada uma das mais bonitas não só do rock, mas da música popular em geral. O álbum as vezes, chega a ser conhecido apenas pela capa, mesmo que a pessoa nunca teria ouvido alguma música do álbum.

Supostas mensagens escondidasEditar

As mensagens subentendidas do álbum Californication da banda Red Hot Chili Peppers, começam pelo título. Apesar de o vocalista Anthony Kiedis negar, existe um duplo entendimento em no nome ''Californication'', como muitos afirmam, que é uma mistura de Califórnia com ''fornication'' fazendo alusão à fornicação.

Um detalhe que salta aos olhos logo que se presta atenção na capa do CD é a mistura entre o céu e a água da piscina, pode-se perceber a presença de nuvens na piscina e ondas no céu; a piscina é o céu e o céu é a piscina.

Olhando a capa de cabeça para baixo, pode-se perceber um cavalo no desenho das nuvens na piscina. Já com a capa virada ao normal, percebe-se um sapo à beira da piscina, que simboliza transformação e o reflexo de um anjo bem sutilmente no vidro atrás da piscina perto do sapo, que significa purificação. Juntando os dois símbolos, a idéia trazida é de se purificar inicialmente, se desprender de conceitos engessados para chegar à transformação.[12]

Promoção e LançamentoEditar

Rick Rubin produziu seus dois álbuns anteriores. No entanto, os Chili Peppers decidiram procurar outros produtores para Californication.[13] David Bowie mostrou grande interesse em trabalhar com a banda e pediu para produzir o álbum; no entanto, o Chili Peppers escolheu permanecer com Rubin para Californication.[14] Rubin havia, no passado, concedido a liberdade criativa dos Chili Peppers em seu material de gravação; isso era algo que eles achavam necessário para o álbum ser único, e só poderia ocorrer com seu retorno.[15] Gravações foram feitas no Cello Studios, em Los Angeles.. No início de 1999, após o processo de gravação, a banda tocou "Scar Tissue", "Otherside" e "Californication" para seus gerentes, e foi decidido que "Scar Tissue" seria o primeiro single do álbum.[16]  Para apoiar a sua reunida line-up, a banda tocou vários bailes em todo o país para promover Californication[16]. Ele gerou uma competição, que pedia aos alunos do ensino médio que escrevessem ensaios sobre "como eles poderiam tornar suas escolas melhores, mais seguras, mais felizes, mais agitadas, de modo que não precisassem ir à escola com medo. Se você escreveu o ensaio, você tem um ingresso grátis para o show".[16]

Californication foi lançado em 8 de junho de 1999, estreando em # 5, mas chegando ao # 3 na tabela Billboard 200 . Na Europa, o álbum alcançou o 5º lugar no Top 40 do Reino Unido, número 1 nas paradas finlandesa, austríaca, sueca e neozelandesa, e número 2 no Top 40 da França e Holanda. Foi certificado ouro pouco mais de um mês depois, em 22 de julho de 1999, e suas vendas contínuas resultaram na certificação de seis vezes platina.[17][18]  Em março de 2006, os álbuns do Red Hot Chili Peppers foram disponibilizados para compra na iTunes Music Store[19]. Álbuns comprados incluíam novas faixas inéditas ("Fat Dance", "Over Funk" e "Quixoticelixer").

Desempenho ComercialEditar

Nos Estados Unidos, o álbum estreou e atingiu o número três na Billboard 200 na semana de 26 de junho de 1999, com 189.000 cópias vendidas.[20]  Na semana seguinte caiu para o número sete e esteve presente no gráfico por cento e uma semanas.[21] Foi certificado seis vezes platina pela RIAA em 28 de junho de 2016 para embarques de seis milhões.[22]

No Reino Unido , estreou e atingiu o número cinco em 16 de junho de 1999, na semana seguinte caiu para o número sete; o álbum permaneceu no gráfico por cento e sessenta e nove semanas.[23] Foi certificado quatro vezes platina pelo BPI em 2 de setembro de 2016, indicando remessas de um milhão e duzentas mil unidades.

Na Alemanha, foi o álbum mais vendido da banda, permanecendo no Media Control Charts por 114 semanas (mais de 2 anos) e vendendo mais de 750.000 cópias, chegando a 3 × Gold.[24]

Recepção Crítica e LegadoEditar

Californication recebeu críticas favoráveis ​​em contraste com o seu antecessor menos popular, One Hot Minute , e foi um sucesso maior em todo o mundo.[25] Rolling Stone creditou Kiedis por seus vocais drasticamente melhorados: "[suas] cordas vocais aparentemente foram colocadas em algumas encruzilhadas e pela reabilitação, e retornaram com um alcance, corpo, tom, soulfulness e sensibilidade melódica nunca antes vistos."[2] Canções como "Otherside" e "Porcelain" foram chamadas "Baladas emocionais", enquanto o álbum como um todo foi "epifanal" e os "adeptos do RHCP estão agora se movendo em direção ao Holy Grail: o salgado casamento de esotérico mitologia e musicalidade insaciável que resgata almas.[2] Outros críticos creditaram o sucesso do álbum ao retorno de Frusciante. Greg Prato, da AllMusic , disse que a "razão óbvia para o renascimento da banda é o reaparecimento do guitarrista John Frusciante", considerando-o o "guitarrista por excelência do RHCP".[25] O álbum como um todo foi "uma bona fide Chili Peppers clássico".[25] Entertainment Weekly também credita Frusciante a transformar o som da banda em um álbum "mais relaxado, menos irritante e, à sua maneira, mais introspectivo do que nunca".[26] Mark Woodlief de Ray Guncomentou que "'This Velvet Glove' atinge um equilíbrio intrincado entre uma base de violão acústico exuberante e rock anthemic", Woodlief continuou "a intro discoteca de 'Parallel Universe' da lugar a um tema chamativo e escaldante no refrão".[27]

Enquanto muitos críticos acharam o novo som da banda refrescante, a NME criticou os Chili Peppers por raramente usarem seu som de marca funk, perguntando: "Podemos ter nossos animais rock funk-hop meio mortos e meio vestidos agora, por favor? Tudo essa falsa empatia está começando a fazer minha costela removida formigar".[28] Pitchfork , enquanto considerava o álbum um triunfo sobre One Hot Minute , sentiu que o Californication não tinha o funk que estava sempre presente em Blood Sugar Sex Magik.[29]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic      [30]
Entertainment Weekly B+[10]
The Guardian      [31]
Los Angeles Times     [32]
Mojo      [33]
NME 6/10[34]
Pitchfork Media 6.8/10[35]
Q      [36]
Rolling Stone      [37]
Uncut      [38]

Ele passou a escrutinar algumas letras por ser excessivamente sexual, mas também considerou Frusciante para ser "hoje o melhor guitarrista de rock americano".[29] O crítico Robert Christgau deu ao álbum uma menção honrosa de uma estrela , descrevendo a banda como "New Age fuck fiends" e citando "Scar Tissue" e "Purple Stain" como destaques.[39]

Ao longo dos anos, a Californication manteve sua popularidade. "Scar Tissue" ganhou o prêmio Grammy de Melhor Canção Rock em 2000.[40] O álbum ficou em 399 na lista da revista Rolling Stone de 2003, "The 500 Greatest Albums of All Time" e, em 2006, o Chili Peppers gravou um playlist de cinco sets para Sessões da AOL que incluía "Scar Tissue" e "Californication".[41][42][43] O álbum produziu muitos hits para os Chili Peppers; cinco das dezesseis músicas do álbum Greatest Hits foram tiradas do Californication.[44]

O álbum recebeu críticas pelo que Tim Anderson, do The Guardian, chamou de "excessiva compressão e distorção" no processo de masterização digital.[45] A Stylus Magazine rotulou-a como uma das vítimas da loudness war e comentou que ela sofria de um recorte digital de tal forma que "até os consumidores não-audiófilos reclamaram disso".[46] Uma versão inicial e alternadamente masterizada do álbum com uma lista de faixas e mixagem diferentes, provavelmente uma candidata a pré-lançamento, circulou pela internet.[47]

ReconhecimentosEditar

A informação relativa aos Reconhecimentos de Californication é adaptado da Acclaimed Music.[43]

Publicação País Elogio Ano Rank
Robert Dimery EUA 1001 discos para ouvir antes de morrer[48] 2005 *
Rolling Stone EUA Lista dos 500 melhores álbuns de sempre [49] 2003 399
Classic Rock & Metal Hammer Reino Unido "Os 200 melhores álbuns dos anos 90"[50] 2006 *
Mojo Reino Unido "Os 100 Maiores Álbuns de Nosso Tempo 1993-2006"[51] 2006 89
Rolling Stone Alemanha "500 melhores álbuns de sempre"[52] 2005 189
Rock and Roll Hall of Fame EUA "Top 200 Álbuns de Todos os Tempos"[53] 2007 92

(*) designa listas não ordenadas.

TurnêEditar

Imediatamente após o lançamento de Californication , a banda embarcou em uma turnê mundial para divulgar e promover o disco, começando nos Estados Unidos. Para culminar a parte americana de sua turnê, os Chili Peppers foram solicitados a fechar o Woodstock '99 , que se tornou famoso pela violência resultante.  A banda foi informada minutos antes de chegar que as multidões e fogueiras nos campos tinham saído do controle.  Quando os Chili Peppers fizeram uma homenagem à música de Jimi Hendrix, "Fire", para terminar o show como um favor à irmã de Hendrix, a confusão se transformou em violência quando várias mulheres, que estavam surfando na multidão e se divertindo., foram abusadas sexualmente e propriedades próximas foram saqueadas e destruídas.  Kiedis sentiu que "Ficou claro que esta situação não tinha nada a ver com Woodstock. Não era o seu símbolo de paz e amor, mas de ganância e dinheiro ... Acordamos com jornais e estações de rádio nos caluniando por tocar 'Fire' ”.

Para dar início à turnê européia da banda, a banda organizou um show gratuito na Praça Vermelha de Moscou , em 14 de agosto de 1999, para uma multidão de mais de 200.000 pessoas.  Kiedis recordou a situação: "A Praça Vermelha estava tão cheia de russos de parede a parede que precisávamos de uma escolta policial para chegar perto do palco."  Após a etapa européia, o grupo fez um show em Nova York , no Windows on the World , para os vencedores do concurso de rádio KROQ , e depois no festival Big Day Out na Austrália após várias datas da turnê japonesa. Flea, no entanto, começou a sentir as repercussões da turnê fazendo com que a banda montasse shows menos extenuantes e, consequentemente, menos compensadores financeiramente para eles. Esses shows terminariam o restante da turnê Californication . Como um dos últimos shows antes do lançamento de seu próximo álbum By the Way , o Chili Peppers tocou no Rock in Rio 3, e foi uma das mais emocionantes de todas as apresentações, por atrair nada mais, nada menos, do que 250 mil pessoas na Cidade do Rock. A noite também foi marcada por muita confusão e invasões aos portões.[54]

FaixasEditar

Todas as músicas escritas e compostas por Red Hot Chili Peppers (Anthony Kiedis, Flea, John Frusciante e Chad Smith).

N.º Título Duração
1. "Around the World"   3:58
2. "Parallel Universe"   4:30
3. "Scar Tissue"   3:35
4. "Otherside"   4:15
5. "Get on Top"   3:18
6. "Californication"   5:21
7. "Easily"   3:51
8. "Porcelain"   2:43
9. "Emit Remmus"   4:00
10. "I Like Dirt"   2:37
11. "This Velvet Glove"   3:45
12. "Savior"   4:52
13. "Purple Stain"   4:13
14. "Right on Time"   2:08
15. "Road Trippin'"   3:25
Duração total:
56:15

B-sidesEditar

Música Duração Lançamento
"Gong Li" 3:43 B-side de "Scar Tissue" e faixa bônus na edição japonesa e australiana
"Instrumental #1" 2:48 B-side de "Scar Tissue"
"Instrumental #2" 2:34 B-side de "Californication"
"How Strong" 4:43 B-side de "Otherside" e faixa bônus na edição australiana
"Teatro Jam" 3:06 B-side de "Around the World"
"Fat Dance" 3:40 B-side de "Around the World"
"Over Funk" 2:58 B-side de "Around the World"
"Quixoticelixer" 4:48 B-side de "Road Trippin"
"Bunker Hill" 3:28 B-side de "Fortune Faded"

SinglesEditar

Ano Música Posições
Billboard Hot 100 [55] Alt.
Songs
[55]
US Hot Mainstream Rock Chart[55] UK Top 40 Suécia Nova Zelândia França Suíça
1999 "Scar Tissue" 9 1 1 15 3 66
"Around the World" 7 16 35 35
2000 "Otherside" 14 1 2 33 19 5 65
"Californication" 69 1 1 16 37 8
"Parallel Universe" 37
"Road Trippin" 30 44 91

CréditosEditar

Red Hot Chili Peppers

Músicos adicionais

  • Greg Kurstin → keyboards
  • Chamberlin → orgão e Chamberlin em "Road Trippin"

Produção

  • Lindsay Chase → coordenador de produção
  • Mike Nicholson e Greg Collins → engenharia adicional
  • Greg Fidelman → engenharia adicional
  • Jennifer Hilliard → assistente de engenharia
  • Chris Holmes → engenheiro de mixagem
  • Ok Hee Kim → assistente de engenharia
  • Vlado Meller → masterização de áudio
  • Rick Rubin → produtor
  • David Schiffman → engenharia adicional
  • Jim Scott → engenharia e mixagem
  • John Sorenson → engenharia adicional

Design

  • Lawrence Azerrad → direção de arte
  • Sonya Koskoff → fotografia
  • Red Hot Chili Peppers → direção da arte
  • Tony Wooliscroft → fotografia
  • Vladimir Meller → masterização

DesempenhoEditar

PosiçõesEditar

Referências

  1. a b «"American album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"» (em inglês). RIAA. 13 de junho de 2005. Consultado em 8 de março de 2010 
  2. a b c Tate, Greg. «Californication review». Rolling Stone. Consultado em 12 de Agosto de 2011 
  3. «Billboard Magazine: 300 Best Selling Albums (Worldwide)». Prince.org (Google Web Cache). Consultado em 12 de Agosto de 2011 [ligação inativa] 
  4. «Chili Peppers get first US number one album». Music Week. Consultado em 12 de Agosto de 2011 
  5. IFPI Platinum Europe Awards - 2002 Federação Internacional da Indústria Fonográfica. Página visitada em 12 de Agosto de 2011.
  6. a b One Hot Minute review, Allmusic.Página visitada em 8 de outubro de 2011 .
  7. Biography of John Frusciante, Allmusic. Página visitada em 8 de outubro de 2011.
  8. Kiedis and Sloman (2004), pp. 401–406.
  9. a b c d Blackett, Matt (September, 1999). "Return of the Prodigal Son." Guitar Player.
  10. a b David Browne (1999). «Californication». Entertainment Weekly. Consultado em 15 de abril de 2016 
  11. a b c d Romanelli, Postado por Raphael; Oliveira, rade de. «O sonho por trás da capa de Californication - Julho de 2011». Consultado em 4 de abril de 2019 
  12. «BOLACHÃO: Californication». BOLACHÃO. Domingo, 13 de junho de 2010. Consultado em 4 de abril de 2019  Verifique data em: |data= (ajuda)
  13. Kiedis and Sloman (2004), p. 420.
  14. Kiedis and Sloman (2004), p. 420.
  15. Kiedis and Sloman (2004), pp. 422
  16. a b c Kiedis and Sloman (2004), pp. 422
  17. «RIAA - Gold & Platinum Searchable Database - July 25, 2013». web.archive.org. 25 de julho de 2013. Consultado em 4 de abril de 2019 
  18. «RIAA». web.archive.org. 26 de junho de 2007. Consultado em 4 de abril de 2019 
  19. «Billboard Bits: Coachella, Red Hot Chili Peppers, Zakk Wylde». Billboard. Consultado em 4 de abril de 2019 
  20. «Billboard (magazine)». Wikipedia (em inglês). 25 de março de 2019 
  21. «Top 200 Albums | Billboard 200 chart». Billboard. Consultado em 4 de abril de 2019 
  22. «Gold & Platinum». RIAA (em inglês). Consultado em 4 de abril de 2019 
  23. «Red Hot Chili Peppers | full Official Chart History | Official Charts Company». www.officialcharts.com. Consultado em 4 de abril de 2019 
  24. «WebCite query result». www.webcitation.org. Consultado em 4 de abril de 2019 
  25. a b c «Californication - Red Hot Chili Peppers | Songs, Reviews, Credits». AllMusic (em inglês). Consultado em 4 de abril de 2019 
  26. «Californication». EW.com (em inglês). Consultado em 4 de abril de 2019 
  27. Woodlief, Mark (August, 1999) "Red Hot Chili Peppers Funking: The Power of Positive." Ray Gun.
  28. nme. «californication». NME (em inglês). Consultado em 4 de abril de 2019 
  29. a b «Red Hot Chili Peppers: Californication». Pitchfork (em inglês). Consultado em 4 de abril de 2019 
  30. Prato, Greg. «Californication – Red Hot Chili Peppers». AllMusic. Consultado em 17 de março de 2010 
  31. Sullivan, Caroline. «Red Hot Chili Peppers: Californication (Warner Bros.)». The Guardian 
  32. Masuo, Sandy. «Record Rack». Los Angeles Times. Consultado em 17 de março de 2010 
  33. Eccleston, Dan. «The best of Red Hot Chili Peppers». Mojo (128): 75 
  34. Segal, Victoria. «Californication». NME. Consultado em 17 de março de 2010 
  35. DiCrescenzo, Brent. «Red Hot Chili Peppers: Californication». Pitchfork Media. Consultado em 17 de março de 2010 
  36. «Red Hot Chili Peppers: Californication». Q (154): 112 
  37. Tate, Greg. «Californication». Rolling Stone. Consultado em 17 de março de 2010 
  38. Riley, Jason. «Red Hot Chili Peppers: Californication». Uncut (26) 
  39. «Christgau's Consumer Guide: Albums of the '90s». Wikipedia (em inglês). 30 de março de 2019 
  40. «CNN.com - Grammy 2000». web.archive.org. 22 de março de 2007. Consultado em 4 de abril de 2019 
  41. «Red Hot Chili Peppers - 'Californication (Sessions@AOL Perfo Video by The Red Hot Chili Peppers - AOL Music». web.archive.org. 31 de janeiro de 2012. Consultado em 4 de abril de 2019 
  42. «500 Greatest Albums of All Time: Red Hot Chili Peppers, 'Californication' | Rolling Stone». web.archive.org. 2 de junho de 2012. Consultado em 4 de abril de 2019 
  43. a b «Acclaimed Music - Californication». www.acclaimedmusic.net. Consultado em 4 de abril de 2019 
  44. «Greatest Hits [Warner Bros.] - Red Hot Chili Peppers | Songs, Reviews, Credits». AllMusic (em inglês). Consultado em 4 de abril de 2019 
  45. Anderson, Tim (18 de janeiro de 2007). «How CDs are remastering the art of noise». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  46. www.stylusmagazine.com http://www.stylusmagazine.com/articles/weekly_article/imperfect-sound-forever.htm. Consultado em 4 de abril de 2019  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  47. «Californication Unmastered — Red Hot Chili Peppers». Last.fm (em inglês). Consultado em 4 de abril de 2019 
  48. Dimery, Robert - 1001 Albums You Must Hear Before You Die; page 856
  49. «The 500 Greatest Albums of All Time». Rolling Stone. Consultado em 15 de abril de 2016 
  50. «Acclaimed Music - Classic Rock and Metal Hammer 200 List». Acclaimed Music. Consultado em 15 de abril de 2016 
  51. «A Selection Of Lists From Mojo Magazine». Mojo. Consultado em 15 de abril de 2016 
  52. «(Germany) The 500 Greatest Albums of All Time». Rolling Stone (Germany). Consultado em 15 de abril de 2016 
  53. «The Definitive 200: Top 200 Albums of All-Time». Rock and Roll Hall of Fame (United States). Consultado em 15 de abril de 2016 
  54. Rock in Rio III
  55. a b c «Red Hot Chili Peppers single chart history». Billboard. Consultado em 20 de abril de 2007 
  56. «Red Hot Chili Peppers – Californication». australian-charts.com. 21 de fevereiro de 2013 
  57. «Chart History». austriancharts.at. 21 de fevereiro de 2013 
  58. «Chart History». ultratop.be. 21 de fevereiro de 2013 
  59. «Chart History». ultratop.be. 21 de fevereiro de 2013 
  60. «HITS — Os discos mais vendidos da semana». ISTOÉ. 21 de fevereiro de 2013 
  61. «Top Albums/CDs – Volume 71, No. 17, August 28, 2000». RPM. 21 de fevereiro de 2013 
  62. «Chart History». dutchcharts.nl. 21 de fevereiro de 2013 
  63. «Hits of the World - Europe». Billboard. 21 de fevereiro de 2013. p. 53 
  64. «Finnish Chart Archives». finnishcharts.com. 21 de fevereiro de 2013 
  65. «French Chart Archives». lescharts.com. 21 de fevereiro de 2013 
  66. «Chart History». musicline.de. 21 de fevereiro de 2013 
  67. «Hits of the World - Ireland». Billboard. 14 de setembro de 1999. p. 53 
  68. «Hits of the World - Italy». Billboard. 21 de fevereiro de 2013. p. 52 
  69. «Hits of the World - Japan». Billboard. 21 de fevereiro de 2013. p. 50 
  70. «New Zealand album chart archives». charts.org.nz. 21 de fevereiro de 2013 
  71. «Norwegian Chart Archives». vg.no. 21 de fevereiro de 2013 
  72. «Oficjalna lista sprzedaży». OLIS: Official Retail Sales Chart. 21 de fevereiro de 2013 
  73. «Hits of the World - Portugal». Billboard. 21 de fevereiro de 2013. p. 63 
  74. «Hits of the World - Spain». Billboard. 21 de fevereiro de 2013. p. 61 
  75. «Swedish album chart archives». hitparad.se. 21 de fevereiro de 2013 
  76. «Swiss Chart Archives». hitparade.ch. 21 de fevereiro de 2013 
  77. «everyhit.com». everyhit.com. 21 de fevereiro de 2013 
  78. Gráfico ilegal entrouall «Red Hot Chili Peppers album chart history» Verifique valor |url= (ajuda). Billboard. 21 de fevereiro de 2013 
  79. «"Gold-/Platin-Datenbank (Red Hot Chili Peppers; 'Californication')"». BVMI.de (em alemão). Bundesverband Musikindustrie. Consultado em 12 de agosto de 2012 
  80. «Discos de Oro y Platino - 2001» (em Spanish). Cámara Argentina de Productores de Fonogramas y Videogramas. 21 de fevereiro de 2013 
  81. «"ARIA Charts – Accreditations – 2006 Albums"». Australian Recording Industry Association. 13 de junho de 2005. Consultado em 8 de março de 2010 
  82. «"Austrian album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"». IFPI Áustria. Consultado em 12 de Setembro de 2011 
  83. «"Ultratop − Goud en Platina – 2000"» (em inglês). Ultratop. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  84. «Red Hot Chili Peppers». ABPD. Consultado em 22 de janeiro de 2010 
  85. «"Canadian album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"». Music Canada. Consultado em 5 de novembro de 2014 
  86. «"Spanish album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"». Productores de Música de España (em Japanese). Consultado em 21 de agosto de 2013 
  87. «Chili Peppers Debut at Number 1 in the US». musicweek.com. Consultado em 5 de janeiro de 2014 
  88. «"French album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"». Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 24 de Abril de 2010 
  89. «"Red Hot Chili Peppers"». IFPI finlândia. Consultado em 14 de agosto de 2012 
  90. «"Italian album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"». Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 12 de agosto de 2012 
  91. «"Norwegian album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"» (em norueguês). IFPI Noruega. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  92. «"New Zealand album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"» (PDF). Sverige Topplistan (em sueco). Recorded Music NZ. 9 de janeiro de 2009. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  93. «"Polish album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"» (em polaco). Związek Producentów Audio Video. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  94. «"Guld- och Platinacertifikat − År 2002"» (PDF). IFPI (em sueco). IFPI. 9 de janeiro de 2009. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  95. «"The Official Swiss Charts and Music Community: Awards (Red Hot Chili Peppers; 'Californication')"». IFPI Suécia (em Japanese). Consultado em 21 de agosto de 2013 
  96. «"British album certifications – Red Hot Chili Peppers – Californication"». British Phonographic Industry. Consultado em 5 de janeiro de 2014 [ligação inativa] 
  97. «"IFPI Platinum Europe Awards – 2002"». International Federation of the Phonographic Industry. 9 de Dezembro de 2003. Consultado em 5 de Abril de 2010 
  98. Paul, Sexton (24 August 2002). Chili Peppers, Spice Girls Add Flavor to IFPI Awards. Billboard. [S.l.: s.n.] Consultado em 5 de janeiro de 2014 
  Este artigo sobre um álbum de Red Hot Chili Peppers é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.