Abrir menu principal

Campeonato Paulista de Futebol de 1971 - Primeira Divisão

Campeonato Paulista de Futebol de 1971
Primeira Divisão
Dados
Participantes 24
Período 1971 – 24 de agosto de 1971
Campeão Marília
Vice-campeão Saad
◄◄ São Paulo 1970 Soccerball.svg 1972 São Paulo ►►

O Campeonato Paulista de Futebol de 1971 - Primeira Divisão foi a 25ª edição do torneio organizada pela Federação Paulista de Futebol, e equivaleu ao segundo nível do futebol no estado de São Paulo. O Marília conquistou o título[1], e obteve o direito de participar do Torneio de Classificação de 1972, conhecido como Paulistinha, através da resolução 28/71[2].

Participantes[3]Editar

Série Arthur Friedenreich[4]

Série Belfort Duarte

Série Thomaz Mazzoni

Forma de disputaEditar

Na primeira fase, as 24 equipes foram divididas em três grupos, disputados por pontos corridos em turno e returno. As seguintes equipes classificaram-se para a segunda fase:

  • Série Arthur Friedenreich: (1.º) Garça, (2.º) Marília e (3.º) Corinthians;
  • Série Belfort Duarte: (1.º) Catanduvense, (2.º) Rio Preto e (3.º) Barretos;
  • Série Thomaz Mazzoni: (1.º) Saad, (2.º) União Barbarense, (3.º) Santo André e (4.º) Esportiva*;

(*) Após reunião da FPF, a Esportiva foi classificada por ter a mesma pontuação que o segundo e terceiro colocados, perdendo apenas no saldo de gols. Esta decisão incentivou o presidente do Rio Branco de Ibitinga a pleitear também a classificação para a segunda fase, alegando que sua equipe ficou em quarto lugar na Série Arthur Friedenreich. Porém, o pedido foi negado, visto que o Rio Branco ficou cinco pontos abaixo do terceiro colocado.[5]

Fase semifinalEditar

Grupo A
Pos. Time PG J V E D GP GC SG
1 Saad 14 9
2 Marília 13 9
3 Catanduvense 13 9
4 Garça 12 9
5 Rio Preto 11 9
6 Corinthians–PP 9 9
7 Esportiva 6 9
8 Santo André 5 9
9 Barretos 4 9
10 União Barbarense 3 9

Fase finalEditar

A fase final teria a presença de quatro clubes, porém o presidente da Federação Paulista de Futebol, José Ermírio de Moraes Filho, decidiu incluir o Rio Preto, devido a um recurso apresentado pelo clube ao Tribunal de Justiça Desportiva.[6] No recurso, o Rio Preto questionava a marcação de um novo jogo contra o Garça, anulado pelo TJD, para o Estádio Municipal Frederico Platzeck, em Garça, que estava interditado.[7] A partida havia sido suspensa, por causa da expulsão dos 22 jogadores em campo,[8] e o Garça venceu o novo jogo por 2 a 1, inicialmente garantido o que seria a última vaga disponível para o turno final.[9] Por causa da decisão, a primeira rodada foi adiada[7] do dia 10 para o dia 12 de agosto.

Na última rodada, a vitória do Marília sobre o Saad na preliminar eliminou o clube de São Caetano e deixou o Rio Preto a uma vitória de conquistar o acesso. Porém, o Catanduvense venceu o jogo por 1 a 0, garantindo o acesso do Marília à Divisão Especial de 1972 (embora o clube tivesse de disputar o "Paulistinha", uma fase preliminar, para garantir as partidas contra os "grandes").

JogosEditar

12 de agosto de 1971: Catanduvense 1–0 Garça

12 de agosto de 1971: Rio Preto 2–0 Marília


14 de agosto de 1971: Rio Preto 0–0 Garça

14 de agosto de 1971: Saad 3–0 Catanduvense


17 de agosto de 1971: Saad 0–0 Rio Preto

17 de agosto de 1971: Marília 1–0 Garça


21 de agosto de 1971: Marília 3–2 Catanduvense

21 de agosto de 1971: Saad 3–0 Garça

Última rodadaEditar

24 de agosto de 1971 Marília 1–0 Saad Parque Antártica, São Paulo, SP
19h30
Ivo   35' do 2.º Ficha técnica Público: 6 376
Renda: Cr$ 33 635
Árbitro: José Favilli Neto

Marília — Renato; Juvenal, Henrique Pereira, Elmo e Betão (Paulinho); Ari e Valdemar; Warley, Wílson, Zé Luís e Ivo. Técnico: ?.

Saad — Ronaldo; Roberto, Flávio, Oscar e Ari Clemente; Zanetti e Raimundinho; Antenor, Copini (Nélson), Arlindo e Fernandes. Técnico: ?.


24 de agosto de 1971 Catanduvense 1–0 Rio Preto Morumbi, São Paulo, SP
21h30
Paulo Sérgio   26' do 1.º Ficha técnica Público: 6 376
Renda: Cr$ 33 635
Árbitro: Oscar Scolfaro

Catanduvense — Hamílton; Rondon, Mané, Marco Antônio e Tião; Ari e China; Joãozinho, Paulo Sérgio, Pinho (Babá) e Jesuíno. Técnico: ?.

Rio Preto — Gílson; Rogério, Cidinho, Beto e Luís; Tino e Vílson; Wílson, Édson (Nei), Cornélio e Bita (Arnaldo). Técnico: ?.

Classificação finalEditar

Grupo A
Pos. Time PG J V E D GP GC SG
1 Marília 6 4 3 0 1 5 4 1
2 Saad 5 4 2 1 1 6 1 5
3 Catanduvense 4 4 2 0 2 4 6 -2
4 Rio Preto 4 4 1 2 1 2 1 1
5 Garça 1 4 0 1 3 0 5 -5

PremiaçãoEditar

Campeonato Paulista de 1971 - Primeira Divisão
 
Marília
Campeão
(1º título)

Ver tambémEditar

Referências

  1. RSSSF Brasil. «São Paulo State - List of Second Division Champions». Consultado em 9 de janeiro de 2013 
  2. Placar. «Uma lei violada». Consultado em 22 de junho de 2017 
  3. RSSSF Brasil. «São Paulo State - List of Second Division Participants 1916-2001». Consultado em 9 de janeiro de 2013 
  4. «O MAC é o último a subir e o acesso para por quatro anos». Consultado em 22 de junho de 2017 
  5. «Rio Branco quer seu lugar na 1a. Divisão». Consultado em 22 de junho de 2017 
  6. «Federação inclui o Rio Prêto». São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. O Estado de S. Paulo (29 555). 23 páginas. 11 de agosto de 1971. ISSN 1516-2931. Consultado em 28 de fevereiro de 2017 
  7. a b «FPF adia o turno final da 1.a». São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. O Estado de S. Paulo (29 554). 32 páginas. 10 de agosto de 1971. ISSN 1516-2931. Consultado em 28 de fevereiro de 2017 
  8. «Decisão faz Garça fechar tudo». São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. O Estado de S. Paulo (29 552). 20 páginas. 7 de agosto de 1971. ISSN 1516-2931. Consultado em 28 de fevereiro de 2017 
  9. «O Garça obtém a quarta vaga». São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. O Estado de S. Paulo (29 553). 58 páginas. 8 de agosto de 1971. ISSN 1516-2931. Consultado em 28 de fevereiro de 2017 
  Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.